terça-feira, 26 de agosto de 2008

PUBLICAÇÃO: DIREITO E JOGOS OLÍMPICOS

Uma Obra Olímpica

Alexandre Miguel Mestre, de Portugal, advogado, professor universitário, conferencista sobre o Direito do Desporto em geral, publica DIREITO E OS JOGOS OLÍMPICOS

No ano dos Jogos Olímpicos, a publicação deste OBRA preenche, certamente, uma Lacuna existente na bibliografia do Direito do Desporto e só poderia vir de um profundo conhecedor das estruturas do desporto internacional.
Quando soubemos da sua publicação pela CEV-LEIS fizemos contato com ALEXANDRE e neste encerramento da OLIMPIADA DE PEQUIM, chega na QUILISPORT o livro com essa dedicatória: "Caro Professor Clery Quinhones de Lima. É com muita honra que ofereço esta modesta obra, que procura estimular a pesquisa em uso de um binônimo que muito me aproximo: DIREITO e DESPORTO."
NOTA DO EDITOR - Agradecemos a atenção do ALEXANDRE e será mais uma obra que faltava na minha bibliografia olímpica a contribuir. Inclusive num breve estudo que fiz, estaríamos amparados pela CARTA OLÍMPICA e até poderemos acionar o CONSULADO CHINES no BRASIL em termos de ter nos negado o VISTO DE JORNALISTA para PEQUIM e como também nos esclareceu a NACIONALIDADE OLÍMPICA, caso frequente nesta OLIMPIADA, casos de chineses e mesmo de brasileiros na GIORGIA.
Interessados do contato com ALEXANDRE, poderão pelo www.PLMJ.COM, email: alm@plmj.pt fone (351) 21 31917 80 .

OLIMPIADA: A HORA DE AVALIAÇÃO DE PEQUIM (II)

RIQUEZA DE MANIFESTAÇÕES

( em termos de volume)

Clery no QG OLIMPICO DE SANTA MARIA

QG OLIMPICO DE SANTA MARIA, já compilou em torno de 50 páginas de manifestações de listeiros da CEV-LEIS e também crônicas de blogs e sites.

Hoje com o advento da Internet ( sites e Blogs) há uma facilidade das pessoas se manifestarem através destes meios e como o assunto OLIMPIADA está em evidência, por ter sido um evento universal, que teve o olhar total da MÍDIA do MUNDO e por bilhões de pessoas como expectadores , que congregou diretamente no Evento, 204 países, sendo ineditismo em termos de uma concentração em 16 dias, num país.

O assunto em evidência suscita várias análises pela complexidade de dados que oferece e mesmo pelo interesse de quem escreve.

É pauta certa dos AUTORES que vão desde profissionais legalizados da área e de outras, leigos, ponderados, críticos, coerentes, fanfarrões e aproveitadores que lançam de tudo. E neste sentido está a grandiosidade de conhecer para poder discernir o que é coerente ou não. Pois com a liberdade de expressão, os AUTORES estão bombando e isso dá vazão a dizer aquilo que vem à cabeça.

Imaginem vocês o que armazenamos nestas manifestações que saíram na nossa CEV-LEIS, podemos dizer que quase todas elas criticando a participação do Brasil, desde a fraca conquista de medalhas – é a análise mais freqüente sem ver ou não o progresso em modalidades esportivas ou provas finais – e os gastos na preparação e participação do BRASIL em PEQUIM, críticas principalmente aos dirigentes do COB e CONFEDERAÇÕES; o uso de verbas no esporte rendimento e o desleixo com o esporte escolar – não havendo uma definição de quem o dirige e tendo até a intromissão do COB.

AVALIAÇÃO DO COB E ME – Depois da manifestação do presidente do COB, Nuzmann, lá mesmo em PEQUIM enaltecendo a participação do Brasil, afirmando a evolução do esporte brasileiro e registra conquistas inéditas em Pequim, na ABERTURA DO SEMINÁRIO DA LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE, em Brasília, O Ministro do Esporte , ORLANDO SILVA falou no recorde da delegação com a participação de 277 atletas, de 132 mulheres, na disputa de 32 modalidades. Disse que alcançar 15 medalhas, numa Olimpiada que teve uma China avalassadora, foi um bom desempenho e que o Brasil dobrou a presença em finais olímpicas.

O Ministro afirmou que o Brasil tem de estabelecer metas para as próximas olimpiadas e investir na infra-estrutura esportiva no Brasil. Tem que valorizar o planejamento e eficiência no uso de recursos Públicos.

No final o Ministro Orlando frisou “Temos que nos preocupar com o esporte como direito das pessoas, porque a formação de campeões é consequência dos campeões de vida. Por isso, o esporte é uma oportunidade. ( extraído do site do COB).

NOTA DO EDITOR - Certamente não ficaremos nestes escritos, pois o assunto ainda está em ebolição e exigirá uma posição por parte do GOVERNO e da ENTIDADE que abraça tudo no esporte neste país – COB – com o apoio das CONFEDERAÇÕES, que são dirigidas por pessoas de íntima relação com os mandatários do COB, que anunciaram em 1995 – Como diz o nosso colega JCRUZ, de Brasília, uma renovação do esporte brasileiro num prazo de 12 anos e já estamos com 13 anos e os resultados não foram os anunciados.

EM TEMPO – Li que os dirigentes do COB e ME falaram que a LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE será uma fonte de recursos para o novo ciclo olimpico, mas não era isso que disseram quando aprovaram a Lei. Lembro bem; “ A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE SERÁ A RENDENÇAÕ DO ESPORTE NO PAÍS” Balela, exigindo que a EMPRESA parceira do esporte tenha um LUCRO REAL de mais de 200 milhões anuais. Numa cidade como Santa Maria são raras e como o esporte comunitário e escolar irão se beneficiar com o favorecimento desta Lei, realmente a LEI SERVE PARA OS GRANDES, quando disse isso num SEMINÁRIO antes da aprovação da Lei em Brasília, me contestaram e o que se comprovou pois 30 MILHÕES foram para a PETROBRÁS legalizar o seu patrocínio com o COB.

domingo, 24 de agosto de 2008

OLIMPIADA: HORA DA AVALIAÇÃO DE PEQUIM ( I )

Nós produzindo no QG OLIMPICO

QG OLIMPICO DE SANTA MARIA

FIZEMOS NOSSA PARTE

Com a negativa do CONSULADO CHINÊS do Brasil para o nosso visto de JORNALISTA para a cobertura de PEQUIM, não deixamos de dar continuidade ao nosso projeto. Montamos uma estrutura no escritório da QUILISPORT e valendo-nos da Globalização, experiência de três Olimpíadas realizadas ( Barcelona, Atlanta e Sydney) realizamos o nosso trabalho interligado na INTERNET ( Blogs e Sites) e NET ( TVs).

Confessamos que abrimos esta avaliação da OLIMPIADA DE PEQUIM e junto a participação do BRASIL com muita tranqüilidade, porque temos como entendimento que as coisas em nossas vidas não acontecem por acaso – temos um DEUS que nos guia –Ele tem o TEMPO para TUDO.

A impossibilidade legal da não presença em PEQUIM não tirou o brilho de nosso trabalho e até podemos dizer que nos privilegiou, isto é lá éramos um em busca da informação por canais de comunicação ou presença viva em algum local de competição, Casa Brasil e contato com colegas jornalistas e aqui tivemos a oportunidade de fazermos uma compilação de informações em BLOG e SITES ( que não variavam muito, havia uma quase uniformidade nas informações, isto é textos praticamente iguais) mas nós como profissional de Educação Física e homem da Comunicação Esportiva, com dados sobre OLIMPÍADAS e algumas outras fontes, podíamos melhorar o nosso texto, incrementando mais informações.

Muitos momentos, até dávamos as informações antes dos próprios SITES, Como? – Com o acompanhamento das transmissões ao vivo, íamos elaborando a matéria, quando encerrava, dávamos os toques finais e colocávamos no nosso BLOG: www.saudepelapratica.blogspot.com e já lançávamos no cevleis@listas.cev.org.br , Tvvirtualfiep.com e Federação Internacional de Educação Física, além de alimentarmos alguns outros e-mails.

Podemos dizer que houve muita confusão, em termos da programação do horário das competições, pois até pelo fuso horário.

O Site oficial do COB não abriu link que pudéssemos dar retonro, enviar sugestões. Penso que com inovação do TIME BRASIL não foi tão eficiente assim.

Nós que em Pequim estaríamos acompanhando o que pudéssemos, mas faríamos uma cobertura mais em cima com o handebol, tivemos muitas dificuldades, pois o SITE da Confederação Brasileira de Handebol foi muito pobre de informações e a sua agência contratada como ASSESSORIA DE IMPRENSA não esteve à altura do Evento, praticamente se ausentou de informações. Um exemplo foi o doping com o atleta brasileiro, na fase final de treinamento, um pouquinho antes da OLIMPIADA. O que se tinha de informação era uma análise de cada jogo, mas colocado bem depois do jogo realizado.

Em termos de TV, demos algumas passadas por alguns canais, mas como a GLOBO estava com vários, evidente que nos valemos deles e acompanharam realmente todos os esportes, inclusive alguns em que não havia a presença do Brasil. E todos eles com narrador e comentaristas, muitos deles profissionais do esporte ou mesmo atletas e ex-atletas.

Permitam-nos agradecer a DEUS pela PAZ, pois todos os indícios pré-olimpíada eram fortes argumentos para a preocupação de problemas na segurança. Certamente alguns casos aconteceram, mas foram contornados e não tiraram o brilho desta gigante OLIMPIADA.

