segunda-feira, 17 de outubro de 2011

PAN 2011 NO TERCEIRO DIA EM GUADALAJARA

ANGELICA KVIECZNSKI

DESTAQUE NA GRD

Depois de ouro e duas bronze, ainda pode subir o pódio amanhã, terça-feira,no PAN.


foto de Wagner Carmo / Inovafoto / COB

Angélica Kvieczynski já havia inscrito seu nome na história da ginástica rítmica brasileira ao conquistar a primeira medalha do país na competição individual geral, no sábado, primeiro dia de disputa da modalidade nos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011, no Complexo de Ginástica. Nesta segunda-feira, dia 17, a brasileira voltou a brilhar nas finais por aparelho de arco e bola e faturou mais dois bronzes, tornando-se a primeira ginasta do país a ganhar três medalhas numa única edição dos Jogos Pan-americanos.

E Angélica tem a chance de ir ainda mais longe em Guadalajara: nesta terça-feira, dia 18, ela disputa as finais por aparelho de maça e fita, podendo chegar ao recorde de cinco medalhas individuais. "É uma grande alegria ser a primeira ginasta a conquistar três medalhas no Pan, estou muito feliz com o que atingi. Agora é tentar repetir isso nas outras duas finais para buscar mais medalhas", disse Angélica, que enfrentou obstáculos grandes, como uma cirurgia no joelho, na preparação para os Jogos.

O resultado histórico para o país, entretanto, não impediu a tristeza de Angélica depois de ouvir a nota de sua apresentação com a bola. A brasileira esperava ficar com a prata e foi às lágrimas ao comentar a pontuação concedida pelos juízes. "Minha apresentação na bola foi muito boa e eu não entendo de onde tiraram tantos pontos. Queria muito essa prata", lamentou a ginasta.

Classificada para as finais dos quatro aparelhos (arco, bola, maça e fita), Angélica se apresentou primeiro com o arco e voltou a emocionar o público. Firme e desenvolta, a brasileira fez uma apresentação limpa e conquistou 25.000 pontos, ficando atrás da mexicana Cynthia Valdez, com 25.800, e da norte-americana Julie Zetlin, com 25.500. Natália Gáudio, outra brasileira classificada para a final do arco, terminou a disputa em sétimo lugar, com 23.575.
A ginasta voltou à quadra para a apresentação com a bola esbanjando confiança e fez mais uma exibição impecável, que valeu 24.700 pontos. A americana Julie Zetlin ficou com o ouro, com 24.950 pontos, e a mexicana Cynthia Valdez somou 24.825, conquistando a medalha de prata. "Comecei um pouco tensa no arco, mas na bola já entrei bem mais confiante. Achei minha série muito boa e fiquei muito satisfeita com o que apresentei, por isso achei que merecia algo em torno dos 25.000. Mas, infelizmente não há nada que se possa fazer", resignou-se.

Angélica briga por mais duas medalhas a partir das 16h (19h de Brasília) desta terça-feira, quando acontecem as finais por aparelho de maça e fita. Ainda nesta segunda-feira, às 19h (22h de Brasília), o conjunto brasileiro participa da disputa final com cinco bolas.

Nenhum comentário: