sábado, 23 de julho de 2011

OLIMPIADA 2012 - LONDRES

GIACOMINI COM INFORMAÇÕES

DA OLIMPIADA DE LONDRES

Nosso colaborador olímpico, colaborador, GIACOMINI, envia a tradução de um texto veiculado na BBC Sport em que mostra o exemplo de um atleta que trabalha duro para se tornar olímpico.

Foto BBC Sport - Oscar Pistorius


Oscar Pistorius promete trabalhar duro

para conquistar vaga olímpica

O sul-africano Oscar Pistorius, que teve duas pernas amputadas, diz que ficou atônito por ter quebrado a sua melhor pessoal nos 400m. Pistorius correu os 400m em 45.07 segundos, dentro o índice olímpico (isso mesmo, olímpico, e não para-olímpico) e quase meio segundo abaixo de sua melhor marca anterior.

O atleta de 24 anos agora vai competir no Mundial da Coréia do Sul no próximo mês. Pistorius vai se tornar o primeiro corredor amputado a competir em um Mundial de atletas não-deficientes, dando um grande passo no sentido de ser selecionado para os Jogos Olímpicos de Londres. Ele precisa correr dentro do padrão 'A' de tempo abaixo de 45,25 segundo duas vezes na próxima temporada de modo a cumprir os critérios de seleção do Comitê Olímpico Sul-Africano.

O presidente da "Athletics South Africa", James Evans, disse: "Agora ele sabe que pode conseguir, não há nenhuma razão para que ele não possa continuar conseguindo. (...) A forma como temos tratado Oscar foi sempre a mesma, não vamos fazer-lhe nenhum favor e não vamos fazer nada coisa contra ele. Ele será tratado como qualquer outro atleta."

A condição congênita significava Pistorius nasceu sem fíbulas - ossos inferiores da perna - e levou à decisão de amputar as duas pernas abaixo do joelho quando ele tinha 11 meses de idade.

Em 2008, Pistorius venceu uma batalha jurídica no contra a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) pelo direito de competir contra atletas não-deficientes. Até então IAAF recusava-lhe o direito por entender que suas próteses lhe propiciavam certa vantagem sobre os demais competidores. Após inúmeros testes, foram constatadas tanto pequenas vantagens como pequenas desvantagems na utilização de próteses comparado a utilização de pernas e tendões naturais, sendo que o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS-CAS) lhe garantiu o direito de competir contra atletas não-deficientes desde que fazendo uso da mesma prótese utilizada nos testes, deixando claro que essa decisão era "stricto sensu", valendo somente para o Pistorius usando aquele específico modelo de prótese.

Estamos diante de um belíssimo exemplo se superação tanto na esfera esportiva como na luta pela igualdade.

Fontes:

BBC - http://news.bbc.co.uk/sport1/hi/athletics/14222677.stm
TAS-CAS - Pistorius v IAAF CAS 2008/A/1480


Um grande abraço deste teu amigo e fique com Deus!

Angelo

Nenhum comentário: