domingo, 18 de dezembro de 2011

MUNDIAL FEMININO DE HANDEBOL TEVE NORUEGA CAMPEA E BRASIL EM QUINTO

Noruega vence a França e levanta
a taça do Mundial Feminino de Handebol
Escandinavas confirmam favoritismo no Ibirapuera: 32 a 24, sem dificuldade


São Paulo (SP) - A hegemonia no handebol feminino é da Noruega. Neste domingo (18), as escandinavas conquistaram o título do Campeonato Mundial ao derrotarem, sem dificuldade, a França por 32 a 24 (19 a 13 no primeiro tempo). Foi o segundo título da competição na história do país nórdico, que vencera pela primeira vez em 1999, em torneio sediado na própria Noruega e na Dinamarca. Além disso, a equipe é a atual campeã olímpica e tetracampeã europeia.
A partida contra a França confirmou o favoritismo norueguês desde o primeiro lance, com um gol das escandinavas aos 30 segundos de jogo. As francesas, vice-campeãs mundiais em 2009, quando perderam o troféu para a Rússia, equilibraram as ações e chegaram a liderar o jogo. Aos 14 minutos da etapa inicial, porém, a Noruega virou e não permitiu mais a reação rival. No fim do primeiro tempo, seis gols separavam as duas equipes: 19 a 13.
O que já estava bom para as campeãs olímpicas ficou ainda melhor no segundo tempo. Com mais calma e menos erros de ataque, elas ampliaram a vantagem, que chegou a oito gols no apito afinal. Título e festa garantida para os cerca de 600 noruegueses presentes ao Ginásio do Ibirapuera.
Além da medalha de ouro, a Noruega, que já tinha vaga garantida nos Jogos Olímpicos de Londres pelo título europeu no ano passado, teve a pivô Heidi Loke eleita para a seleção do Mundial. "É muito difícil explicar o sentimento de ser campeã europeia, mundial e olímpica. Estamos realizadas, muito satisfeitas", disse a goleira Kari Grimsbo.
"Nossas jogadoras estavam muito motivadas para vencer. Em nenhum momento passou pela cabeça da gente a possibilidade de perder", completou o técnico Thorir Hergeirsson: "De março a julho, fizemos amistosos só com jogadoras novas e perdemos muitos jogos, inclusive quatro vezes para a França.. De julho até agora, fomos colocando as jogadoras mais experientes. O time que veio ao Brasil é uma mistura dessas duas equipes", explicou o treinador.
Do lado francês, sobraram lamentações quanto aos desfalques. "Estamos decepcionados. Hoje, foi uma derrota mais doída do que na final contra a Rússia, em 2009. Estávamos desfalcados e tínhamos possibilidade de vencer se estivéssemos completos", disse o técnico Olivier Krumbholz, referindo-se à central Allison Pineau e à ponteira Mariama Signate, machucadas. Pineau, considerada a melhor atleta da equipe, vai desfalcar a seleção também no Pré-Olímpico, em maio. Ela sofreu ruptura no ligamento cruzamento do joelho esquerdo e deverá ficar de molho por seis meses.
Outros jogos - Com a vitória sobre a Dinamarca por 24 a 18, a Espanha completou o pódio do Mundial. Foi a primeira medalha do país na história da competição. O Brasil também alcançou marca histórica. Com a goleada por 36 a 20 sobre a Rússia, a equipe encerrou o torneio na quinta colocação. O sétimo lugar ficou com a Croácia, que bateu Angola por 32 a 29.

Seleção do Mundial - A Federação Internacional de Handebol (IHF) divulgou as sete melhores jogadoras da competição:  Goleira - Chana Masson (Brasil)  Central - Allison Pineau (França)  Armadora-direita - Line Jorgensen (Dinamarca)  Armadora-esquerda - Andrea Penezic (Croácia) Ponta-direita - Carmen Martin (Espanha)  Ponta-esquerda - Emilia Turei (Rússia) Pivô - Heidi Loke (Noruega
Classificação final:


1 - Noruega

2 - França 3 - Espanha 4 - DinamarcA 5 - Brasil 6 - Rússia 7 - Croácia 8 - Angola 9 - Suécia 10 - Montenegro 11 - Coreia do Sul 12 - Islândia 13 - Romênia 14 - Japão 15 - Holanda 16 - Costa do Marfim 17 - Alemanha 18 - Tunísia 19 - Cazaquistão 20 - Uruguai 21 - China 22 - Cuba 23 - Argentina 24 - Austrália



Confira resultados, tabelas e outras informações no site www.handballbrazil2011.



3 ANOS DA MORTE DE TUBINO

3 ANOS SEM TUBINO FISICAMENTE
MAS PRESENÇA SEMPRE NA FIEP
Grande querido TUBINÃO, falando em FOZ DO IGUAÇU
Nosso maior nome na Educação Física e esporte no Brasil há 3 anos nos deixou fisicamente, mas os seus ensinamentos estão presentes, são referências em todos os lugares; principalmente para nós da FIEP, que tivemos o convívio com Ele. E nós particularmente fomos seu hóspede e da Vera, em 2007, por ocasião da realização do PAN RIO.

TUBINO era sábio. Ele te dizia um não, com suavidade, com uma explicação técnica.
Ao registrarmos a falta de 3 anos do TUBINÃO. fazemos o registro que recebemos, via internet, pela rede FIEP, do nosso presidente e amigo ALMIR.

Ola Delegados da FIEP e amigos

A vida tem passado rapidamente, ja estamos a tres anos sem TUBINO, seu legado e suas obras continuam encantando academicos e profissionais, recentemente estivemos em San Luis Potosi - México, com a presença dos Professores Sem Fronteiras e da Drª Vera Lúcia Menezes, inauguramos na Casa da Educação Física - México a Sala Manoel Tubino, uma homenagem do Dr. Manoel Guerreiro - vice presidente FIEP América do Norte.
Aos 15 minutos do dia 19 de dezembro de 2008, nosso eterno Presidente: Prof. Dr. MANOEL JOSÉ GOMES TUBINO, nos deixava, HOJE na vespera de tres anos sem Tubino, solicitamos a todos que possamos orar pelo nosso ilustre amigo,
Não podemos esqueçer do Tubino, Com certeza esta nos acompanhando e iluminando os caminhos da FIEP e da Educação Física.
Abraços
FAMILIA FIEPIANA
Prof. ALMIR ADOLFO GRUHN
Presidente Mundial FIEP e Diretoria

--


BRASIL QUINTO LUGAR NO MUNDIAL FEMININO DE HANDEBOL EM SÃO PAULO

HANDEBOL BRASILEIRO COM
 A MELHOR  POSIÇÃO EM MUNDIAL
Para a pesquisa dos especialistas, o nosso handebol conseguiu a sua melhor posição internacional, no adulto. Penso que não é só no feminino - aliás sempre nos disse na década de 80, o ex-presidente TEIXEIRA de que o Brasil teria mais chance no handebol feminino. Isso se comprova.
Neste domingo, dia 17 de dezembro, no Ibirapuera -SP, a Seleção Feminina venceu a Rússia, no escore elástico de 36 x 20.
É quinta colocada no Mundial que teve a disputa de 24 equipes.
Release da PHOTO &  GRAFIA.
Eis:

Em dia de festa, Brasil vence e conquista recorde no Mundial Feminino de Handebol
Seleção goleia Rússia no dia em que a goleira Chana completa 33 anos

Vimos o presidente Manoel Luiz comemorando com as atletas brasileiras e a nossa Shana de 33 anos, chorando de alegria pela conquista.

         São Paulo (SP) - O handebol feminino brasileiro conseguiu hoje (18) seu melhor resultado na história dos Mundiais. A equipe comandada pelo dinamarquês Morten Soubak goleou a Rússia por 36 a 20 (18 a 11 no primeiro tempo) no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, e encerrou a competição em quinto lugar. Antes, o melhor desempenho verde e amarelo havia sido em 2005, na Rússia, quando ficou em sétimo.
      A marca histórica coroa os 33 anos da goleira Chana, completados hoje. "Se todas as competições fossem disputadas no Brasil, ganharíamos uma logo", brincou a atleta. "O mais importante é que colocamos a torcida do nosso lado. Tenho certeza de que ela vai nos acompanhar onde estivermos. O Mundial foi superpositivo. Jogamos mal apenas um jogo e isso não pode apagar o que fizemos nos outros sete, que foram muito bons", completou a aniversariante, referindo-se à derrota para a Espanha nas quartas de final, quarta-feira (14), por 27 a 26.
     Eleita a melhor jogadora da partida, Chana está feliz com o seu desempenho no Mundial e quer prolongar a carreira. Ela anunicou que, em 2012, deve retornar ao Brasil. "Está cada vez mais difícil parar de jogar, porque eu me sinto cada vez melhor. Voltar ao Brasil é tudo o que eu quero. Fico na Europa até maio. Depois das Olimpíadas, estou 90% fechada com a Metodista/São Bernardo", afirmou.
Barbara Arenhart, companheira de posição de Chana, é só elogios à veterana. "Ela é fundamental para a Seleção e coloca todos para cima quando a gente precisa. Por isso, mereceu o prêmio que ganhou hoje. Tenho com ela uma relação dentro de quadra que nunca tive com outra goleira.. Parece até que nascemos grudadas. Nossa união é transparente."
      O jogo - Em quadra, o duelo foi de opostos. Enquanto o Brasil entrou ligado, disposto a obter a melhor posição em Mundais, a Rússia parecia abatida por ter perdido a chance de tentar o tetracampeonato. Isso se refletiu no resultado desde os primeiros minutos. Mais rápidas no contra-ataque e atentas na defesa, as brasileiras logo abriram 3 a 0 no placar.
Quando a Rússia atacava, brilhava a estrela de Chana. A goleira estava inspiradíssima e fez, pelo menos, três grandes defesas no primeiro tempo. Com essa segurança atrás, as pontas Alexandra e Fernanda garantiram o poder ofensivo, e o Brasil chegou ao intervalo com sete gols à frente no placar.
      No segundo tempo, o Brasil pisou ainda mais no acelerador e ampliou a vantagem. "Cumprimos o objetivo de superar nossa melhor colodcação em Mundiais e conseguimos fazer com que o handebol brasileiro ganhasse respeito na Europa. É tudo bom demais", comemorou a armadora Eduarda Amorim, a Duda. "No jogo de hoje, mesmo no limite físico e mental, conseguimos ter concentração. Agora, já estamos pensando em Londres. Pode ter certeza de que vamos atrás da medalha", completou a também armadora Deonise.
    O técnico Morten Soubak mostrou satisfação com a campanha brasileira. "Jogamos um Mundial excepcional e conseguimos brigar de igual para igual com todos os outros times. Erramos naqueles 15 segundos contra a Espanha", lamentou. "Claro que sempre há o que melhorar, e o principal é equilibrar mais a defesa. Em um mesmo jogo, há períodos em que tomamos muitos gols e outros em que não tomamos nenhum", acrescentou o dinamarquês.
    O treinador russo, Evgeny Trefilov, assumiu a responsabilidade pela derrota e achou o resultado justo. "Não adianta tentar achar justificativas", afirmou.

Photo&Grafia Comunicação / www..photoegrafia.com.br
Av. Dom Pedro, II, 1641 - 4º andar, sala 44 - Cep: 09080-11 - Santo André
(11) 4438-8200 / redacao@photoegrafia.com.br

NOTA DO EDITOR
Amigos, graças a Deus e a Photo & Grafia Comunicação e o site www.esporteinterativo.com , nosso Blog realiza a cobertura do MUNDIAL DE HANDEBOL FEMININO, há anos e intensificou agora no mês de dezembro.
Vibramos junto, com o nosso handebol, pois este esporte está no nosso sangue. Sempre temos dito que a nossa ascensão na COMUNICAÇÃO ESPORTIVA se deu graças ao HANDEBOL - inicialmente acompanhando o handebol santa-mariense, que por anos teve a cidade de Santa Maria como a Meca do handebol masculino, com o técnico Luiz Celso Giacomini, que chegou a Seleção Brasileira e estivemos em Copa Latina de Handebol, Sulamericanos,  Panamericanos, Mundiais e Olimpíadas.
Parabenizamos o qualificado técnico MORTEN, que esteve em junho em Santa Maria e sentimos que não teve as condições que queria para a Seleção, até pelo problema da maioria estarem jogando fora, mas foi capaz e deu ao BRASIL esse quinto lugar. Também ao nosso querido presidente MANOEL LUIZ, que sempre acreditou no nosso trabalho de divulgação do handebol.
Por fim a esperança de obtermos, pela menos a classificação entre as oito primeiras seleções na OLIMPIADA DE LONDRES e quem sabe no Brasil subir ao PÓDIO.

HANDEBOL BRASILEIRO conte conosco SEMPRE
( Jorn. CLERY QUINHONES DE LIMA - Editor)



MUNDIAL DE HANDEBOL FEMININO, BRASIL CONSEGUE QUINTO LUGAR

Brasil ganha da Croácia
(Melhor classificação do Brasil)
Brasil, pela sua performance e mundial em casa, consegue a melhor posição do nosso handebol - particularmente, pelo o que acompanho o handebol - Nossa Seleção Feminina Adulto foi quinto lugar, vencendo hoje - em paralelo ao jogo de Barcelona 4 x 0 Santos - a R


Donas da casa vencem por 32 a 31 e disputam quinto lugar contra a Rússia no domingo (18)



São Paulo (SP) - O Brasil já garantiu sua melhor colocação na história dos Mundiais Femininos de Handebol. Com a vitória sobre a Croácia hoje (16) por 32 a 31 (14 a 15 no primeiro tempo), no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, a Seleção comandada por Morten Soubak vai disputar o quinto lugar contra a Rússia no domingo (18), às 9h, no mesmo local. Em 2005, as brasileiras ficaram em sétimo, melhor posição até então.



"Mostramos que temos muita raça e determinação e que queremos, e podemos, chegar muito longe", comentou a goleira Chana, um dos destaques contra as croatas. No segundo tempo, ela emplacou sequência de seis defesas, impedindo que as rivais saíssem do 24º gol durante cinco minutos. "Goleira está aí para isso, para fazer a diferença", completou a veterana, escolhida como destaque do handebol neste ano pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB).



A Seleção Brasileira entrou um pouco apática em quadra, tanto no primeiro como no segundo tempo. A defesa não funcionou e as finalizações não foram eficientes. Por isso, a Croácia chegou a abrir 12 a 6. As donas da casa só tomaram à frente no placar aos 21 minutos da etapa final, com gol da central Ana Paula, outro destaque no jogo. A mudança de comportamento da equipe deveu-se mesmo a Francine, que balançou a rede seis vezes. A meia-direita começou no banco, como de costume, e foi decisiva nas duas etapas.



"Nós, que não começamos jogando, estamos sempre prontas para entrar. O grupo é tão unido que torcemos para que ninguém precise entrar tão rápido. E elas (titulares) também nos dão força quando vamos para o jogo", brincou. "Agora, queremos conquistar o quinto lugar", completou.



O técnico Morten Soubak destacou a satisfação de ter obtido a melhor colocação do Brasil em Mundiais. "Estamos muito felizes com o jogo de hoje e com a posição histórica. O sonho da medalha escapou das nossas mãos em 15 segundos na derrota para a Espanha (pelas quartas de final), mas a Alessandra (psicóloga) fez um grande trabalho de recuperação e levantou as meninas. Mostramos que conseguimos nos superar. Estão todas de parabéns."



Na primeira partida do dia no Ibirapuera, Rússia venceu Angola por 41 a 31 (17 a 18 no primeiro tempo). Assim, as angolanas enfrentam as croatas no domingo, às 11h45, no mesmo local, pelo sétimo lugar.



Com a vitória do Brasil, a América já é o segundo continente mais bem colocado no Mundial, atrás apenas da Europa. Por isso, a República Dominicana, bronze no Pan de Guadalajara, ganhou o direito de disputar o Pré-Olímpico de Londres-2012, que será realizado de 25 a 27 de maio, na Europa. As brasileiras, campeãs no México, já estão garantidas nas Olimpíadas. A Argentina, vice no Pan, também estará no Pré-Olímpico.