sábado, 11 de maio de 2013

NOSSO BLOG DIVULGANDO O ESPORTE E ATIVIDADE FÍSICA: VEM AÍ JUDO NO ANIVERSÁRIO DE SANTA MARIA

COPA SANTA MARIA DE JUDÕ
DIA 19 DE MAIO NO CDM
Dentro da programação de aniversário do Município, mantém-se a tradicional COPA SANTA MARIA DE JUDÔ, promovida pelo projeto MÃOS DADAS, chancelada pela Liga Rio-grandense de Judô, patrocinada pela LEI DE INCENTIVO ao ESPORTE, PROESP-SM.
 O evento acontecerá no CDM, no dia 19 de Maio.
Segundo os coordenadores Cáceres e Aglaia, neste ano a COPA SANTA MARIA será ainda mais atraente, com a inclusão da categoria ELITE PRÓ, em 3 faixas etárias com premiação em dinheiro.
Algumas fotos da edição de 2012
Autoridades no momento da abertura da COPA

 Cáceres presidente da LIGA RIOGRANDENSE DE JUDO
 Prefeito SCHIRMER apoio ao evento
 Judocas no Dojò, alegria estampada
CONVERSA COM O CASAL JUDOCA
Na tarde de ontem, sexta-feira, qualquer dia é dia para um ser aposentado, sem avisar, fomos visitar o casal exemplo de judô de Santa Maria - Cáceres e Aglaia. Cáceres havia nos telefonado dizendo que queria conversar conosco. A nossa visita seria para isso, assim como para entregar um questionário sugestão para ser preenchido para servir de subsídios para o texto de nosso livro MEMORIA DO ESPORTE, que a edição IV falará do BASQUETE E JUDÕ.
Um sábado com sol, acionei a Bizinha e nos fomos para o Bairro DOM ANTONIO REIS, de  grata recordação, pois lá na década de 70 havíamos adquirido o nosso primeiro imóvel - compramos um terreno. Deixei a motinha no terreno ao lado, onde tem um pomar e sabe com que fruta: LIMA, coisa que gosto (depois sai com uma sacolada). Toquei o dedo na campanhia e logo o Cáceres veio, entramos e o papo iniciou, em seguida chegou a Aglaia, que é muito falante, mas ficou na escuta de nossa
conversa.
A minha experiência de vida, sentia que Cáceres queria desabafar e foi isso. A sua preocupação como dirigente maior da LIGA RIOGRANDENSE DE JUDÔ era sobre o que dizem da briga do judô em Santa Maria e suposta guerra com Federação Gaúcha e Confederação Brasileira de Judô-CBJ.
CÁCERES exclarece que não há nada isso, por parte da LIGA, que está amparada pela LEI PELÉ e que é hoje uma ENTIDADE ESPORTIVA legalizada, apta a buscar recurso em qualquer esfera. E que só não é filiada a CBJ porque o despacho da Entidade Nacional da modalidade informa que a filiação é uma única no estado e a FEDERAÇÃO é antiga ( dedução mantém-se pelo poder de ter uma potência filiada - SOGIPA, pois está totalmente irregular, com débito).
CÁCERES tambem falou com muito orgulho que assumiu em 2010 a LIGA e hoje ela está equiparada com materiais para disputa de qualquer competição oficial nacional.
Por fim diz: " Clery, nós não nos importamos se clubes filiados à FEDERAÇÃO venham disputar competições da LIGA, só que ELES não permitem. E sobre a notoriedade nacional dos atletas, ele lembrou com a ajuda da AGLAIA, que em competições universitárias, nossos judocas disputam pódio com judocas da CBJ."
PALAVRA DO EDITOR  
Esse trabalho de busca de dados sobre o esporte de Santa Maria, com a publicação de livros no projeto MEMÓRIA DO ESPORTE tem sido muito bom, pois oportuniza-nos conversar com muitas pessoas e conhecer até mais a fundo a realidade.
Um exemplo foi com essa conversa com o CÁCERES, da vizinha cidade de São Gabriel, que realmente é uma das pessoas da modalidade, juntamente com a Aglaia, que deram e tem dado uma significativa contribuição ao desenvolvimento e saliência do judô santa-mariense - uma prova disso é a nossa MARIA PORTELA - atleta olímpica - que é considerada como filha do casal. Ainda, segundo Cáceres, praticamente ele foi o técnico de vários atletas e técnicos  de destaques santa-marienses.
Nós, que acompanhamos o esporte local, principalmente como jornalista e interessado na divulgação para nossos veículos, não admitimos essas brigas entre esportes e não venham me dizer que não, porque elas existem. E o judô com habilidade e disposição de dirigentes pode ter a união pregada pelos princípios do esporte.
Se é notório que temos problemas no esporte e em várias áreas, se atuarmos separados, vencer esses obstáculos será muito difícil.
Nós somos adepto à integração e já sentimos que pode acontecer no judô. E podem ter a certeza que essas diferenças, às vêzes até orgulho, acontece em todos os esportes.
Isso é próprio do ser humano: a vaidade, o esnobismo e o querer de ser melhor do que o outro, aparecer.
Valeu Cáceres e Aglaia , estamos com vocês em mais um evento no dia 19, domingo, no CDM.
(CLERY QUINHONES DE LIMA - EDITOR)

Nenhum comentário: