domingo, 15 de outubro de 2017

NOSSO SITE COM OS JOGOS OLIMPICOS DE TOKYO

Pré-COBERTURA TOKYO 2020 - QUILISPORT

Novos uniformes dos guias voluntários dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio

Novos uniformes dos guias voluntários para turistas estrangeiros que serão utilizados nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio
TÓQUIO – A governadora de Tóquio, Koike, apresentou os novos uniformes dos voluntários que irão orientar os turistas estrangeiros nas Olimpíadas e Paraolimpíadas de Tóquio, daqui há 3 anos.
Durante a gestão do ex-governador de Tóquio, Masazoe, os uniformes dos voluntários já haviam sido divulgados mas após a posse de Koike, foi realizada uma reunião relacionada aos Jogos Olímpicos e chegaram a conclusão que os uniformes já existentes não tinham unificação no design e eram feios.
Foto do modelo antigo de uniforme, apresentado pelo ex-governador de Tóquio, Masazoe.
     No dia 15, a governadora Koike apresentou os novos uniformes na coletiva de imprensa e explicou que o novo design tem como base um xadrez que destaca a cor azul, passando a imagem de tradição e inovação. Nas costas está escrito “guia voluntário” para os turistas conseguirem identificar facilmente.
     Foram fabricados 3000 unidades de camisas para o verão e blusas para o inverno e 380 casacos para o frio. Chapéus e bolsas também fazem parte do uniforme. Foram gastos 80 milhões de ienes para renovar o uniforme.
     Atualmente, estão inscritos em Tóquio 2.500 guias voluntários para turistas, que atendem 7 línguas diferentes, mas o governo pretende cadastrar mais 500 pessoas.
      A partir do dia 25, as incrições para guias voluntários estarão abertas no site.
A governadora Koike disse que especialistas também opinaram na criação do novo modelo de uniforme e espera que com o aumento da exposição, os guias sejam reconhecidos.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

NOSSO SITE E A CORRUPÇÃO NA RIO 2016


Analistas pedem novo paradigma na escolha de sedes olímpicas

Corrupção na candidatura do Rio expõe falhas do sistema atual

por
Faraônico. Entre Paes, Cabral, Lula e Orlando Silva, Nuzman comemora vitória, manchada por denúncia de corrupção - PIERRE-PHILIPPE MARCOU/AFP
       Acusações de compra de votos na candidatura da Rio-2016 colocam em xeque o método de escolha das sedes de Jogos Olímpicos. A avaliação é de Lamartine da Costa, membro da Sociedade Internacional de Historiadores Olímpicos (ISOH), e Alberto Murray, que foi membro da Assembleia Geral do COB entre 1996 e 2008. Pesquisadores da trajetória dos Jogos, Costa e Murray divergem sobre o peso da família Diack na votação após, segundo investigação do Ministério Público Federal (MPF), ter recebido propina da candidatura do Rio. Ambos, porém, apontam a necessidade de reformular o modelo.

LEIA TAMBÉM: Suspensão lança nuvens sobre futuro de Nuzman e estabilidade do COB
Neto de Sylvio de Magalhães Padilha, ex-atleta que presidiu o COB por quase três décadas, entre 1963 e 1990, Murray lembra que o sistema passou por transformações no início desde século. Mas considera que o formato atual “faliu”:
— Talvez seja a hora de tirar a escolha unicamente das mãos de membros do COI e pulverizar o colégio eleitoral. A realização dos Jogos Olímpicos não pode ficar sob responsabilidade de apenas cem pessoas.
Antes do Rio, Lamartine da Costa aponta um marco na corrupção envolvendo escolhas de sedes: a propina na candidatura de Salt Lake City (EUA) aos Jogos de Inverno de 2002. O escândalo, que levou à expulsão de 10 membros do COI, mostrou que a votação era vulnerável a práticas ilícitas em larga escala.


VEJA: Fotos exclusivas de reunião em Paris têm Cabral com Gryner e Nuzman na 'festa dos guardanapos'— Na época, o (então presidente do COI, Juan Antonio) Samaranch convidou pessoas graúdas para estudar o sistema e evitar que aquilo se repetisse. Uma delas era Carlos Arthur Nuzman. Ou seja, ele criou condições das quais não pode reclamar — observa Costa, que também é professor da UERJ.
Nuzman se afasta do COB
A introdução da “Agenda 2020”, documento com recomendações para tornar os Jogos Olímpicos mais baratos a partir de Tóquio, é citada por Lamartine como uma mudança de paradigma importante na luta contra a corrupção. O pesquisador lamenta que o Brasil tenha mantido o modelo faraônico nos Jogos de 2016 — a agenda foi lançada pelo COI há três anos, na reta final da construção de arenas para a Olimpíada do Rio.
— O sistema já está mudando, se aperfeiçoando, por conta da Agenda 2020. Nuzman ainda adotou a linha dos Jogos “monumentais”. A corrupção é criativa. As relações de “ganha-ganha” descritas pelo MPF ficarão mais difíceis — aposta o professor.
LEIA AINDA: Ouro escondido por Nuzman daria para produzir medalhas até os Jogos de 2028
Embora reconheça que a votação do Rio tenha sido exposta a práticas ilícitas, Lamartine vê com cautela a acusação de que a propina paga ao senegalês Lamine Diack tenha convertido outros votos no continente africano:
— Houve defeitos ao longo do processo, mas é muito difícil uma corrupção com este alcance.


Murray, por sua vez, diz que a influência de Lamine Diack, ex-presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), não pode ser desprezada. Tampouco a possibilidade de outros envolvidos no esquema, uma das linhas de investigação seguidas pelos procuradores brasileiros:
— Há pessoas que controlam votos de seus continentes, e até de outros, seja por terem prestígio ou pelo dinheiro. Quem estava no atletismo sempre soube que o Diack era pilantra. Mas acredito que a candidatura do Brasil também agiu em outras frentes, sem intermédio dele.
Suspeito de ter intermediado compra de votos para 2016, Nuzman pediu, ontem, afastamento do COB. O dirigente está preso temporariamente, desde quinta-feira, em Benfica. Vice-presidente do COB, Paulo Wanderley convocou uma assembleia extraordinária para quarta-feira, na qual será discutida a situação da entidade. Nuzman pode renunciar ao cargo.

NOSSO SITE E AS INSTALAÇÕES ESPORTIVAS DE SANTA MARIA


Prefeito Jorge Pozzobom assina a Ordem de Serviço para reformar Ginásio Guarani Atlântico

Chefe do Executivo garantiu que ginásio será devolvido em excelentes condições à comunidade (Foto: Deise Fachin)

Empresa vencedora de licitação terá cinco dias para iniciar as obras e até 60 dias para concluir o serviço

  A Prefeitura de Santa Maria deu mais um passo essencial para devolver à comunidade da Zona Norte um espaço importante para o desenvolvimento do Esporte e do Lazer na região. O prefeito Jorge Pozzobom assinou a Ordem de Serviço, na tarde desta segunda-feira (09), para que a empresa Ataíde Teixeira Lobell – ME reforme, parcialmente, a cobertura do Ginásio Guarani Atlântico, no Bairro Salgado Filho. A reabertura do complexo esportivo é um compromisso do Governo Municipal com a população daquela localidade que, há dois anos, viu a cobertura do ginásio ser arrancada pela força dos temporais que atingiram a cidade.
A partir da assinatura, ocorrida nas dependências do complexo, a empresa tem cinco dias para iniciar as obras – nesta terça, os materiais já estavam sendo descarregados no ginásio – e até 60 dias para concluir o serviço. O investimento será de R$ 240.564,90, com fornecimento de material e mão de obra.
“Essa assinatura é motivo de muito orgulho. Após anos de espera, em poucos meses conseguimos assegurar os recursos para reformar a cobertura do ginásio”, disse o prefeito Jorge Pozzobom.
Na oportunidade, o vice-prefeito Sergio Cechin aproveitou para salientar as benfeitorias que a atual Administração já realizou na Região Norte, como o asfaltamento da Rua Oliveira Mesquita, o processo de Regularização Fundiária de mais de 1,4 mil lotes e a revitalização do Guarani Atlântico
“Nos comprometemos com esta comunidade e pensando também nela que estamos governando. Essas melhorias levam mais cidadania e dignidade às pessoas”, disse o vice-prefeito.
Assim que concluída esta etapa, a Prefeitura seguirá empenhada em buscar recursos para revitalizar todo o complexo esportivo. Recursos de emendas parlamentares já foram garantidos para reformar o espaço interno do ginásio, já que sem cobertura, a área acabou se deteriorando. Conforme a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, houve vandalismo nos banheiros, nas vidraças, além das redes elétrica e hidráulica estarem danificadas. Os valores serão investidos na recuperação destes e de outros pontos para que, definitivamente, o ginásio seja devolvido em condições à comunidade.
“Desde o dia 2 de janeiro, quando assumimos a Secretaria, estamos trabalhando pelo Ginásio Guarani Atlântico. É um momento de muita felicidade essa assinatura”, finalizou a secretária de Cultura, Esporte e Lazer, Marta Zanella.
Também participaram da solenidade de assinatura da Ordem de Serviço, o controlador Geral do Município, Alexandre Lima; o secretário e o adjunto de Desenvolvimento Social, João Chaves e Leonardo Kortz, respectivamente; o assessor especial de Governo, Paulo Denardin; a secretária adjunta de Cultura, Esporte e Lazer, Márcia Teston; além dos vereadores Juliano Soares, o Juba; Alexandre Vargas; João Kaus; e Jorge Trindade. O coordenador regional da Defesa Civil, major Gerson Freitas, bem como o representante da empresa, Ataíde Lobell, e o fiscal da obra, engenheiro Luis Fernando Viera, também participaram do ato


NOTA DO EDITOR -Depois de 2 anos, o ginásio deverá ter a sua cobertura, no entanto ainda há a preocupação com os setores danificados, após o rompimento da cobertura. Tem muita coisa a ser feito.Vamos acompanhar essa obra, pois temos criticado ao descaso, no momento em que é retomado os trabalhos para a recuperação, temos que ter a coerência para divulgar o andamento da obra. Esperamos que seja cumprido o prazo estabelecido.  (CLERY - EDITOR)

domingo, 8 de outubro de 2017

NOTICIAS DO JAPÃO - PAIS SEDE OLIMPICA 2020

japão: com o envelhecimento populacional país já pensa em atrair mais imigrantes

Japão é considerado um país que apresenta uma das melhores índices que medem a qualidade de vida no mundo, contudo, o governo japonês tem demonstrado preocupação com as taxas populacionais do país.
Em síntese, o temor é a baixa natalidade apontada como a pior das últimas duas décadas possa afetar o bom momento da economia vivido no Japão. Em pouco mais de 25 anos, o Japão chegou ao quadro possível ao que se refere ao envelhecimento de sua população em conjunto com o número cada vez menor de nascimentos no país, segundo estudo elaborado pelo Banco Central do Japão, o reflexo desses números preocupantes refletem diretamente na redução da população economicamente ativa japonesa.
O estudo chamado como (Observação da Economia de Curto Prazo), tem edições trimestrais a fim de elaborar um prospecto de confiança de negócios junto ao Banco Central do Japão, revelando a situação real da economia no ‘país do sol nascente’.
Com os números negativos indicando a falta de mão de obra no país, segundo os cálculos que demonstram a diferença proporcional entre vagas disponíveis e número de funcionários, grande empresas já recorrem ao governo para atrair trabalhadores estrangeiros. 
     O empasse se agrava quando se trata de empresas de pequeno e grande porte, segundo o relatório levantado no último trimestre, o país tem registrado uma queda de natalidade constante, aliada ao envelhecimento da população têm trazido problemas para essas empresas encontrarem profissionais para ocuparem essas vagas de emprego no Japão.
     Para o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, reformar a legislação de Imigração no Japão a fim de acolher mais trabalhadores estrangeiros, é uma medida a ser pensada para amenizar essa falta de mão de obra que empresários japoneses têm apontado.
    Porém outra ação a ser tomada de imediato, deve ser mesmo medidas para o incentivo do crescimento das taxas de natalidade no pais, a ideia é oferecer benefícios governamentais para casais com mais filhos, nos quais podem incluir até mesmo abonos salariais, além de preferências para vagas em creches, descontos em impostos e ajuda financeira para a manutenção de crianças em idade escolar, anunciou o primeiro-ministro japonês.
     Menos de 50% das mulheres trabalham fora no Japão, em contrapartida, aproximadamente 30% dos homens com mais 65 anos ainda continuam trabalhando, mesmo em idade de se aposentarem, segundo último levantamento realizado pelo governo do país.
     O ’empoderamento feminino’ também foi pauta dentro das medidas a serem adotadas pelo Governo do Japão, visando incentivar as mulheres à ocuparem cargos de chefia em corporações, bem como cargos políticos, além de promover campanhas afim de aumentar a mão de obra feminina no mercado de trabalho japonês.

sábado, 7 de outubro de 2017

COB FARÁ REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA


COB FARÁ ASSEMBLÉIA EXTRAORDINÁRIA DIA 11
MEDIANTE SANÇOES DO COI

(Lembrando que ontem, o COI retirou a prerrogativa de Nuzmann como honorário da ENTIDADE)

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) informa que convocou Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada na próxima quarta-feira, dia 11, às 14:30 horas, na sede da entidade.

Na oportunidade, a Assembleia irá deliberar quanto às decisões anunciadas pelo Comitê Olímpico Internacional nesta sexta-feira, dia 6 de outubro de 2017, e sobre a atual situação do COB.

Comitê Olímpico do Brasil

REVISTA VEJA da semana
 

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

SANÇOES DURAS PARA NUZMANN PELO COMITE OLIMPICO INTERNACIONAL

Após prisão de Nuzman, COI suspende temporariamente o Comitê Olímpico do Brasil

Tânia Rêgo / Agência Brasil
Esportes
O Comitê Olímpico Internacional (COI) suspendeu temporariamente o Comitê Olímpico do Brasil (COB) em razão da investigação em torno do seu presidente, Carlos Arthur Nuzman, de acordo com o site oficial do COI.
O Conselho Executivo do COI decidiu "suspender provisoriamente o Comitê Olímpico do Brasil", disse o comunicado do órgão.
    No entanto, o texto assegura que a suspensão temporária do COB não afeta atletas e "o COI aceitou a equipe do Comitê Olímpico do Brasil nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 em Pyeongchang (Coreia do Sul) e outras competições sob a marca da COB com todos os direitos e obrigações".
    Além disso, o COI concordou em "privar provisoriamente Carlos Nuzman de todos os direitos, prerrogativas e funções decorrentes do seu estatuto de membro honorário do COI", bem como "expulsar Carlos Nuzman do Comitê Coordenador do COI para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020".
Presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman
A Polícia Federal prendeu Nuzman na quinta-feira, acusado de participar de um plano de compra de votos para o Rio de Janeiro para sediar os Jogos Olímpicos no ano passado.
O Ministério Público Federal (MPF) ordenou que Nuzman fosse detido por causa de uma tentativa de dissimulação de bens no último mês (o diretor olímpico foi conduzido coercitivamente em 5 de setembro, mas foi interrogado e liberado).
De acordo com as investigações, o principal líder da Rio 2016 está no centro da trama corrupta que comprou votos no COI com dinheiro de uma empresa do governo do estado do Rio de Janeiro, sob o comando do governador Sérgio Cabral, preso por uma série de crimes.
O COI nomeou o Rio de Janeiro para sediar os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016 em outubro de 2009 em Copenhague, na Dinamarca.
Rio derrotou por 66 votos a 32 a Madrid, tornando-se a primeira cidade olímpica da América do Sul.

NOTA DO EDITOR - Hoje o COI divulgou que foram suspensos todos os direitos de NUZMANN como CIDADÃO HONORÁRIO DO COMITE OLIMPICO INTERNACIONAL.

FRAUDE NA ESCOLHA DA RIO 2016. ENVOLVIMENTO DIRETO DO COB

Fraude na escolha da RIO 2016:

NUSMANN É PRESO

 

A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira (5) o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, e o diretor-geral do Comitê Organizador Rio 2016, Leonardo Gryner. Os dois são investigados por envolvimento num suposto esquema de compra de votos no Comitê Olímpico Internacional (COI) para a escolha dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.
    De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), a prisão temporária de Nuzman e Gryner é importante para permitir que o patrimônio seja bloqueado e para impedir que ambos continuem atuando, seja criminosamente, seja na interferência da produção probatória. Nuzman foi preso em casa, no Alto Leblon, zona sul do Rio.
Além dos mandados de prisão, foram cumpridos mandatos de busca e apreensão nas casas e empresas de Nuzman e Gryner e a quebra de sigilo telemático.
Segundo o MPF, nos últimos 10 dos 22 anos de presidência do COB, Nuzman ampliou seu patrimônio em 457%, sem indicação clara de seus rendimentos, além de manter parte de seu patrimônio oculto na Suíça.
Em razão das proporções mundiais do fato, o MPF requer, ainda, pelos danos morais causados, o bloqueio do patrimônio de Nuzman e Gryner em até R$ 1 bilhão.
A Operação Unfair Play foi resultado do trabalho conjunto de cooperação internacional entre os órgãos do Brasil, da França, da Antígua e Barbuda, dos Estados Unidos e do Reino Unido.
Segundo o MPF, documentos e provas revelam que uma organização criminosa comandada pelo ex-governador Sérgio Cabral comprou o voto do presidente da Federação Internacional de Atletismo, o senegalês Lamine Diack, por US$ 2 milhões.
O pagamento pelos votos veio da empresa Matlock Capital Group, do empresário Arthur Soares, conhecido como Rei Arthur, que teria repassado a propina que pagaria a Sérgio Cabral diretamente para o senegalês, em troca dos votos pela escolha da cidade-sede das Olimpíadas de 2016.
Nuzman e Gryner, considerado braço direito do presidente do COB, foram, segundo o MPF, figuras centrais no esquema, já que teriam sido os agentes responsáveis por unir pontas interessadas, fazer os contatos e azeitar as relações para organizar o mecanismo do repasse de propinas de Sérgio Cabral diretamente a membros africanos do COI. Eles serão indiciados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.
Ciberia // Agência Brasil

NOTA DO EDITOR - Depois de passarmos por uma SUPER SEDE OLIMPICA, que deslumbrou o mundo, estamos pagando o que se temia: SUPERFATURAMENTOS E SUBORNOS. Agora culminou com a prisão do mandatário maior do esporte brasileiro, CARLOS NUSMANN, presidente do COB e PRESIDENTE da RIO 2016. Inicialmente por envolvimento na escolha da CANDIDATURA RIO, mas o processo está em andamento. Aguardemos mais para depois voltarmos ao assunto. (CLERY - EDITOR)