segunda-feira, 31 de outubro de 2011

BLOG DIVULGA AÇÕES NO ESPORTE E ATIVIDADE FISICA

6º INTERCÂMBIO DOS PROFESSORES

DE EDUCAÇÃO FÍSICA SEM FRONTEIRAS

- FIEP BRASIL 2011
VISITA OFICIAL DE LA FIEP MUNDIAL

Nossos colegas, coordenados pelo ALMIR e BAGATINI, do projeto PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA SEM FRONTEIRAS estarão de 11 a 26 de novembro em 4 cidades do México.

Os dados que seguem foram retirados do blog da ROSINHA, de Belém:


ESPECIAL MÉXICO:

Período: 11 a 26/Novembro/ 2011

Cidades:

Ciudad del México (Capital),

Vera Cruz (Xalapa),

Tlaxcala (Tlaxcala)

San Luis Potosi (SLP)


Dia: 11/Nov (viernes) Salida de São Paulo – Guarulhos (Brasil)

a las 09:23 llegar las 15:00 em la Ciudad de México

Día de llegada: 11/Nov, por La tarde em Ciudad de México.

Dia; 12/Nov - Ciudad del México (Capital),- Del. Gwendoline

Dia: 16/Nov - Vera Cruz (Xalapa), Del. José Yepez (Del General em México),

Dia: 19/Nov. - Tlaxcala Del. Ms. Arnulfo

Dia: 22/Nov. San Luis Potosi (SLP) Del. José Resendiz y Manuel Guerrero (Vice Presidente)

15º Congreso Internacional da La FIEP (23 AL 26/NOV)

Volver a Brasil dia: 26/ Nov.(sábado) las 17:25 h salir de la de Ciudad de México. Llegar em Brasil a las 06:55 (São Paulo)


DELEGACIÓN DEFINIDA PARA MÉXICO

Nombres: Temas:

Almir Gruhn Palestra Tema: O que é a FIEP e suas ações

Vilson Bagatini Ministra o curso de Psicomotricidade

Nelson Schavalla Ministra o curso de Tchouk Ball – O Jogo da Paz;

Sônia Bordim Ministra o curso de Nutrição Desportiva para SALUD y Deportes

Leonor Araujo Ministra curso Educação Física Escolar

Rosa Costa Ministra o curso de Atividades Recreativas e Danças Folclóricas

Julimar Pereira Ministra curso de Avaliações Fisiológicas na Academia, Escola e Futebol

Sabrina Jorge Ministra o curso de Recreação em hotéis e espaços de lazer


OBJETIVOS:

1) Visita 4 Región de México: 1 º) Ciudad México, 2 º) Vera Cruz, 3) Tlaxcala, 4) San Luis Potosí

2) Visitas em Instituciones de educación física, instalaciones deportivas y entidades deportivas;

3) Reunión con representantes dela FIEP y los profesores interesados;

4) El intercambio de información estructural de Ed Física y conocer el sistema de Deportes;

5) Conocer la cultura, el folclore, y las visitas; Ruinas Del México;

6) Dando charlas a profesores y estudiantes de Educación Física y realizar mini-cursos;

7) Difundir el Manifiesto Mundial de la FIEP y CONFEF;

8) Introducir material de divulgación de la FIEP.

9) Informar los principais eventos de FIEP

10) La participación en el 15º Congreso Internacional en San Luis Potosí

Hasta la vista... nos vemos en Mexico!!!

Prof.. Almir Adolfo Gruhn - Vilson Bagatini Coordenadores

domingo, 30 de outubro de 2011

PAN DE GUADALAJARA AVALIADO PELO COB



Guadalajara 2011
Time Brasil alcança meta de classificação para Londres 2012 e consolida patamar de resultados alcançados no Rio 2007
30.10.2011 :: 16h52

O Time Brasil alcançou nos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011 a meta estipulada pelo Comitê Olímpico Brasileiro para o evento. Empenhado em classificar atletas para Londres 2012, o Brasil garantiu 24 das 93 vagas disputadas, o que representa 26% do total. O país obteve ainda a sua melhor participação em edições de Pan-americanos fora de casa, ao conquistar 141 medalhas, sendo 48 de ouro, 35 de prata e 58 de bronze. Esse resultado supera o desempenho em Santo Domingo 2003, quando o Brasil somou 123 medalhas (29 de ouro, 40 de prata e 54 de bronze). Nos Jogos Rio 2007, foram 157 medalhas, sendo 52 de ouro, 40 de prata e 65 de bronze. Além disso, o 2º. lugar no quadro total de medalhas e o 3º. lugar pelo número de medalhas de ouro consolidam o Brasil entre os três melhores países do esporte nas Américas.

"Este resultado em Guadalajara é importantíssimo por vários aspectos e demonstra a evolução permanente e consolidada do esporte olímpico brasileiro. Já estamos colhendo os frutos da transformação iniciada com os Jogos Rio 2007, que seguem o nosso planejamento conjunto com as Confederações Brasileiras Dirigentes de Esportes Olímpicos rumo aos Jogos Rio 2016", afirmou o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, que viajou de Guadalajara, na última quinta-feira, para Lausanne, na Suíça, onde participa de reuniões com o Comitê Olímpico Internacional e de um seminário sobre candidaturas olímpicas.

O presidente do COB destacou também que o desempenho do Time Brasil em Guadalajara é ainda mais relevante por ter sido alcançado num cenário de disputa mais acirrada em todas as modalidades. "As conquistas refletem os investimentos crescentes do COB e das Confederações para elevar a qualidade da estrutura de treinamento, de suporte e de competição oferecida aos atletas, entre os quais podemos citar a contratação de técnicos estrangeiros, a aquisição de equipamentos de nível olímpico e a formação de equipes multidisciplinares da ciência do esporte", afirmou Nuzman. "Parabenizo as Confederações Brasileiras, seus atletas e técnicos, e toda a Missão do COB pelos resultados e pelo trabalho realizado", completou.

A participação do Time Brasil no Pan 2011 foi detalhada neste domingo, dia 30, pelo superintendente executivo de esportes do COB, Marcus Vinícius Freire, e pelo chefe da Missão Brasileira, Bernard Rajzman, em apresentação no Centro de Imprensa de Guadalajara. "Nossa prioridade aqui era conquistar vagas para os Jogos Olímpicos e, com os resultados obtidos, o Time Brasil já conta com um total de 104 atletas de 13 esportes garantidos em Londres 2012. O desafio agora é classificar mais atletas nos torneios qualificatórios que virão pela frente", ressaltou Freire. As 24 vagas conquistadas pelo Brasil em Guadalajara foram nas seguintes modalidades: pentatlo moderno (01), hipismo CCE (05), handebol feminino (14), triatlo (01), canoagem (02) e saltos ornamentais (01), vaga esta que o Brasil ainda luta para confirmar junto à Federação Internacional de Natação. "A vaga é do país e, como o México, - ouro e prata no trampolim 3m - já estava classificado para Londres, entendemos que o bronze do Cesar Castro vale a vaga para os Jogos Olímpicos", explicou Marcus Vinícius.

Já Bernard Rajzman destacou a estrutura montada pelo COB no Pan de 2011. "O Time Brasil está de parabéns. Fomos uma delegação unida, harmoniosa e, sobretudo, vitoriosa. Oferecemos aos nossos atletas e comissões técnicas a melhor estrutura entre todas as delegações na Vila Pan-americana", afirmou o Chefe da Missão, ressaltando que as equipes que ficaram nas outras sub-sedes dos Jogos, Guzman e Puerto Vallarta, também contaram com excelente suporte. "Estamos no caminho certo, ao investir cada vez mais na qualidade da estrutura de treinamento e de competição para os atletas. Isso faz toda a diferença e se traduz em melhores resultados e medalhas", reforçou Bernard.

O Time Brasil reuniu no Pan 2011 um total de 804 integrantes, sendo 515 atletas (280 no masculino e 235 no feminino). Foram 199 membros de comissões técnicas e somente a área médica contou com 39 profissionais de diversas especialidades. O COB inovou em Guadalajara ao contar na Missão com um time de Ciência do Esporte - 10 profissionais de bioquímica, fisiologia, vídeo análise e nutrição, entre outros. "Nossa meteorologista teve papel chave em Puerto Vallarta. Suas orientações contribuíram para a conquista de sete medalhas pela vela", destacou Marcus Vinicius, lembrando ainda o moderno recurso de telemedicina utilizado pela equipe médica da Missão no atendimento da atleta Jaqueline, do vôlei, acidentada após choque com a companheira Fabi, durante um jogo, em 15 de outubro.

"Realizamos seis viagens precursoras a Guadalajara, nos últimos dois anos, o que nos possibilitou definir com antecedência e qualidade a estrutura para o Time Brasil", explicou o superintendente do COB, A aclimatação dos atletas foi realizada em cinco cidades diferentes: San Luiz Potosí (Clube Esportivo La Loma), Cidade do México, Guzman, Puerto Vallarta e Colorado Springs (EUA). "A aclimatação na altitude foi fundamental para os excelentes resultados alcançados pela natação, atletismo e triatlo", ressaltou.

O valor investido pelo COB na Missão Brasileira para Guadalajara 2011 foi de cerca de R$ 8,5 milhões - montante que considera despesas de logística e operação de toda a Missão e as viagens precursoras.

Na melhor participação em Jogos Pan-americanos fora de casa, 277 dos 515 atletas do Time Brasil conquistaram medalhas, o que representa percentual de 54% do total de atletas.

Nos esportes coletivos, o aproveitamento em Guadalajara foi de 73% com a conquista de medalhas no handebol feminino e masculino, vôlei feminino e masculino, futebol feminino e pólo aquático feminino e masculino. Três esportes mantiveram o número de medalhas do Rio 2007: natação, atletismo e judô . Já cinco modalidades superaram o Rio 2007: tiro esportivo, ginástica artística masculina, ginástica rítmica, levantamento de peso e triatlo.. O COB fará uma avaliacao individual com cada Confederação sobre os resultados obtidos por cada modalidade em Guadalajara.

"O desempenho do Time Brasil foi excelente. Hoje, a disputa entre o segundo e o quinto lugares na classificação geral dos Jogos Pan-americanos está cada vez mais acirrada, entre Brasil, Cuba, Canadá e México. A distribuição das medalhas está mais pulverizada", observou o superintendente de esportes do COB, ao ressaltar que a ascensão de Argentina, Colômbia e Venezuela tornará esse quadro ainda mais competitivo.

Outro destaque importante foi a atuação dos integrantes do Time Rio, projeto idealizado pela Prefeitura do Rio, que apoia financeiramente 13 atletas de oito modalidades, visando à conquista de medalhas em Londres 2012. Dos nove competidores do Time Rio em Guadalajara, oito conquistaram medalhas: Kaio Márcio (natação), Rosângela Santos (atletismo), Julio Almeida (tiro esportivo), Diego Hypólito (ginástica), Ricardo Winicki (vela), Cesar Castro (saltos ornamentais), Rafalea Silva (judô) e Nivalter Santos (canoagem). "Esses resultados demonstram o sucesso desse projeto, e vamos trabalhar para que seja replicado em outras cidades do país", destacou Marcus Vinicius.

Confira outros fatos marcantes

do Time Brasil em Guadalajara:

Atletismo
10 medalhas de ouro, uma a mais do que no Rio 2007. Mesmo número no total: 23

Maratona feminina - medalha de ouro e recorde pan-americano

Salto em distância - Maurren Maggi - melhor marca pessoal do ano (6,94m) e a conquista do tricampeonato pan-americano

Heptatlo - Lucimara Silvestre - estabelecido o novo recorde sul-americano (6.133 pontos)

100m feminino - Rosângela Santos - o Brasil não vencia essa prova desde 83

Salto com vara - A marca de Fabiana Murer (4,70m) foi de nível mundial

200m feminino - Ana Claudia Lemos foi a primeira atleta do país a vencer a prova

Revezamentos 4x100m masculino e feminino - os tempos obtidos pelo Brasil (32s85 mas e 38s18 fem) colocariam o país nas finais olímpicas

Badminton
Medalha inédita no individual - Bronze de Daniel Paiola, após temporada de sete meses na Malásia custeada pelo COB.

Canoagem
Medalha de prata e conquista da vaga olímpica no C2 1000m

Esgrima
Bronze por equipes no florete - Desde 1975 o Brasil não conquistava uma medalha por equipe nos Jogos Pan-americanos.

Ginástica Artística
Primeira medalha de ouro por equipe masculina
Diego Hypólito - ouro no salto e no solo. Bicampeão nas duas provas

Ginástica rítmica
Conjunto - três ouros em três provas. Tetracampeonato pan-americano no conjunto geral com uma equipe renovada.
Individual - 4 medalhas (1 prata e 3 bronzes) para Angélica Kvieczynski
Total de 7 medalhas (3 ouros, uma prata e 3 bronzes) - Desempenho melhor do que no Rio 2007

Ginástica trampolim
Medalha inédita no individual masculino - Prata de Rafael Andrade

Handebol feminino
Medalha de ouro, tetracampeonato e a conquista da vaga olímpica

Hipismo CCE
Medalha de bronze e a conquista da vaga olímpica

Lutas associadas
Conquista de duas medalhas femininas - Aline Ferreira (prata) e Joyce Silva (bronze)

Judô
6 medalhas de ouro - Melhor participação da modalidade na história. O recorde anterior era de 5 ouros. Todos no masculino. 13 medalhas no total. Só não conquistou medalha em uma categoria.

Levantamento de Peso
Ouro inédito e recorde pan-americano com Fernando Reis Saraiva

Karatê
Lucélia Ribeiro - tetracampeã - mulher brasileira com mais ouros na história do Pan

Natação
24 medalhas e 16 recordes pan-americanos
Thiago Pereira - 12 ouros - brasileiro com mais medalhas de ouro na história do Pan
Cesar Cielo - 2º melhor tempo do ano nos 100m livre (48s89)
Natação feminina - surgimento de uma nova velocista: Graciele Hermann, medalha de prata nos 50m livre)

Patinação Artística
Tricampeonato de Marcel Sturmer

Pentatlo Moderno
Yane Marques conquistou a medalha de prata e a vaga olímpica

Remo
Fabiana Beltrame - prata no single skiff peso leve - 1ª medalha feminina na história do Pan

Tênis de mesa
Hugo Hoyama conquistou sua 10ª medalha de ouro na história do Pan

Tiro Esportivo
Julio Almeida - primeiro atleta a conquistar duas medalhas nos mesmos Jogos
Ana Luiza Ferrão Mello - primeira medalha feminina de ouro do tiro esportivo na história do Pan e a obtenção do recorde pan-americano
Melhor desempenho do que no Rio 2007

Triatlo
Medalha de ouro de Reinaldo Colucci e a conquista da vaga olímpica

Vela
7 medalhas em 9 classes, sendo 5 de ouros - Melhor desempenho do que no Rio 2007
Destaque para Patrícia Freitas (RS:X) e Sunfish, que conquistaram a medalha de ouro antes da Medal Race

Voleibol
100% de aproveitamento. Ouro no masculino e no feminino

Vôlei de praia
100% de aproveitamento. Ouro no masculino e no feminino

DO COB

PAN 2011 EM GUADALAJARA

Solonei nosso ouro na maratona, no último dia (foto TERRA)

MARATONA DÁ OURO

É A ULTIMA MEDALHA DO BRASIL

Como havia acontecido no início da competição, o Brasil largou com ouro, com ROSANGELA na Maratona feminina, o nosso SOLONEI fecha as medalhas brasileiras, com ouro na MARATONA. ESTADOS UNIDOS ficou em primeiro, CUBA em segundo, BRASIL em terceiro, MÉXICO em quarto e CANADÁ em quinto.

Veja como ficou o quadro.


Solonei Silva fecha participação brasileira com ouro na maratona

O atletismo fechou com medalha de ouro sua participação nos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011. No último dia de disputas na cidade mexicana, neste domingo, dia 30, Solonei Silva venceu a maratona masculina em 2h16m37s, garantindo o 48º ouro do país na competição. O outro brasileiro na prova, Jean Silva, chegou em nono, com 2h22m41.

A Colômbia completou o pódio da maratona. Diego Alberto Colorado ficou com a medalha de prata, com 2h17m13s, e Juan Carlos Cardona, com o bronze, com 2h18m20s.

Com o resultado alcançado por Solonei, o Brasil manteve a hegemonia na maratona masculina, com quatro títulos consecutivos. Vanderlei Cordeiro de Lima venceu em Winnipeg 1999 e Santo Domingo 2003, enquanto Franck Caldeira cruzou em primeiro no Rio 2007. Em Guadalajara, a equipe brasileira já havia conseguido o ouro na maratona feminina, com Adriana da Silva.

Foi também a melhor participação do atletismo brasileiro em Jogos Pan-americanos. No total, o país conquistou 10 ouros, seis pratas e sete bronzes, superando o Rio 2007, quando havia conseguido nove, cinco e nove.


QUADRO ATUAL



Estados Unidos 92 79 64 235
2 [CUB] Cuba 58 35 43 136
3 [BRA] Brasil 48 35 58 141
4 [MEX] México 42 40 50 132
5 [CAN] Canadá 29 40 49 118
6 [COL] Colômbia 24 25 35 84
7 [ARG] Argentina 21 18 35 74
8 [VEN] Venezuela 12 27 33 72
9 [DOM] República Dominicana 7 9 17 33
10 [ECU] Equador 7 8 9 24
11 [GUA] Guatemala 7 3 5 15
12 [PUR] Porto Rico 5 8 8 21
13 [CHI] Chile 2 17 24 43
14 [JAM] Jamaica 1 5 1 7
15 [BAH] Bahamas 1 1 1 3
16 [CAY] Ilhas Cayman 1 1 1 3
17 [AHO] Antilhas Holandesas 1 0 1 2
18 [CRC] Costa Rica 1 0 0 1
19 [URU] Uruguai 0 3 2 5
20 [PER] Peru 0 2 5 7
21 [TRI] Trinidad e Tobago 0 2 2 4
22 [SKN] São Cristóvão e Neves 0 2 0 2
23 [ESA] El Salvador 0 1 0 1
24 [BAR] Barbados 0 0 2 2
25 [BOL] Bolívia 0 0 2 2
26 [PAR] Paraguai 0 0 2 2
27 [DMA] Dominica 0 0 1 1
28 [GUY] Guiana 0 0 1 1
29 [PAN] Panamá 0 0 1 1


Todos os demais países não fizeram medalhas
30 [ANT] Antígua e Barbuda 0 0 0 0
31 [ARU] Aruba 0 0 0 0
32 [BIZ] Belize 0 0 0 0
33 [BER] Bermudas 0 0 0 0
34 [GRN] Granada 0 0 0 0
35 [HAI] Haiti 0 0 0 0
36 [HON] Honduras 0 0 0 0
37 [ISV] Ilhas Virgens 0 0 0 0
38 [IVB] Ilhas Virgens Britânicas 0 0 0 0
39 [NCA] Nicarágua 0 0 0 0
40 [LCA] Santa Lúcia 0 0 0 0
41 [SUR] Suriname 0 0 0 0
42 [VIN] São Vicente e Granadinas 0 0 0 0
NOTA DO EDITOR


O PAN acabou, teremos a solenidade de encerramento. ESTADOS UNIDOS tranquilão na ponta chegou a 235 medalhas, sendo 92 ouro, 79 prata e 64 bronze. CUBA ficou em segundo lugar, com 58 ouro, 35 prata e 43 bronze, total: 136 medalhas; Terceiro lugar ficou o BRASIL, com 141 medalhas, sendo 48 ouro, 35 prata e 58 bronze; Quarto lugar ficou México com 132 medalhas, com 42 ouro, 40 prata e 50 bronze e QUINTO lugar ficou CANADÁ, com 29 ouro,4o prata e 49 bronze, total com 118 medalhas.


O BRASIL conseguiu depois dos ESTADOS UNIDOS, CUBA, CANADÁ chegar a QUARTO LUGAR no QUADRO GEARAL DE MEDALHAS de todos os PANS, estava atrás da ARGENTINA, por 17 medalhas e agora no PAN DE GUADALAJARA, o Brasil colocou 26 medalhas acima da Argentina.

AMIGOS, desculpa se a cobertura não foi mais eficiente, pois tivemos carências de informações do MEXICO, valemo-nos mais dos sites TERRA, COB e PHOTOEGRAFIA e também da RECORD, que sózinha fez a cobertura, e por extensão não cobriu tudo, mas foi bem.

OBRIGADO SENHOR PELA OPORTUNIDADE.

(CLERY - EDITOR)




PAN 2011 EM GUADALAJARA

VOLEIBOL MASCULINO TAMBÉM

DEU OURO PARA O BRASIL

Como aconteceu com o feminino e os voleibol de praia masculino e feminino, ontem o masculino não mandou CUBA pelo escore 3x1.


(Foto site do COB) Crédito: Washington Alves / Inovafoto / COB

A seleção brasileira masculina de vôlei não tomou conhecimento de Cuba e venceu o rival por 3 a 1 (25/11, 24/26, 25/18 e 25/19), conquistando seu quarto título em Jogos Pan-americanos - havia vencido também em São Paulo 1963, Caracas 1983 e Rio 2007). A partida, que teve todos os ingredientes de final de campeonato, foi disputada na noite deste sábado, dia 29, no Complexo Pan-americano de Voleibol. No final, prevaleceu a maior categoria do time brasileiro, que ficou com a medalha de ouro de Guadalajara 2011.
A equipe brasileira contou, mais uma vez, com o apoio da torcida mexicana, em que pese a derrota para a Argentina na disputa da medalha de bronze, na preliminar. Envolvido pelo clima favorável e explorando as falhas do adversário, o Brasil não deu chance para Cuba no primeiro set. Abriu logo vantagem no placar e, apesar da incrível potência do ponteiro Hernandez na saída de rede, comandou o marcador o tempo todo e fechou o primeiro set de forma tranquila: 25 a 11, em 18 minutos.
O segundo set foi mais equilibrado. Enquanto os cubanos melhoraram o bloqueio, os brasileiros apresentavam erros de ataque. O técnico brasileiro Rubinho fez seu primeiro pedido de tempo quando o placar estava 8 a 6 para Cuba. A catimba cubana também entrou em quadra, quando Hierrezuelo cravou uma bola de segunda e foi provocar a torcida brasileira. O levantador Bruninho deu o troco com uma "deixadinha". Com uma sequencia de quatro saques de Thiago Alves, o Brasil empatou o set em 23 a 23 e o final ficou eletrizante. Mas Cuba fechou em 26 a 24 em 27 minutos.
Ninguém conseguia abrir vantagem significativa no terceiro set. Brasil e Cuba se revezavam nos pontos, com erros de saque de ambos os lados. O levantador Bruninho reclamou de um ponto não marcado pelo árbitro principal e foi advertido verbalmente. Rubinho colocou em quadra Wallace Martins para aumentar a estatura da equipe. No ataque do próprio Wallace, o Brasil fechou o terceiro set por 25 a 18, em 22 minutos.
O quarto set mostrou um Brasil determinado a fechar o jogo sem dar chances aos cubanos para levar a partida ao tie-break. Mesmo jovens, os jogadores brasileiros mostraram maturidade em quadra para não se deixar vencer pelo nervosismo. Gustavo Endres engatou uma sequência de três saques e levou o Brasil a 13 a 9. Em 21 minutos, o time fechou o quarto set por 25 a 19, ratificando a hegemonia do vôlei brasileiro nas Américas.
Feliz, após a conquista de mais um título, o levantador Bruno contou que já esperava um jogo equilibrado. "A gente sabia que seria difícil. Fizemos a melhor partida do campeonato, justamente na final. O time entrou focado e revivemos o Mundial do ano passado, quando também saímos com a vitória. Eu me senti muito bem nesse grupo. A gente sempre quis muito a medalha. Todo o sacrifício valeu a pena. É muito bom reviver a emoção de ouvir o hino nacional no pódio", comentou Bruno, que fez questão de dividir a vitória não somente com os jogadores e a comissão técnica, mas com toda a torcida brasileira, que enviou várias mensagens de apoio pelas redes sociais.
Mesmo o experiente meio-de-rede Gustavo, já acostumado à conquista de títulos importantes, ficou empolgado com a trajetória brasileira em Guadalajara. "Esse gostinho de vitória é indescritível. Esse grupo nos dá um orgulho enorme. Essa garotada é de ouro. Tenho o maior orgulho de participar com eles dessa conquista. A gana que o pessoal tem de ganhar, de pular em cada bola... Isso tudo é maravilhoso. Todo mundo trabalhando junto em busca das vitórias", disse.
Já o ponteiro Lipe, um dos novatos do grupo, destAcou que esse foi o título mais importante que conquistou. "Esse é o melhor momento da minha carreira. É emocionante demais. A gente mereceu muito esse título. Agora é hora de comemorar", declarou, lembrando que o time do Brasil não é formado de apenas seis jogadores, mas de 12.
Outro integrante da nova geração do vôlei brasileiro, o oposto Wallace de Souza era um dos mais felizes com a conquista do ouro em Guadalajara. "A ficha não caiu ainda. Nem esperava jogar o Pan e agora estamos aqui comemorando o título. Mas a gente mereceu. O trabalho foi bem feito. Tudo é resultado da força do conjunto. Para conseguirmos a vitória, precisámos de um bom passe, do bloqueio. Agradeço ao pessoal que me acolheu tão bem na seleção", finalizou.

BLOG DIVULGANDO EVENTOS SOCIAIS E DO ESPORTE

A MAIOR FESTA DE INTEGRAÇÃO
DOS COMERCIÁRIOS DE SANTA MARIA


O SINDICATO DOS COMERCIÁRIOS DE SANTA MARIA mantém a tradição de anos , com a presidência do dinâmico ROGÉRIO, organiza anualmente no final do mês de outubro, uma verdadeira festa de integração dos comerciários. Neste ano, contou com a presença de PEDRO SACCOL, gerente do SESC de Santa Maria. O local da festa, nos últimos anos, tem sido o CASUSA, em Camobi, quando aproximadamente 1 mil pessoas jantam (super cardáio MAAB), fazem amizade e tem sorteio de vários brindes oferecidos pelas lojas locais. A culminância é um dancing.


Nosso blog fez o registro. Está em fotos e texto.



Rogério lê uma mensagem de otimismo
Público atento aguarda as manifestações

Rogério toma conta da festa, faz uma comunicação fluente

Uma vista dos comerciários no ginásio do CASUSA








Integrantes da diretoria SEC baixando os prêmios


Integrantes do Sindicato e os prêmios



Sorteio das mesas para iniciar o jantar, às 22h.



Inicia o jantar pela cor amarela


INICIA A ENTREGA DA PREMIAÇÃO DA 3A. COPA COMERCIÁRIA DE SANTA MARIA, realização do SINDICATO e o apoio do SESC , com a presença do gerente do SESC de Santa Maria, PEDRO SACCOL.



Futsal, campeões ITAIMBÉ AUTOMÓVEIS



ROGERIO, PEDRO do SESC, GILMAR, organizador da competição com a equipe campeã de futsal, LOJA POMPÉIA.



Futebol Sete, campeã FELICE MOTOS/MEDPLUS


RANCHO ALEGRE, campeão da Bocha


Voleibol Feminino, campeã Itaimbé Automóveis



Vera Lúcia, no primeiro sorteio, ganha um forno elétrio


Franciele Santos, pela COELHINHO BORRACHA, ganha um micro-ondas.



3a. COPA COMERCIÁRIA DE SANTA MARIA


Foi realizada no período de agosto a outubro, teve 56 equipes assim distribuídas:20 futsal masculino, 20 futebol sete masculino,4 futsal feminino, 9 bocha trio e 2 no voleibol feminino. Foram 634 atletas inscritos. A coordenação, mais uma vez, esteve a cargo de GILMAR ANTUNES, do SEC e contou com o apoio do SESC, através de Flávio Dias.


Para o organizador GILMAR, a COPA consolida-se, pois tem sido realizada com boa participação e marcado pela camaradagem que o esporte proporciona. Finaliza Gilmar: " Certamente a COPA será uma das atividades da FESTA DO COMERCIÁRIO, uma proposta da atual Administração, coordenada pelo nosso presidente Rogério."



NOTA DO EDITOR


Para nós que convivemos com o esporte, além de profissional de Educação Física e jornalista, na COMUNICAÇÃO ESPORTIVA, não temos dúvidas de que o SINDICATO, comandado pelo dinâmico ROGÉRIO e o esporte com o GILMAR, nosso colega do Conselho Municipal de Esportes e Lazer -CMEL, está sendo dado um exemplo as demais categorias profissionais de Santa Maria. Também queremos destacar o SONHO DE ROGÉRIO, ter o SINDICATO o seu ginásio para esportes e também para a festa anual da categoria comerciária de Santa Maria.


ROGERIO, GILMAR, demais integrantes da diretoria e comerciários estamos torcendo para que tenhamos essa concretização. Vibramos com vocês.
(CLERY - EDITOR)





PAN 2011 EM GUADALAJARA

Kidatai o sexto ouro do judô do Brasil

BRASIL DEVE FICAR EM

TERCEIRO LUGAR GERAL


A briga pelo segundo lugar, deve ter acabado, pois CUBA deve ficar mesmo. No final da noite de ontem - é quase 1 hora deste 30 de outubro, último dia do PAN - Cuba chegou a 58 medalhas de ouro e o Brasil fica em 46 e lhe segue México com 41 medalhas, que passou Canadá. No sábado, o Brasil só fez uma medalha de ouro com Kitadai no judõ.
Kitadai ouro no judô
O recorde saiu apenas no duelo de encerramento do programa de judô dos XVI Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011. Mas veio. A vitória de Felipe Kitadai sobre o mexicano Nabor Castillo na final da categoria -60kg, neste sábado, dia, no Ginásio CODE II, deu a sexta medalha de ouro ...


ATUAL QUADRO

Pos País Ouro Prata Bronze Total
1 Estados Unidos 92 79 63 234
2 Brasil 46 35 58 139
3 Cuba 58 34 43 135
4 México 41 38 50 129
5 Canadá 28 40 49 117
6 Colômbia 24 23 33 80
7 Argentina 21 18 35 74
8 Venezuela 12 27 33 72
9 Chile 2 17 24 43
10 República Dominicana 7 9 17 33
11 Equador 7 8 9 24

sábado, 29 de outubro de 2011

PAN 2011 EM GUADALAJARA

RICKY MARTIN

FESTA DO ENCERRAMENTO DO PAN

Ricky Martin é maior atração da cerimônia de encerramento dos Jogos de Guadalajara

No último dia dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, a principal atração fica por conta da cerimônia de encerramento da competição, marcada para a meia-noite (de Brasília) da madrugada de domingo para segunda-feira. O cantor de maior renome entre os que se apresentarão na festa, que terá acompanhamento ao vivo do Terra diretamente do Estádio Omnilife, é o portorriquenho Ricky Martin.


O evento, cuja cerimônia de abertura foi organizada na mesma arena em 14 de outubro, distribuirá mais três medalhas de ouro neste domingo. A maior chance de o Brasil aumentar seu número de pódios é na maratona, prova que será disputada a partir das 12h30 (de Brasília) contando com Jean da Silva e Solonei Silva. A Seleção nacional de rúgbi também entrará em ação, disputando as quartas de final a partir das 13h. Outro destaque do dia é a decisão do basquete masculino às 17h.

Confira todos os eventos que o Terra exibirá neste domingo (horários de Brasília):

12h30 - 15h30: atletismo
- maratona masculina - final

13h - 14h40: rúgbi masculino
- quartas de final

14h30 - 17h: basquete masculino
- decisão do bronze

16h - 16h50: rúgbi masculino
- semifinais

17h - 19h30: basquete masculino
- decisão do ouro

18h30 - 19h: rúgbi masculino
- decisão do bronze

19h - 20h: rúgbi masculino
- decisão do ouro

0h - 02h: cerimônia de encerramento

PAN 2011 EM GUADALAJARA

DECIDIDAMENTE CUBA GANHA

SEGUNDO LUGAR

NO QUADRO GERAL DE MEDALHAS

Brasil depois de liderar o quadro geral de medalhas, em segundo lugar, ESTADOS UNIDOS sempre disparou na frente, desde os primeiros dias, nos últimos dois dias de PAN, caiu para CUBA que passou o BRASIL e muito bem. Nessas alturas, entregamos as fichas, mas ainda com o nosso prognóstico certo.

Pois sempre dizíamos que o BRASIL lutariam de segundo a quarto com Cuba, Canadá e Mèxico (país sede) e não deu outra.

Quase acabando o PAN, o quadro de medalhas é este:

E como contentamento, o BRASIL passa a ARGENTINA, na contagem geral de medalhas de ouro na história dos 16 PANS, pois a diferença era de 17 medalhas e hoje o BRASIL supera a ARGENTINA com 26 medalhas, portanto já passou 9 medalhas de ouro da ARGENTINA.


QUADRO ATUAL


1 [USA] Estados Unidos 87 77 59 223
2 [CUB] Cuba 53 32 42 127
3 [BRA] Brasil 45 31 54 130
4 [MEX] México 39 35 49 123
5 [CAN] Canadá 28 36 49 113
6 [COL] Colômbia 24 23 32 79
7 [ARG] Argentina 19 18 33 70
8 [VEN] Venezuela 12 27 31 70
9 [GUA] Guatemala 7 3 5 15
10 [DOM] República Dominicana 6 7 17 30

SAUDE PELA PRÁTICA TAMBÉM NO BLOG DA ROSINHA

JORNAL SAUDE PELA PRÁTICA

ESTÁ NO BLOG E TAMBÉM NO DA ROSINHA

No dia de hoje, sábado, dia 29 de outubro, o INFORME ESPORTIVO SAUDE PELA PRATICA, mês de novembro, graças a colaboração da colega ROSINHA de Belém, já está no nosso blog,assim como também no Blog da ROSINHA: BLOG: http://edfisicasemfronteiras.blogspot.com


O trabalho da colega ROSINHA foi feito em Maiami, já que a Rosinha retorna de uma jornada na sua especialidade feita no México. Pasmem, a menina não para no dia 14 de novembro, ele retorna, juntamente com o projeto PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA SEM FRONTEIRAS, para a participação em 4 cidades mexicanas, com a coordenação dos professores, o presidente ALMIR e o nosso gaúcho BAGATINI.


PAN 2011 EM GUADALAJARA

Foto Site TERRA

NOSSO MENINOS GANHARAM

MAIS UMA MEDALHA DE BRONZE


Os irmãos GIVAGO e GILVAN, santa-marienses, que haviam ganho medalha de bronze no K-4 1000 m com Nelson e Roberto, foram ontem no K2 200m, novamente bronze, chegando um pouquinhoa atrás dos argentinos e canadenses.

Eis a nota do COB:


Nivalter é prata
Gilvan e Givago, bronze
Nivalter de Jesus, no C1 200m, e os irmãos Gilvan e Givago Ribeiro, no K2 200m, conquistaram mais duas medalhas para a canoagem brasileira nos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011 neste sábado, dia 29, último dia de disputa na Lagoa Zapotlán el Grande, em Ciudad Guzmán. Se a prata teve gosto amargo para Nivalter, que ficou sem a vaga olímpica por 286 centésimos, o bronze de Gilvan e Givago foi comemorado como uma verdadeira vitória: foi a primeira medalha dos irmãos em uma competição internacional.

Com as duas conquistas deste sábado, o Brasil encerra sua campanha na modalidade com duas pratas, dois bronzes e uma vaga olímpica, no C2 1000m, graças à segunda colocação de Erlon Silva e Ronilson de Oliveira. O país já havia conquistado o bronze no K4 1000m.

A vaga para Londres havia escapado das mãos de Nivalter por muito pouco durante o Campeonato Mundial, disputado na Hungria, em agosto deste ano. O canoísta ficou em oitavo lugar na competição, que dava aos sete primeiros colocados uma vaga na próxima edição dos Jogos Olímpicos. Nos Jogos Pan-americanos, última competição classificatória, o brasileiro bateu na trave novamente ao completar sua prova em 40s619, atrás do canadense Richard Dalton, que marcou 40s333 e ficou com a vaga. O bronze ficou com o cubano Roleysi Baez, com 41s403.

Inconsolável, Nivalter lamentou o resultado. "Meu objetivo aqui era a classificação, uma medalha era consequência. Me senti bem o tempo todo e dei o meu melhor na prova, mas infelizmente não foi suficiente", disse o canoísta, chorando muito. "Não sei dizer o que faltou, foi por muito pouco. Estou muito triste, mesmo sabendo que dei 100%. Aqui, só a vitória importava".
BRONZE PARA OS SANTA-MARIENSES
No K2 200m, o tempo de 32s902 e a terceira colocação foram surpresas para os próprios Gilvan e Givago, que treinaram apenas dois meses juntos antes da competição. Na primeira prova internacional lado a lado, mostraram superação e chegaram pouco atrás dos argentinos Miguel Correa e Ruben Voizard Resola, medalha de prata com 32s494. O ouro ficou com os canadenses Ryan Paul Cochrane e Hugues Fournel, que marcaram 32s375.
"Esse é o dia mais feliz da minha vida. Conquistar uma medalha dessa importância ao lado do meu irmão é uma sensação maravilhosa e tem um gosto de superação muito forte. Apesar do pouco tempo treinando juntos, nós nos superamos. Temos muita afinidade e confiança por sermos irmãos, uma coisa que normalmente leva muito tempo para construir. Nós nascemos com isso, e acaba fazendo a diferença na água", disse Gilvan, de 22 anos.
NOTA DO EDITOR


Depois da conquista da medalha. É muito legal. Abraços das autoridades esportivas. Foram bronze. Legal. No entanto é momento também do berro. Pois só quem sabe, senti na carne, eles os atletas, o que fizeram para poder ganhar aquela medalha.
Pasmem e acreditem de que os nossos meninos estavam sujeitos, por políticas internas de não estarem no PAN, mas felizmente, ainda não falei com eles, vingou o poder do SENHOR, as suas capacidades e foram e trazem dois ouros para o BRASIL e para a nossa CANOAGEM, para os seus dedicados pais e para Santa Maria.


Lemos no site TERRA de que foi a participação de GUADALAJARA foi pior do que a do BRASIL no Rio, mas pudera com as deficiências de treinamentos e a própria situação que nos foi revelado de problemas de convocação até poucos dias do PAN.


No entato, a participação dos MENINOS GIVAGO E GILVAM foi a melhor, pois cada um deles trazem no peito duas medalhas de bronze.


E AGORA COM FICA. SERÁ QUE A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CANOAGEM fará a sua avaliação e irá mudar? Como ficam os nossos meninos? LONDRES será muito difícil e se não der, tendo aí mais 4 anos para o PAN DE TORONTO e 5 anos para a OLIMPIADA DO RIO?


É necessário uma tomada de posição, SIM.


SANTA MARIA. SESSÃO ESPECIAL.



Estamos sugerindo que a CAMARA DE VEREADORES DE SANTA MARIA façam uma sessão especial de homenagem aos meninos GIVAGO e GILVAN e NAIANE da Canoagem e a nossa PORTELA, do Judô, que foram nossos representantes no PAN DE GUADALAJARA, a maior delegação local, emPAN da história.



(CLERY - Editor)
















PAN 2011 EM GUADALAJARA

CUBA PASSA O BRASIL


Depois do Brasil manter-se sempre desde o primeiro dia do PAN à frente de CUBA, ficamos para trás e dificilmente iremos recuperar. A grande largada de CUBA, além do boxe, foi ontem no atletismo, fez 15 medalhas de ouro, apesar do Brasil ter feito várias. Eis o quadro


Pos País Ouro Prata Bronze Total
1 Estados Unidos 86 77 57 220
2 Brasil 45 30 53 128
3 Cuba 52 31 41 124
4 México 38 34 48 120
5 Canadá 26 36 49 111
6 Colômbia 24 23 32 79
7 Venezuela 12 27 31 70
8 Argentina 19 15 32 66

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

PAN 2011 EM GUADALAJARA

CUBA ENCOSTA NO BRASIL
Sempre se disse que a briga de segundo a quarto lugares, seria entre CUBA, CANADÁ, BRASIL e MÉXICO (por ser sede), mas na verdade a briga mesmo está entre BRASIL e CUBA. O Brasil desde o primeiro dia lidera, mas nos dois últimos dias com o Boxe e Atletismo, CUBA encosta e no momento está 45 a 45 em termos de ouro, em prata, o Brasil tem mais.
As medalhas previstas de ouro no futebol não vieram, taekwondo, basquete.
Realmente a briga está feia. Ontem no final da noite, o Brasil tinha 39 ouro e Cuba 37 e hoje, quando da ginástica artística, com DIEGO, o Brasil estava empatado em 39x39 Cuba, o Brasil passou à frente. Mas com o atletismo, tanto Brasil como Cuba fizeram bastante ouros.

Lucélia Ribeiro conquista seu quarto ouro consecutivo em Pan-americanos

Lucélia Ribeiro garantiu nesta sexta-feira, dia 26, sua quarta medalha de ouro consecutiva em Jogos Pan-americanos, ao superar a mexicana Yadira Lira na final da categoria -68kg de Guadalajara, no Ginásio San Rafael.

Com ippon, Bruno Mendonça arrasa argentino em 17s e iguala recorde

O brasileiro Bruno Mendonça aplicou um ippon para cima do argentino Alejandro Clara em apenas 17s conquistou mais um ouro para o Brasil nesta sexta-feira, na categoria para mais leves que 73 kg, pelos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Com isso, o País igualou o Pan de 1987, em Indianápolis, e o de 2003, em Santo Domingo, com o recorde de cinco primeiros lugares no pódio.
Com apenas 17s de luta, Bruno Mendonça derrubou o rival argentino, apenas o 90º colocado no ranking mundial - o brasileiro é o 15º -, aplicou um ippon e deixou o ginásio ovacionado, com o primeiro lugar no pódio conquistado de maneira bem rápida.
Em sua trajetória até a final, Bruno Silva eliminou o chileno Fernando Salazar, nas quartas de final, e o canadense Nicholas Tritton, na semi. O argentino, por sua vez, surpreendeu e passou pelo anfitrião mexicano Lee Mata e pelo cubano Ronald Girones, antes de sucumbir na decisão contra o brasileiro.
Além de Bruno, o Brasil já havia vencido ouros no Pan de Guadalajara no judô com Leandro Guilheiro, Luciano Correa, Tiago Camilo e Leandro Cunha, igualando a marca das edições de 1987 e 2003 da competição com cinco medalhas de ouro no esporte.
"Estamos dentro do treino, do convívio direto que cada atleta faz, e sabemos que é possível ganhar mais medalhas. O negócio é manter o pulso firme para não deixar escapar medalhas e amanhã (sábado) vem mais. Estamos conquistando nosso espaço no judô e vamos chegar lá", afirmou Bruno Mendonça logo após o triunfo.


Diego Hypólito comemora novo ouro e abraço de "referência"

Quando o placar do Complexo de Ginástica anunciou Diego Hypólito como campeão do salto dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, nesta sexta-feira, o ginasta recebeu diversos abraços à beira do tablado. Um deles, porém, especial: da irmã Daniele Hypólito, que competia paralelamente na trave e que correu ao redor do palco da competição para cumprimentar o irmão. Minutos depois, ambos subiram ao pódio.
Após receber sua medalha de ouro, a terceira em Guadalajara, Diego comentou o que a irmã disse em seu ouvido ao abraçá-lo. "O que ela falou na verdade foi: bicampeão pan-americano de salto", disse Diego, relembrando a medalha de ouro da modalidade no Pan de 2007 e comorando a conquista em família.
"Eu estava muito feliz por ela, porque ela ganhou uma medalha. A Dani merece, é uma menina de 27 anos de idade que está aí, determinada, melhor que anos atrás, melhor que em 2008, melhor que em 2007. Ela está voltando à forma física que ela tinha quando era nova. Ainda tem falhado em competições por estar voltando ao nível internacional como principal do Brasil", analisou o ginasta.
Primeira ginasta a se apresentar em sua final, Diego observou a apresentação da irmã a alguns metros dele. Apreensivo, comentava e gritava para apoiar a irmã. Depois da confirmação da medalha de bronze, o ginasta comemorou a vitória de seu grande modelo no esporte.
"Eu fico tenso porque é irmã, família. É uma menina dedicada, uma menina que tem 27 anos e que faz isso com prazer, com amor. A Dani sempre foi um grande exemplo para mim. Eu não tinha uma referência na ginástica; eu queria ser exatamente como minha irmã era. E isso para mim é um exemplo. É uma menina dedicada - muitas vezes mais dedicada que eu - em questão de disciplina, em casa. É uma menina muito família. A Dani, quando consegue esses resultados, é como se fossem meus também; então eu fico muito contente", completou.


Brasil leva ouro no revezamento masculino 4x100 m do Pan

igualmente com o feminino 4x100m


Com brilhante participação dos brasileiros Ailson Feitosa, Sandro Viana, Nilson André e Bruno de Barros, o País conquistou mais um ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara nesta sexta-feira, no Estádio Telmex de Atletismo, pela prova do revezamento masculino 4x100 m. Com o tempo de 38s18, os atletas foram soberanos na prova.
Na segunda posição da corrida ficou São Cristõvão e Neves, que correu com seus atletas Jason Alston Rogers, Antoine Adams, Dellwayne e Brijeshh Lawrence, que fizeram 38s81 e surpreenderam. O bronze ficou para os Estados Unidos, com os corredores Calesio Albert Newman, Jeremy Dodson, Rubin Williams e Morizavous Edwards, com o tempo de 39s17.
Depois, na sequência, ficaram os cubanos David Lescay, Michael Herrera, Victor Gonzalez e Roberto Skyers, seguidos pelos equatorianos Jhon Tamayo, Franklin Nazareno, Alex Quiñonez e Hugo Chila. Completaram a prova México, Chile e Bahamas.


ATUAL QUADRO

Estados Unidos 82 75 57 214
2 [BRA] Brasil 45 30 53 128
3 [CUB] Cuba 45 28 40 113
4 [MEX] México 34 31 47 112
5 [CAN] Canadá 25 34 47 106
6 [COL] Colômbia 23 23 32 78
7 [ARG] Argentina 19 13 31 63
8 [VEN] Venezuela 12 27 30 69
9 [GUA] Guatemala 7 3 4 14
10 [DOM] República Dominicana 6 5 17 28

NOVO NO MINISTERIO DO ESPORTE



Aldo Rebelo é o novo ministro do Esporte
27/10/2011 12:12, Por Redação, com Reuters - de Brasília

O deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP) é o novo ministro do Esporte, anunciou a ministra da Secretaria de Comunicação Social, Helena Chagas, nesta quinta-feira.

Aldo substituirá Orlando Silva, do mesmo partido, que deixou o cargo na véspera em meio a denúncias de corrupção.

Aldo Rebelo é o novo ministro dos esportes
O novo ministro já foi presidente da Câmara dos Deputados, titular da pasta da Coordenação Política –equivalente à atual Secretaria de Relações Institucionais– e presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) entre 2000 e 2001.

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), já havia dito que o deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), era um bom nome para substituir Orlando Silva no Ministério do Esporte.

O deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP), chegou pro volta das 11h30 ao Palácio da Alvorada, onde se reuniu nesta quinta-feira com a presidente Dilma Rousseff e o presidente nacional do partido, Renato Rabelo.

Na reunião a presidenta pediu a ele que conduza o ministério com o objetivo de enfrentar “todos os desafios da Copa do Mundo e das Olimpíadas”. Aldo Rebelo disse que à tarde dará entrevista coletiva para falar sobre sua gestão.

Nascido em Alagoas, Aldo está no quinto mandato de deputado federal. Ele foi eleito pelo PCdoB de São Paulo. Jornalista e escritor, Aldo iniciou a atuação política como líder do movimento estudantil e chegou a presidir a União Nacional dos Estudantes (UNE). Ele também é um dos fundadores da União da Juventude Socialista (UJS).

Aldo é conhecido por sua postura nacionalista. Um dos projetos apresentados por ele é o que prevê a redução de estrangeirismos na língua portuguesa.

Em reunião com Silva na noite de ontem, a presidente Dilma Rousseff não fez garantias de que o PCdoB continuaria à frente da pasta, mas também não ameaçou tirá-la da legenda. O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, havia afirmado antes que havia uma “tendência” para a legenda continuar com o ministério.

- É um político de grande envergadura, militante, leal às causas populares- , disse, negando que a conduta de Aldo durante a relatoria do Código Florestal possa ser um impedimento para que seu nome seja o escolhido. “O Código Florestal foi um item único, um episódio. Não podemos julgar as pessoas por um episódio”, disse. Entretanto, Vaccarezza destacou que não cabe a ele interferir na escolha do novo ministro. “Não estou defendendo nenhum nome. É um assunto para a presidenta.”

ILUSTRE SANTA-MARIENSE VISITA SUA CIDADE


Fotos CLERY LIMA

Getúlio, Delegado local, de comunicação fácil, junto com Rosalvo, Superintendente da Polícia Federal do RS, que também agradeceu em estar presente na homenagem ao SECRETÁRIO BELTRAME e o convívio com policiais, familiares e comunidade santa-mariense.

Um jantar com grande representação da comunidade santa-mariense, além de autoridades, policiais, amigos, familiares, para homenagear o filho MARIANO BELTRAME, na APOFESMA


BELTRAME, simplicidade, sintético disse prque foi convidado para ser SECRETÁRIO DE SEGURANÇA DO RIO DE JANEIRO e enfatizou o meio onde saiu, que lhe ajudou muito para que desenvolvesse um projeto eficiente que ainda está sendo colocado em prática. Afirmou: " SANTA MARIA MORA NO MEU CORAÇÃO."



NOTA DO EDITOR

Nosso blog é da atividade física, esporte e saúde, mas registra com muito prazer a presença de MARIANO BELTRAME, em Santa Maria, pois além de ser um exemplo de dedicação e capacidade, estando no comando da SECRETARIA DE SEGURANÇA do Rio de Janeiro, em duas gestões do Governo CABRAL, foi nosso corredor da VOLTA CIDADE DE SANTA MARIA e também tivemos o prazer em 2007, de estar com Ele e o grupo de policiais de Santa Maria, lembro o colega SERGIO, por ocasião do PAN RIO.

Desejamos muitas felicidades que DEUS esteja sempre o iluminando e sobretudo dando a orientação certa para as tomadas de decisões.

(CLERY - EDITOR)

BELTRAME RECEBE FESTA

NA SEDE DA APOFESMA


O colega Policial Federal de Santa Maria, MARIANO BELTRAME, há duas administrações do Rio de Janeiro, é o Secretário de Segurança do Estado.

Na noite desta quinta-feira, dia 27 de outubro, ele proferiu uma palestra para o Curso de Direito da UFSM e foi homenageado com um jantar (Churrasco) na sede dos Policiais Federais.

O editor deste Blog esteve presente, à convite do Policial e Profissional de Educação Física, Sérgio Roberto dos Santos, na festa promovido ao Secretário de Segurança do Rio de Janeiro, Mariano Beltrame. Além dos Superintendete do RS, Rosaldo Ferreria e o Delegado local, José Getúlio Vargas, estiveram presentes autoridades políticas, policiais, empresários, UFSM , Prefeitura Municipal, familiares.

Usaram da palavra, Getúlio e Rosaldo, pela Polícia Federal de Santa Maria e do Estado. Enfatizaram a importância do Evento para reconhecer o colega, que hoje desfruta de uma posição de destaque no cenário nacional, na função de Secretário de Segurança do RIO.

Beltrame ao agradecer a manifestação, declarou que tudo que sabe leva de Santa Maria, pelo aprendizado com os colegas e estudos avançados que o fizeram se tornar Secretário do Rio de Janeiro.


PRESENÇA DE ILUSTRE SANTA-MARIENSE, SECRETÁRIO DO RIO DE JANEIRO

PAN 2011 EM GUADALAJARA

UM DIA DE MUITAS MEDALHAS


Nesta quinta-feira, O Brasil colocou seis medalhas de ouro e mantém-se em segundo lugar ainda - 39 medalhas de ouro, tendo em terceiro Cuba, com 37 medalhas de ouro.


Nossos santa-marienses fizeram bronze, na canaoagem K4 - 1000m - Gilvan e Givago e a nossa Maria Portella, no judô.

JUDÔ
GUILHEIRO E TIAGO OURO
O judoca brasileiro Leandro Guilheiro superou a perda do ouro no Pan do Rio, em 2007, derrotou o portorriquenho Gadiel Miranda e levou o ouro na categoria para atletas até 81 kg nesta quinta-feira, pelos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. O duelo foi realizado no Ginádio Del Code II, e o atleta do Brasil deu um ippon no rival a apenas dois minutos do término do combate, conquistando o triunfo e mais um primeiro lugar no pódio para o País.
O judoca deu a volta por cima quatro anos depois de ficar com a prata no Pan-Americano do Rio de Janeiro, em 2007, quando perdeu a final da categoria até 73kg para o americano Ryan Reser, resultado que o frustrou já que pretendia levar o ouro lutando em solo brasileiro.
O atleta acrescentou o ouro pan-americano à sua galeria de conquistas, uma vez que também possui dois bronzes olímpicos, conquistados na Olimpíada de Atenas, em 2004, e Pequim, em 2008, todos celebrados na categoria até 73 kg. Em 2010, o brasileiro ainda foi prata no Mundial de Tóquio, mas já na modalidade até 81 kg.
Guilheiro trocou de categoria em dezembro de 2009 e, desde então, triunfou com medalhas em 12 dos 13 eventos disputados no Circuito Mundial do judô, isso até a disputa do Mundial realizado em agosto. Com 28 anos de idade, o brasileiro é natural de Suzano.
Minutos depois da vitória de Leandro, o Brasil conquistou outro ouro no judô, mas com Tiago Camilo. Por isso, Guilheiro mostrou-se animado com o País no judô em Guadalajara. "A expectativa é que a gente conquiste mais medalhas de ouro do que no último Pan, estamos melhores agora", decretou.

Futebol feminino é prata
A seleção brasileira feminina de futebol conquistou a medalha de prata dos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011. Após empate em 1 a 1 no tempo normal e 0 a 0 na prorrogação, o time foi derrotado nos pênaltis para o Canadá por 4 a 3.
GUADALAJARA 2011

Fernando Reis faz história com


medalha de ouro e chora ao abraçar o pai
Quando um jovem de 21 anos, estudante de business da Universidade do Missouri, desembarca de volta no Brasil muitos devem supor que ele venha para visitar a família, passar férias. Este ano, Fernando Reis fez este caminho, mas era parte de um plano maior: ganhar a medalha de ouro ...


Atletismo conquista medalha de ouro e


de bronze nos 10.000m masculino

O Brasil dominou as finais dos 10.000 metros masculinos dos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011. Na disputa desta quinta-feira, dia 27, no Estádio de Atletismo, Marílson dos Santos garantiu a medalha de ouro, com 29m00s64, enquanto Giovani dos Santos ficou com o bronze, com 29m51s71. Juan Carlos Romero, do México, garantiu a prata, com 29m41s00.

Ana Claudia fatura o ouro nos 200m


e Cruz Nonata é prata nos 5.000m

Numa prova emocionante, Ana Claudia Lemos da Silva conquistou a medalha de ouro dos 200m feminino dos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011, nesta quinta-feira, dia 27, no Estádio de Atletismo. A brasileira e a jamaicana Simone Facey disputaram a primeira colocação até o final. Mas Ana Cláudia conseguiu segurar a vantagem que havia conquistado e cruzou na frente, com 22s76. Facey ficou com a prata, com 22s86, enquanto a dominicana Mariely Sancrez Hichez foi bronze, com 23s02.

Já nos 5.000m feminino, Cruz Nonata repetiu o resultado que havia conseguido nos 10.000 e voltou a subir ao pódio na segunda colocação. Assim como na disputa anterior foi superada pela mexicana Marisol Guadalupe Romero. A brasileira completou a prova em 16m29s75, contra 16m24s08 da medalhista de ouro. Santa Ines Melchor, do Peru, ficou com o bronze, com 16m41s50.

Judô feminino garante o bronze


com Maria Portela e Mayra Aguiar


O judô brasileiro conquistou mais duas medalhas de bronze nos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011. Nesta quinta-feira, dia 27, no Ginásio CODE II, Maria Portela garantiu a terceira colocação na categoria - 70kg, ao derrotar a norte-americana Kathleen Sell por ippon, aos 3m43s de combate. Já Mayra Aguiar precisou de apenas 27 segundos para superar a argentina Lorena Briceño pela categoria -78kg..
Maria Portela revelou ter ficado satisfeita com a conquista do bronze, mas não nega que seu objetivo era o ouro. "Tô feliz, mas estou treinando forte e sei que tenho condições de conseguir resultados melhores. Sempre quis o ouro aqui em Guadalajara, mas acabei errando. Vou trabalhar mais daqui para frente. Não foi o planejado, mas está valendo. Afinal, é o terceiro lugar no Pan-americano", disse.

Sobre o fato de ter vencido uma adversária cerca de 15 centímetros mais alta, a brasileira disse que já está habituada com isso. "Sempre sou a mais baixinha. Por isso, treino para saber como acertar a pegada e superar as rivais. Procuro ser a mais rápida para compensar o problema da estatura", completou.

Mayra também tinha condição de ir mais longe na competição. A disputa com a norte-americana Kayla Harrison, pelas quartas-de-final, foi considerada uma final antecipada. E isso ficou provado nas lutas seguintes. Kayla conquistou o ouro, enquanto a brasileira passou com facilidade pelas duas rivais que pegou pela frente após a derrota para a norte-americana. Foram apenas oito segundos para superar a mexicana Lenia Ruvalcaba e outros 27 segundos na luta que valeu o bronze.

Por isso, após a conquista de sua segunda medalha em Jogos Pan-americanos - foi prata no Rio 2007 -, Mayra tenha lamentado a derrota nas quartas-de-final. "Minha participação nos Jogos foi boa. Só teve aquela fatalidade contra a americana. Acho que a arbitragem poderia ter deixado a luta rolar mais antes de me dar as punições que acabaram decidindo minha derrota", comentou. "Mas competição é assim mesmo. Preciso aprender a lidar melhor com isso. A americana foi mais malandra. Agora é voltar para casa, rever os vídeos e ver o que está faltando", completou Mayra, lembrando que quando ganha da Kayla é com um golpe: quando perde é na base de punição.


ATUAL QUADRO DE MEDALHAS


1 [USA] Estados Unidos 78 70 54 202
2 [BRA] Brasil 39 25 45 109
3 [CUB] Cuba 37 26 33 96
4 [MEX] México 30 29 45 104
5 [CAN] Canadá 24 30 42 96
6 [COL] Colômbia 22 19 30 71
7 [ARG] Argentina 19 11 29 59
8 [VEN] Venezuela 10 27 26 63
9 [GUA] Guatemala 6 3 3 12
10 [DOM] República Dominicana 5 3 17 25

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

PAN 2011 EM GUADALAJARA

Na manhã de hoje, teve muita cerração, atrazando a competição do K4 1000m

Abaixo GILVAN e os outros bronze do BRASIL, dão entrevista.

(Fotos feita da TV RECORD, hoje 19h)



DIEGO NO SOLO VOA. É OURO

SANTA-MARIENSES:

CANOAGEM E JUDÔ

Em termos de medalhas tivemos GILVAN e GIVAGO, com Roberto e Nelson, bronze no K4 1000M e os meninos BITENCOURT irão para a final também no K2 200m. No judô, Maria De Lourdes Portela, venceu a colombiana, mas levou ipon da semi-final e agora irã disputar o bronze.

RECEBEMOS ESTE E-MAIL DO PAN
Olá Clery.
Muito Obrigado.
Após a medalha de Bronze no k4 1000m, Gilvan e eu competimos as eliminatórias do k2 e passamos para a final do k2 200m , chegamos em 2º lugar na eliminatória 01 atráz apenas do Canada. A final do k2 200m será no Sábado as 10:15 HORÁRIO DO MÉXICO 13:15 NO BRASIL.
Forte Abraço.
Att.
Givago

DIEGO MAIS UMA OURO
Diego Hypólito comemora ouro em última "simulação" antes de Londres

Diego Hypólito exaltou a nota de "campeão mundial" obtida no Pan
A medalha de ouro conquistada na disputa do solo nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara deu ao ginasta Diego Hypólito a certeza de que a preparação para os Jogos Olímpicos de Londres está seguindo o caminho certo. Nesta quinta-feira, ele comemorou o resultado e o desempenho em uma competição forte e que pode ser tomada como "simulação" para 2012. ( TERRA)

PAN 2011 EM GUADALAJARA

SANTA-MARIENSES SÃO

BRONZE NA CANOAGEM

No primeiro dia da participação dos santa-marienses, irmãos Givago e Gilvan conseguem um bronze no K4, com Celso e Roberto.

Nota do COB.
Canoagem é bronze no K4 1000m masculino
27.10.2011 :: 13h53

A canoagem brasileira conquistou nesta quinta-feira, dia 27, sua primeira medalha nos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011. No segundo dia de disputa da modalidade, Celso de Oliveira Jr., Gilvan Ribeiro, Givago Ribeiro e Roberto Maehler faturaram o bronze na prova do K4 1000m na Lagoa Zapotlán el Grande, em Ciudad Guzmán.

Na raia 3, o quarteto brasileiro fechou o percurso em 3m02s821, atrás apenas de Cuba, medalha de ouro com o tempo de 3m01s061, e do Canadá, com 3m02s653.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

PAN 2011 EM GUADALAJARA

MAUREN CONFIRMA OURO NO SALTO


BRASIL MANTÉM EM SEGUNDO NO
QUADRO GERAL DE MEDALHAS

Faltando 5 dias para encerrar o PAN, será dia 30; o BRASIL mantém em segundo lugar no quadro geral de medalhas ( VIDE QUADRO) e deve se manter, o que será já um avanço, no Brasil, no último PAN 2007, no Rio, ficamos em terceiro lugar, atrás de CUBA, com 7 medalhas de ouro a mais.


Luciano poderoso leva ouro no Judô
NOTA OFICIAL
26.10.2011 :: 21h01



Depois da demissão do Ministro ORLANDO SILVA, o COB anunciou de Guadalajara uma nota oficial. Quem leu neste Blog a Coluna do J.CRUZ percebeu que o colunista destacou que as Entidades do Esporte nunca foram solidários com o ORLANDO.
O Comitê Olímpico Brasileiro e o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016 agradecem o trabalho realizado pelo ministro do Esporte Orlando Silva, que foi um parceiro importante em projetos fundamentais para o desenvolvimento dos esportes olímpicos no Brasil, como a aprovação da Lei de Incentivo ao Esporte, o Bolsa Atleta, os Jogos Pan-americanos Rio 2007 e a candidatura vitoriosa à sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. O COB aguarda a nomeação do novo ministro do Esporte para propor uma reunião de trabalho e dar prosseguimento à parceria em prol do esporte em nosso país.

Atenciosamente,

Comitê Olímpico Brasileiro
Comitê Organizador Rio 2016

Judô encerra primeiro dia

com ouro, prata e bronze
O judô confirmou mais uma vez sua fama grande arrebatador de medalhas para o Brasil em Jogos Pan-americanos. Nas finais realizadas na tarde desta quarta-feira, dia 26, no Ginásio CODE II, Luciano Corrêa (- 100 kg) derrotou o cubano Oredy Despaigne no golden score e conquistou a medalha de ouro. Já Rafael Silva (+ 100 kg) ficou com a prata ao ser derrotado pelo também cubano Oscar Bryson. A judoca Maria Suelen Altheman derrotou a norte-americana Molly O'Rourke por ippon e ganhou a medalha e bronze.

Luciano Corrêa já havia enfrentado e perdido para Despaigne três vezes até hoje: quartas-de-final da Copa do Mundo de Hamburgo (2007), semifinal do Rio 2007 e final da Copa de Budapeste (2009). Por isso mesmo, a vitória sobre o algoz por punição - cubano fugiu do combate no golden score após o empate no tempo regulamentar - foi muito festejada por Luciano após o combate decisivo.

"Esta medalha de ouro é muito especial para mim e ainda mais saborosa por ter sido em cima do Despaigne, que me tirou o ouro nos Jogos Pan-americanos Rio 2007. A luta foi igual e decidida no final. Sabia que para vencer teria que querer muito mais do que ele no tatame, pois os cubanos são muito fortes", analisou Luciano, que este ano já lutou 31 vezes, com 23 vitórias e nove derrotas. Uma boa forma de encerrar 2011. "Eu fiquei seis meses sem poder treinar no primeiro semestre por causa de uma lesão no ombro, foi um ano difícil", lembrou Luciano, que dedicou o ouro para a família, o técnico e a namorada, a nadadora Joanna Maranhão.

Já para Rafael Silva, derrotado pelo cubano Oscar Bryson por um wazari, lamentou o desempenho na última luta. "Estou insatisfeito por ter perdido o ouro. A luta foi decidida no detalhe. Ele anulou o meu jogo e usou toda sua experiência. Senti muitas dores no braço lesionado e também a parte cardiorrespiratória por causa da altitude", lamentou Rafael Silva, que só havia lutado uma única vez contra Oscar Bryson: foi no Campeonato Pan-americano realizado este ano no México e o judoca cubano também levou a melhor sobre o brasileiro.

Já Maria Suelen Altheman precisou apenas de 34s para derrotar a norte-americana Molly O'Rourke com um lindo ippon e ficar com a medalha de bronze. Ela comentou sua performance no primeiro Pan-americano de sua carreira: "Fiquei muito triste por ter perdido a luta na semifinal para a porto-riquenha (Melissa Mojica), o que tirou a possibilidade de brigar pelo ouro. Mas esta derrota acabou me fortalecendo para a disputa do bronze", confessou Suelen.

Time masculino de basquete vence

Uruguai por 81 a 70 na estreia

A seleção masculina de basquete estreou com vitória sobre o Uruguai dos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011, pela primeira rodada do grupo B, que conta também com Estados Unidos e República Dominicana. Com 15 pontos do cestinha Guilherme Giovannoni, a equipe venceu por 80 a 71 (36 a 35 no primeiro tempo). O time volta à quadra nesta quinta-feira, dia 27, para enfrentar os norte-americanos às 20h (23h de Brasília).

QUADRO DE MEDALHAS

Pos País Ouro Prata Bronze Total
1 Estados Unidos 70 66 51 187
2 Brasil 33 21 37 91
3 México 22 25 39 86
4 Canadá 23 26 34 83
5 Cuba 30 20 28 78
6 Colômbia 18 16 28 62
7 Venezuela 9 22 24 55
8 Argentina 18 8 26 52
9 Chile 2 14 14 30
10 República Dominicana 5 3 14 22





AGORA É QUENTE CAI O MINISTRO ORLANDO

COLUNA DO J CRUZ CONFIRMA

Vem aí o terceiro ministro do Esporte. Quem?
UM DOS MAIS COMPETENTES JORNALISTAS ESPORTIVOS DO BRASIL, que conhece a POLÍTICA ESPORTIVA e desmando do país, escreve. Vale a pena ler.

Orlando Silva caiu. Ele enfrentou a crise sem apoio da comunidade esportiva

Houve quem esperneasse quando o PcdoB ganhou o Ministério do Esporte, no primeiro mandato do governo Lula da Silva, em 2003. A então deputada comunista,Vanessa Grazziotin, agora senadora pelo Amazonas, afirmou que “esporte é uma coisa menor para o tamanho do PCdoB”.

Mal sabia a parlamentar que, anos depois, o partido estaria envolvido com a preparação dos dois maiores megaeventos do esporte mundial, Copa do Mundo e Jogos Olímpicos, e às voltas com orçamentos e projetos espetaculares. Mas, também, mergulhado numa crise partidária e governamental que levou a presidente Dilma Rousseff a continuar a faxina na Esplanada dos Minitérios: Orlando Silva é o quinto ministro demitido por acusaões graves de corrupção. E o primeiro da equipe a ser investigado pelo STF.

Missão

Até hoje, nove anos de governo do PT, ainda não se sabe a que veio o Ministério do Esporte. Tornou-se eficiente repassador de verbas, mas sem objetivos definidos e sem uma proposta de trabalho integrado entre os beneficiados. Nada disso. E o Conselho Nacional de Esporte, o principal órgão de apoio ao gabinete ministerial, tornou-se um agrupamento de concordância aos atos do ministro, em vez de ser o espaço de discussão de políticas para o setor.

O governo Lula da Silva foi farto na distribuição de dinheiro para o esporte, através da Lei de Incentivo, Bolsa Atleta, Timemania, patrocínio das estatais – BB, Caixa, ECT, Petrobras, Infraero, Casa da Moeda, Eletrobras e BNDES. Politicamente, foram três edições da Conferência Nacional do Esporte. Porém, com decisões ignoradas pela cúpúla ministerial.

Dando apoio a essa estrutura de governo, o Brasil esportivo tem todas as suas instituições funcionando: comitês, confederações, federações, clubes. E todas elas contempladas com verbas públicas. Na Câmara e no Senado, comissões específicas e uma Frente Parlamentar do Esporte ajudam a aprovar robustos orçamentos anuais para o Esport. Porém, de fraquíssimas execuções. Em 2010, por exemplo, o Ministério do Esporte gastou apenas 39% do R$1,8 bilhão disponível.

E isso ocorre porque falta-nos o fundamental: metas, prioridades e planejamento. Não temos isso. Nunca tivemos. O Ministério tornou-se, antes, um abrigo de correligionários desocupados e inexperientes, em detrimento do concurso de técnicos para fortalecer o setor e dar rumo ao esporte nacional. E muitos desses amigos da casa aproveitaram seus cargos como trampolins eleitorais, apoiados por projetos sociais para promoções em suas regiões de interesse. Na prática, o PcdoB comporta-se como os demais partidos da base aliada, em que o PMDB, é o mestre-salas na ocuapação de espaços ministeriais e autárquicos, para projetar seus correligionários e fortalecer a sigla.

O início

Agnelo Queiroz foi o primeiro ministro da pasta. Assumiu prestigiadíssimo. Afinal, como deputado federal, fora o autor formal – porque o autor intelectual fora outro – da Lei 10.264/2001, que destina 2% das loterias federais para o esporte, conhecida por “Lei Agnelo Piva”. E dinheiro, sabe-se bem, aproximam a todos, enquanto “amigos” ...

Porém, Agnelo foi um fracasso. Enredou-se com benefícios do COB, no Pan de Santo Domingo, e ainda está envolvido num proceso de liberação de R$ 25 milhões, desde os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro.

Com Agnelo, assumiu Orlando Silva, um ex-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), que tinha duas missões: aproximar-se do gabinete ministerial, que consguiu, ao se tornar Secretário Executivo, até chegar ao posto máximo, e se livrar dos “companheiros” petistas. A longo prazo, fez isso.

Apresentado como “o maior programa social do mundo”, o Segundo Tempo foi criado por Agnelo. Era a cópia de um projeto chamado “Esporte na Escola”, no governo Sarney. Porém, o Segundo Tempo tornou-se o ponto da discórdia e motivo principal da demissão do ministro Orlando Silva. Em 2005 surgiram as primeiras denúncias. A partir daí, vieram mais falcatruas.

Foi assim que o então assessor Júlio Filgueiras apresentou o policial João Dias a Agnelo. Tornaram-se amigo e Dias foi contemplado com cerca de R$ 3,5 milhões para projetos do Segundo Tempo. O resultado dessa parceria é uma investigação policial e foco da demissão de Orlando. Em decorrência, Agnelo está na linha de tiro, suspeito de ter recebido propinas.

Toda essa crise ocorre num momento de ampla exposição do país na mídia internacional. É péssimo, mas fica claro que a presidente Dilma está disposta a combater a corrupção governamental, herdada de anos e anos de república. E é muito bom ver tanta determinação.

Finalmente:

Orlando Silva caiu. Nem tanto pela denúncia vazia, até aqui, de um policial. Mais pela fragilidade de seu gabinete, formada por inexperientes da UNE, acusados de irregularidades constatadas pelo Tribunal de Contas da União e Controladoria Geral.

Talvez por isso, Orlando tenha enfrentado uma semana de tiroteio sem receber apoio da comunidade esportiva: Comitês Olímpico e Paraolípico, confederações, federações, técnicos, atletas. Nada! Ontem, foi a vez dos parlamentares da base aliada abandonarem Orlando Silva. Seu debate sobre a Lei Geral da Copa, na Câmara, foi um desastre. Torpedeado pela oposição e frágil na defesa, ele já apresentava o perfil de que estava no fim.

E quem será o terceiro ministro do Esporte? Acredito que Aldo Rebelo. É nome respeitadíssimo no PcdoB e de confiança da presidente. Tem diálogo com a oposição e poderá representar o governo no entendimento com a comunidade internacional, diante dos compromissos que Copa e Olimpíada exigem.

Porém, independentemente do nome que for indicado para o ministério, será preciso uma ação enorme para limpar a máquina, infiltrada por interesses particulares e danosos ao bem público.


--