TECNOLOGIA – Indiscutivelmente é a palavra mais correta à OLIMPIADA. Iniciou pela solenidade de abertura, pela realização dos jogos e pelo encerramento. Ficou evidenciado. Essa tecnologia das instalações e a preparação dos treinamentos técnicos conjugados favoreceram para os VÁRIOS RECORDES na natação e atletismo.

Não constatei ao vivo, mas imagino e as fotos mostraram a beleza indescritível do PARQUE OLIMPICO com os conjuntos do NINHO DE PÁSSARO e TUBO D´ÁGUA.

RECORDES – Sabe-se que vai cada vez apertando as marcas em termos de tempos e metragem e parece que vai chegar ao LIMITE DO HOMEM, mas a cada Olimpíada, os recordes sucedem. E nesta foram evidenciados, principalmente na natação e um coube ao nosso brasileiro CESAR CIELO, nos 50 metros livres, com 21s30. Outro foi no atletismo, o do jamaicano BOLT, 100 m rasos, cravando 9.67 e parece que ainda com folga, pelo menos a movimentação de seus braços parecia determinar – aplaudem-me.

AVALIAÇÃO – Vamos começar a faze-la da realização da OLIMPIADA e da PARTICIPAÇÃO DO BRASIL. Aliás já está acontecendo, pois temos pela CEV-LEIS e FIEP recebido manifestações que estão sendo repassadas para um arquivo AVALIAÇÃO DA OLIMPIADA DE PEQUIM E DA PARTICIPAÇÃO DO BRASIL para que se tenha mais subsídos e se possa fazer um texto e apresentar, oportunamente, assim como também, faremos , no decorrer, dos dias o nosso, isto é na qualidade de profissional de Educação Física e Jornalista.

SAUDE PELA PRÁTICA – Informamos que já , neste domingo, iniciamos a preparar o nosso informe esportivo, que há 14 anos é veiculado, mensalmente, em 8 páginas, coloridas. Todo o seu espaço será dedicado a OLIMPIADA DE PEQUIM.

QLIMPIADA QUADRO DE MEDALHAS FINAL

Ranking Bandeiras Paises Ouro Prata Bronze Total
China China 51 21 28 100
Estados Unidos Estados Unidos 36 38 36 110
Rússia Rússia 23 21 28 72
Grã-Bretanha Grã-Bretanha 19 13 15 47
Alemanha Alemanha 16 10 15 41
Austrália Austrália 14 15 17 46
Coréia do Sul Coréia do Sul 13 10 8 31
Japão Japão 9 6 10 25
Itália Itália 8 10 10 28
10° França França 7 16 17 40
11° Ucrânia Ucrânia 7 5 15 27
12° Holanda Holanda 7 5 4 16
13° Jamaica Jamaica 6 3 2 11
14° Espanha Espanha 5 10 3 18
15° Quênia Quênia 5 5 4 14
16° Bielo-Rússia Bielo-Rússia 4 5 10 19
17° Romênia Romênia 4 1 3 8
18° Etiópia Etiópia 4 1 2 7
19° Canadá Canadá 3 9 6 18
20° Polônia Polônia 3 6 1 10
21° Hungria Hungria 3 5 2 10
- Noruega Noruega 3 5 2 10
23° Brasil Brasil 3 4 8 15
24° República Tcheca República Checa 3 3 0 6
25° Eslováquia Eslováquia 3 2 1 6
26° Nova Zelândia Nova Zelândia 3 1 5 9
27° Geórgia Geórgia 3 0 3 6
28° Cuba Cuba 2 11 11 24
29º Cazaquistão Cazaquistão 2 4 7 13
30° Dinamarca Dinamarca 2 2 3 7
31° Mongólia Mongólia 2 2 0 4
- Tailândia Tailândia 2 2 0 4
33° Coréia do Norte Coréia do Norte 2 1 3 6
34° Argentina Argentina 2 0 4 6
- Suíça Suíça 2 0 4 6
36º México México 2 0 1 3
37° Turquia Turquia 1 4 3 8
38° Zimbábue Zimbábue 1 3 0 4
39° Azerbaidjão Azerbaijão 1 2 4 7
40° Uzbequistão Uzbequistão 1 2 3 6
41° Eslovênia Eslovênia 1 2 2 5
42° Bulgária Bulgária 1 1 3 5
- Indonésia Indonésia 1 1 3 5
44° Finlândia Finlândia 1 1 2 4
45° Letônia Letônia 1 1 1 3
46° Bélgica Bélgica 1 1 0 2
- Estônia Estônia 1 1 0 2
- Portugal Portugal 1 1 0 2
- República Dominicana República Dominicana 1 1 0 2
50° Índia Índia 1 0 2 3