sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

BLOG DIVULGANDO O ESPORTE E ATIVIDADE FÍSICA - RIO 2016



JORNAL CORREIO DO BRASIL veiculou essa matéria no dia 27, portanto ontem, recebemos, via e-mail. Dentro da coerência jornalística estamos trazendo essa publicação, pois recentemente nosso BLOG havia feito uma entrevista dom MARCUS VINICIUS e ele teve um outro posicionamento, dizendo que foi bem, o que o presidente do COB, Nuzmann confirma.



Antes de sediar Jogos Olímpicos , Brasil cumpriu meta modesta do COB em Londres

Por Redação, com agências - de São Paulo
O Brasil cumpriu a modesta meta traçada pelo Comitê Olímpico Brasileiro em Londres de 2012

Sede da próxima edição dosJogos Olímpicos, o Brasil cumpriu a modesta meta traçada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) em Londres-2012. Ainda que a evolução em relação a Pequim-2008 tenha sido discreta, a entidade presidida por Carlos Arthur Nuzman se disse satisfeita. Na China, o Brasil registrou 15 pódios três ouros, quatro pratas e oito bronzes. A rigor, a diferença na Inglaterra foi uma prata e um bronze a mais, o que proporcionou o recorde de medalhas do País. Sediar a próxima edição dos Jogos pressupõe o papel de protagonista, mas o COB havia traçado a meta de simplesmente manter os pódios de Pequim.

Além de repetir as 15 medalhas conquistadas na China, a entidade estabeleceu o objetivo de superar as 41 finais disputadas há quatro anos, algo que não conseguiu cumprir, já que os atletas nacionais participaram de 35 decisões. Na natação e no atletismo, o desempenho ficou abaixo do esperado.

A preparação da delegação brasileira custou R$ 11,610,557,06 (R$ 3.254.159,07 empregados no aluguel de um CT exclusivo). No quadriênio 2009-2012, com os devidos descontos, o COB diz ter recebido R$ 331,3 milhões pela Lei Agnelo/Piva para destinar ao esporte de alto rendimento. O investimento público total durante o ciclo, no entanto, gira em torno de R$ 2 bilhões.

O Brasil terminou a competição em Londres no 22º lugar do quadro de medalhas e foi o 14º levando em conta apenas o número de condecorações, critério adotado pelo COB como principal. Maior destaque, o vôlei (de praia e de quadra) registrou um total de quatro pódios na Inglaterra.

Adhemar Ferreira da Silva, Maurício, Giovane, Torben Grael, Marcelo Ferreira e Robert Scheidt ganharam a companhia de novas bicampeãs olímpicas: Fabi, Fabiana, Sheilla, Paula Pequeno, Thaísa e Jaqueline. Já o técnico José Roberto Guimarães é o primeiro tri da história do Brasil.

O judô, por sua vez, registrou quatro pódios, incluindo o primeiro ouro feminino, conquistado por Sarah Menezes. Na ginástica, Arthur Zanetti foi o pioneiro nas argolas. O boxe, embalado pelos irmãos Esquiva e Yamaguchi Falcão, terminou com três medalhas.

O atletismo, sem pódios pela primeira vez desde Barcelona-1992, apesar de contar com Maurren Maggi e Fabiana Murer, e a natação, que ficou abaixo do esperado ao medalhar com Thiago Pereira (prata) e César Cielo (bronze), foram as principais decepções do Brasil.

O hipismo, há duas edições sem pódios, e o taekwondo, também de mãos abanando, ficaram entre os pontos de preocupação. Assim como o basquete e o futebol feminino, que caíram antes da semifinal, além da vela, tradicional fornecedor de medalhas que teve apenas um bronze, e a ginástica feminin



Nenhum comentário: