quarta-feira, 24 de novembro de 2010

OPINIÃO DE JCRUZ: MANUELA NO MINISTERIO DO ESPORTE

ESPECIAL PARA O BLOG
JORNALISTA JCRUZ DE BRASILIA OPINA
SOBRE MANUELA NO MINISTERIO DO ESPORTE
Solicitamos ao amigo e colega JCRUZ, de Brasília, um profissional que conhece tudo sobre a política esportiva, um comentário sobre o ME, muito especial sobre a designação de MANUELA para ser a Ministra
Obrigado JCRUZ e já está registrado

A deputada Manuela D´Ávila não é só uma gaúcha bonita, bem falante, simpática, que polariza atenções onde chega.
É, como parlamentar, uma deputada atuante, e que desde 2007 lidera a Frente Parlamenar do Esporte, formado por um grupo de deputados e senadores apartidários para oferecer apoio às boas iniciativas do governo nesse segmento. O resultado de seu trabalho refletiu-se nas urnas do Rio Grande do Sul, com 480 mil votos. Que tal?

Com esse perfil ela vai ao encontro do ministério que a presidente eleita, Dilma Rousseff, quer formar, com forte participação feminina.

E, melhor: Manuela é do PC do B, partido que conquistou o Ministério do Esporte em 2003, no primeiro governo Lula, quando nenhuma outra sigla se interessou pela pasta. Naquela ocasião, a própria deputada Vanessa Graziottim, agora eleita semadora pelo Amazonas, chegou a declarar que "o Esp orte é um ministério menor para a grandeza e história do Partico Comunista".

Mesmo assim, o PC do B foi para os comunistas que, hoje, não abrem mão de ali continuar, apesar de pressões de setores do PT.

Pois a tal pasta "menor" tornou-se maior, com orçamento de até R$ 2,6 bilhões, como ocorreu este ano. E é isso que a deputada Manuela terá que demonstrar eficiência, se vier a ser confirmada como tudo se encaminha. Isso porque o Ministério tem execução orçamentária precária, devido ao contingenciamento que o próprio governo federal promove anualmente, à falta de projetos de longo prazo e, principalmente, de gestores experientes nas contas públicas. Neste exercício, por exemplo, o Ministério do Esporte gastou em torno de 12% dos recursos disponíveis.

Mas nada se compara com o gigantismo do trabalho que a ainda deputada Manuela terá pela frente no que diz respeito a recuperar a imagem de lisura no Ministério do Esporte . A falta de pessoal para fiscalizar os projetos sociais - Segundo Tempo, Bolsa Atleta - e outros, como as aplicações da Lei de Inventivo ao Esporte, compromete o uso de boa parte dos recursos púbicos e a imagem de necessária transparência de um ministério que tem pela frente megaeventos internacionais.

De resto, ficam as expectativas para os rumos do atual ministro, Orlando Silva. Seu loby é forte para se tornar Autoridade Pública Olímpica - entidade que representará o governo nos projetos dos Jogos Rio 2016. No entando, o PMDB faz pressão para ocupar essa pasta, no rateiro que a presidente Dilma fará dos cargos. Isso porque o governador do Rio, Sérgio Cabral, tem interesse que o seu partido - parceiro do governo, no qual tem, inclusive, o vice-presidente da República - fique com o cargo.

Assim, Orlando, que foi fiel ao governo Lula, é jovem e tem prestígio na área do futebol, deverá ser o responsável pelo escritório do governo no Rio de Janeiro para fazer o meio campo com o Comitê Organizador da Copa 2014.

A análise é fiel e os nomes para os cargos ainda são resultado dos comentários que escuto nos bastidores da transião política de Brasilia. Mas tudo se encaminha para esse final feliz. Particularmente, acredito que a deputada Manuela possa começar a aquecer a água para servir o chimarrão no dia da posse, 1 de Janeiro. E que seja feliz no cargo que conquistou.
José Cruz

Nenhum comentário: