sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Ginástica Artística Brasileira vai em busca de medalhas na Gymnasiade

Apresentações da modalidade têm início neste sábado (30), às 9h, no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília

A Gymnasiade, realizada de quatro em quatro anos, é o maior evento escolar do mundo. O evento vai reunir atletas com faixa etária de 14 e 17 anos, regularmente matriculados nos ensinos fundamental e médio, que representarão cerca de 40 Países, e disputarão oito modalidades: atletismo, ginásticas aeróbica, artística e rítmica, natação, judô, karatê e xadrez. Brasília foi escolhida pela International School Sport Federation (ISF) como sede, após vencer a disputa com Palma de Mallorca, na Espanha, e será a primeira cidade das Américas a sediar o evento. A Gymnasiade 2013 será promovida pela International School Sport Federation (ISF), em parceria com o Ministério do Esporte e o Governo do Distrito Federal

    Santo André (SP) - Os Jogos Mundiais Escolares - Gymnasiade, contarão com jovens promessas brasileiras da Ginástica Artística.. Pela Seleção Masculina, vão em busca de medalhas Ângelo Assumpção, Gabriel Faria Barbosa, Lucas Cardoso, Yannick Hamada Santos e Ygor Marques Reis, enquanto pela feminina, as participantes são Flávia Saraiva, Lorenna Antunes da Rocha, Julie Kim Sinmon, Mariana de Oliveira e Rebeca Andrade. Os ginastas entram em cena a partir deste sábado (30), das 9h às 13h e das 15h às 19h, com as disputas por equipes, individual geral e qualificatórias por aparelhos. Na segunda-feira (2) e na terça-feira (3), as finais por aparelhos serão das 10h30 às 13h, sempre no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília. A ginástica brasileira terá representantes também na Rítmica Individual e de Conjunto e na Aeróbica.

     Um dos técnicos da Seleção Masculina, Hilton Dicheli Júnior, afirma que os treinamentos que a equipe fez em Brasília mostrou o nível elevado dos participantes, o que torna o desafio ainda maior. "A Rússia desenvolve um trabalho bom e vem forte, assim como a França, Inglaterra e Turquia, por exemplo. Nos engrandece estar presentes", contou.

    Mesmo ao lado de equipes tradicionais e de grandes competidores, Hilton acredita na força dos brasileiros, principalmente após o excelente ano em competições internacionais. "A expectativa é muito boa e queremos subir ao pódio. Esta será a última de 2013, o que torna a nossa responsabilidade ainda maior, já que este foi um ano de grandes resultados e queremos fechar da melhor maneira possível. Manter essa performance é difícil, mas eles estão bem, preparados e com uma ginástica bonita", comentou.

    Outro ponto positivo, de acordo com o técnico, é que esses jovens ginastas de 15 a 17 anos possam vivenciar o clima dos Jogos Olímpicos, ainda mais por estarem em casa, com o apoio da torcida brasileira. "É muito bom se apresentar no Brasil. Esta competição reúne atletas de várias modalidades e partes do Mundo, assim como uma Olimpíada. Por estarem no País deles, a vontade de se destacar é ainda maior, se torna algo especial. É importante que já possam ir se adaptando ao clima das grandes competições, como são as da categoria adulta", disse Hilton.

   Assim como Hilton, Keli Kitaura, uma das técnicas da Seleção Feminina, aposta em medalhas, principalmente por equipes e aparelhos. "Nós esperamos que elas possam fazer apresentações boas, com séries limpas. Elas têm como concorrentes meninas fortes, mas temos chances de medalhar, porque trabalhamos para isso. Elas treinaram muito", destacou. "A chegada do Alexander Alexandrov ao Brasil, aliado ao trabalho do Oleg Ostapenko e dos demais técnicos, está nos ajudando a chegar ao nível que queremos", completou a treinadora.

    Segundo Keli, essa será a competição mais importante do ano para as ginastas da categoria juvenil. "O evento é de alto nível, com atletas de diversos Países, com muita gente competindo junta. No Sul-Americano, tivemos uma ótima participação e serviu de preparação para a gente", finalizou ela, referindo-se aos Jogos Sul-Americanos da Juventude, realizado em Lima, no Peru, em setembro, que as Seleções Masculina e Feminina conquistaram 19 medalhas.

   Os técnicos que acompanham os ginastas, além de Hilton e Keli, são Hugo Lopes, pelo masculino, e Oleg Ostapenko, pelo feminino. Os árbitros são Frederico de Oliveira Gonçalves, Luís Carlos Mitio Okuda, Catarina Duarte dos Santos e Mônica Barroso dos Anjos.


Nenhum comentário: