domingo, 17 de fevereiro de 2013

BLOG DIVULGANDO A ATIVIDADE FÍSICA, ESPORTE E ARTIGOS

Profissional de Educação Física e não Educador Físico: 


Profissional da Educação Física nas Interfaces Saúde e Educação
Estamos reproduzindo um texto do nosso colega GILDÁSIO JOSÉ DOS SANTOS, Sem Fronteira da FIEP BRASIL, que juntamente conosco temos defendido que devemos chamar , por Lei, Profissional de Educação Física e não Educador Fisico.
Gildásio José dos Santos
Por: Professor  Gildasio Jose dos Santos
Ganho da Sociedade valorização Profissional
Com advento da Lei Federal 9696, de 01 de Setembro de 1998, novos paradigmas surgiram para mapeamento do perfil do Profissional da Educação Física. Conceito Consuetudinário nos denominavam de “educadores físicos” que não condiz com a realidade. Se partirmos para exegese da nomenclatura, indagamos: quem educa o físico, vejamos: A Educação Física é uma das áreas do conhecimento humano ligada ao estudo e atividades de aperfeiçoamento, manutenção, reabilitação da saúde do corpo e mente do ser humano, além de ser fundamental no desenvolvimento do ser como um todo. Ela trabalha, num sentido amplo, com prevenção e cura de determinadas doenças humanas num contexto terapêutico e também é fundamental na formação básica do ser humano, devido sua atuação no contexto psicossocial no conhecimento corporal (conhecimento do próprio corpo) suas possibilidades de ação e suas limitações, (Fonte: Carta Brasileira da Educação Física-FIEP, Manifesto Mundial- FIEP, Intervenção Profissional e Prevenção- CONFEF, Classificação Brasileira de Ocupações “CBO” 2241 in fine).
A Educação Física cuida do corpo… E “MENTE”.
O entendimento desta frase reveste-nos a revolução de nossos conceitos, não obstante Saúde e Educação são áreas de atuação, dever do Estado e bens público definido pela CF/88. Na política Pública o Conselho Nacional de Saúde revela a importância do profissional da Educação Física no Sistema Único de Saúde: RESOLUÇÃO CNS – Nº 287 DE 08 DE OUTUBRO DE 1998 “Relaciona as categorias profissionais de saúde de nível superior para fins de atuação do Conselho”. Neste escopo, o Ministério da Saúde preocupado com equipes multidisciplinares, em cumprimento ao disposto no Artigo 200 da CF/88, onde cabe ao SUS ordenar recursos, propor educação permanente do trabalhador da saúde e do sistema SUS, dando suporte para capacitação ao profissional da educação física e demais profissionais da saúde e educação. Ações interministeriais Saúde/Educação, permeiam as interfaces, pois na Escola que se forma o futuro da Nação, e não havendo saúde impossível haver educação com eficiência. Alguns programas destes Ministérios contam com a presença do profissional da educação física, “Programa Saúde na Escola; Estratégia Saúde da Família –; A escola lócus privilegiado para ações assistência, promoção, tratamento e prevenção; Estratégia da Saúde da Família, desempenho Escolar, implantação da Atenção Básica, Portaria Interministerial 687/2006 Estabelece a Política Nacional de Promoção a Saúde e Educação e estão divididas em três eixos: PET – SAUDE – ENSINO/SERVIÇO/EXCELENCIA; PORTARIA 1507/2007 – PROJETO INTEGRADO COM AS IES SOBRE ESTRATEGIA SAUDE DA FAMILIA AÇÕES CONJUNTAS, esta portaria estabeleceu a RESIDENCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAUDE – RMS, LEI FEDERAL 11129/2005, PORTARIA 154/08 NUCLEO DE APOIO A SAUDE DA FAMILIA- NASF com nova redação dada pela Portaria MS 2844/11, e finalmente a PORTARIA Nº 1.402, DE 15 DE JUNHO DE 2011 que Institui, no âmbito da Política Nacional de Atenção Básica e da Política Nacional de Promoção da Saúde, os incentivos para custeio das ações de promoção da saúde do Programa Academia da Saúde.
Referências Bibliográficas:
Santos, Gildasio – Agressividade na Educação, Ed. CBES – Curitiba – PR 2007
Medina, Paulo João – A Educação Física cuida do corpo… E “MENTE”, Ed. Papirus – SP 2003
Gildasio Jose dos Santos
Curitiba/PR - Brasil
CREF 1011-G/PR. Delegado Adjunto FIEP-Curitiba PR.
Ex-Conselheiro do CREF 9/PR, Conselho Estadual de Saúde-CES/SESA-PR,
Especialista em Docência Superior da Saúde; Saúde Pública, Neurolinguistica, Educação Especial Inclusiva, Neuropsicopedagogia.
Mestre em Saúde Mental
 Professor da Rede Estadual. de Educação do Estado do Paraná – em Educação Especial e Inclusão, Oficineiro pela SEED/DEEIN-PR, Temas: Transtorno Global do Desenvolvimento- TGDHA, Saúde na Escola, Saúde da Família. Educação Física.

E-mail: derigil@hotmail.com

Nenhum comentário: