sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

NOSSO BLOG NA COBERTURA DO II CIGESP EM RECIFE

SEGUNDO DIA NA UFPE
(Na manhã foi futebol -COPA DO MUNDO 2014, Formação de atletas na base)
Às 9h teve a mesa redonda: Limites e Vicissitudes da COPA do Mudo de Futebol FIFA 2014. 
Mesa redonda
A coordenação da mesa foi Ana Luiza Vieira, da Universidade Rural e teve como debatedores:Marcos Nunes-UFRural de PE: Tulio Velho Barreto, da Fundação Joaquim Nabuco e Evandro Carvalho, presidente da Federação Pernambucana de Futebol. Das suas manifestações aprendeu-se o seguinte: A Copa do Mundo de Futebol terá investimentos, nestes percentuais - 85% da esfera pública e 15%, da área privada. Serão gastos 9 bilhões em estádios e 25 bilhões no geral. Terá um legado intangível - autoestima, assim como tangível na infra-estrutura, principalmente área urbana, embora muitas obras não serão entregues até a COPA. Foi evidenciado que a FIFA é a dona da bola, ela manda em tudo, a exemplo "Padrão FIFA".
O presidente da FPF esteve ontem em reunião com a FIFA e foi informado que será liberado 120 milhões de dólares para as Federações e decidiram que será aplicado na formação de atletas.
Pesquisador Túlio
Professor Marcos
Presidente da FPF
Clery iniciou as perguntas sobre a palestra da COPA DO MUNDO DE FUTEBOL
Pergunta do público, através da professora ALESSANDRA MENDES, doutoranda da UFPR
O Coordenador Vilde agradeceu a mesa
Público


ENTREGA DE CERTIFICADOS DE PALESTRANTES

Maria Luiza entrega a Tulio
A Evandro da FPF
Á Marcos

GESTÃO NA FORMAÇÃO DE ATLETAS NO FUTEBOL: DAS CATEGORIAS DE BASE AO PROFISSIONALISMO
              Foram painelistas integrantes do Conselho Consultivo da 
Federação Pernambucana de Futebol:Alfredo Bertini-Sport, Gustavo Krause-Nautico e Sylvio Ferreira-Santa Cruz. Todos eles foram enfáticos em dizer que é necessário melhorar as condições nas categorias de base, ter ações mais sérias. Apresentaram o melhor de seus clubes em relação. Foram exposições de pessoas experientes, dirigentes com muita cancha e os debates prolongou-se, também pudera um tema de gosto dos brasileiros. Krause ganhou o público com a sua forma descontraída de comunicação; Sylvio, psicólogo, mostrou a necessidade de um acompanhamento dos meninos que vem de outro mundo e Bertini mostrou a necessidade de melhor organizar a casa para que haja produção.
Composição da mesa
Alfredo Betini
Gustavo Krause
Sylvio Ferreira
DURANTE À TARDE - Aconteceu uma teleconferência com o gerente de Marketing do SportClube INTERNACIONAL, Jorge Avancini.
MESA REDONDA - A Gestão Pública de esporte na América Latina - Níveis Federal, Estadual de Municipal. Coordenador Luciano, da ABRAGESP. Palestrantes - Cláudia Lorena Morales - Universidade Tecnologica de Pereira ( Colômbia); Dirce Correa - Universidade Federal do Espírito Santo e Paulo Cabral de Oliveira - Universidade de Pernambuco.
 Luciano da ABRAGESP coordenador da mesa
 Composição da mesa
 Colombiana Cláudia
 Brasileira Dirce
Cabral de Recife
    Todos os palestrantes ( Colombiana e brasileiros) mostraram a realidade tendo uma necessidade de uma POLÍTICA ESPORTIVA NACIONAL. Os problemas são sempre os mesmos e ficou evidenciado que a GESTÃO ESPORTIVA, a consciência dos dirigentes públicos e dos Governos em todos os níveis, unidos poderão melhorar as condições de trabalho, havendo uma produtiva e atendimento a todas as manifestações do esporte.
      Ao término da mesa, os participantes foram para a sessão de posteres.
ENCERRAMENTO NO SÁBADO
     O Congresso encerra neste sábado, com uma mesa redonda sobre FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO ESPORTIVA: Da base acadêmica à qualificação mercadológica; apresentações de Comunicações orais, Mesa Redonda Gestão de Programas de Saúde e Exercícios Físicos e Conferência de Encerramento: Os mega eventos contribuem para o aumento da cultura esportiva? e as 19h - Terá a Assembléia da Associação Brasileira de Gestão Esportiva - ABRAGESP.





BLOG NA COBERTURA DO II CIGESP 2013 DIRETO DE RECIFE


EVENTO INICIOU NA UNIVERSIDADE 
FEDERAL DE PERNAMBUCO EM RECIFE
"Na palestra de abertura do português, Dr. SARMENTO, da Universidade do Desporto de Porto, palestrante internacional na área da Gestão Esportiva,  afirmou:" O Brasil é top no mundo do esporte e é considerado o que mais pratica atividade física." 
Sarmento:" Acho que sou mais brasileiro do que português. É o que sinto."

MOMENTOS ANTES NO HOTEL MARANTE
Parte do grupo de palestrantes, equipe de trabalho e ABRAGESP
Paulo Henrique, da ABRAGESP fala com a colombiana Cláudia, palestrante do Evento

Palestrantes e ABRAGESP junto com o professor português SARMENTO(de casaco à esquerda)

MOMENTOS JÁ NA SOLENIDADE DE ABERTURA
Grupo e inclusive o editor, na chegada da UFPE para o início da atividades

Equipe de Inscrição do Evento
Parte dos participantes do Evento
   O ato solene de abertura foi realizado no auditório do Centro Social de Ciências Aplicadas da Universidade Federal de Pernambuco-UFPE. A mesa diretora assim ficou constituida:Edilso Fernandes - Pró-Reitor de Extensão da UFPE, Vilde Menezes - Presidente da Associação Brasileira da Gestão Esportiva-ABRAGESP,Denilson Marques, Diretor do CSCA-UFPE,Carlos Augusto Mulatinho, representante da Direção do Curso de Educação Física da UFPE, Walber Santos, da Secretaria Estadual de Esportes e Lazer de PE, Flávia da Cunha Bastos, da Revista Intercontinental de Gestão Esportiva e ex-presidente da ABRAGESP. Teve os hino Nacional do Brasil e do estado de Pernambuco.
   Na fala das autoridades foi destacado a importância do evento pela sua temática e momento que vive o esporte brasileiro em termos da realização de mega eventos, assim como a necessidade desta área figurar entre aqueles que promovem e querem o desenvolvimento do esporte em toda as suas extensões de manifestações.Chega de amadorismo e sim a dotação de ações em que haja planejamento e uma perfeita sintonia com os envolvidos diretos no esporte.
   O Comitê Organizador manifestou-se orgulhoso de poder realizar em Recife o CONGRESSO e foi enfático em dizer que a UFPE foi decisiva para a execução do Evento. Deu apoio total, de forma estrutural física e humana. Vilde disse que assume as falhas que por ventura acontecerem, mas as coisas boas são  dos acadêmicos que constituiram as várias equipes de trabalho.
Diretor do CSCA da UFPE
Representante da Escola de Educação Física da UFPE

Flávia da Revista Intercontinental da GESTÃO ESPORTIVA
Presidente do Comitê Organizador do Evento
Pró-Reitor de Extensão da UFPE
PALESTRA DE ABERTURA
Com o tema: "Gestão do Esporte no contexto global e o Papel do Brasil" foi proferida pelo portugues, Dr. Sarmento.
Sarmento iniciou dizendo que está em final de carreira, portanto muito tranquilo, livre, sem comprometimento de patrão e de Instituição, que pode falar aquilo que sabe, estudou e acumulou ao longo de décadas,  mas sempre com responsabilidade. Explanou:" Vocês parecem é quem não acreditam do potencial do Brasil. Eu me sinto mais brasileiro do que português, apesar de amar a minha Terra."
Mostrou os 3 modelos de esportes: Americano, Europeu e Brasileiro. Assim ele já mostrou que realmente ele entende que o Brasil tem modelo próprio. Deu ênfase que todos modelos buscam ganho econômico, com maior conotação, o americano, que é show. E até acha o modelo brasileiro e mais completo em termos da filosofia e valores do esporte. E o europeu usa um modelo voltado à saúde.
MEGA EVENTOS -Defendeu-os que os volumosos gastos se pagam e ficam legados dos eventos, nem que seja os clips com os grandes momentos deste grande evento. Ele caracteriza o desporto com fim econômico nas manifestações competição, promoção e recreação. Mostrou em tabela que se gastará o Brasil em torno de 9 bilhões pelos 12 estádios, enquanto se gasta por mil km de rodovias, 8 bilhões, pela Hidroelétrica do Pará, 30 bilhões e pela Refinaria de Pernambuco, 48 bilhões. Tudo são prioridades.

 
BRASIL É TOP - Não dobrou esquina e foi taxativo: "O Brasil é o país que mais pratica esporte (entenda-se em esporte está inserido a atividade física). Não existe país no mundo, onde pessoas caminham em grande quantidade à beira da praia." Continua: "O esporte é imensurável. Vocês não imaginam como ele é penetrante. Ele entra na vida das pessoas, não se sabe como."
Para justificar isso ele mostra estatísticas de uso do PIB de vários países desenvolvidos, que são parecidos ( entre 2,8% a 1,6%) e faz um paralelo com outras áreas de atividade que gastam o restante da percentagem do PIB. Mostrou o Brasil gasta 1,6% do PIB, que representa 67 bilhões, sendo 57% deste é gasto no futebol, ou seja 36 bilhões.
Afirmou que tem retorno, se o esporte gasta, ele recebe retorno em mídia ou satisfação. Lembrou que em outras áreas não tem profissionais destacados, ídolos e se estes no esporte ganham muito, mas eles dão cifras ao clube, ao país.
Ainda em suas afirmações disse que o desporto nunca vai terminar, ele sobreviverá sempre, ele está aquecido. E neste sentido, pode-se dizer, que realmente a atividade física já é uma febre, pois as pessoas tomaram consciência da sua importância, principalmente para a saúde.

Edilso Marques, coordenador da mesa, fez uma síntese sobre a fala do português SARMENTO e encerrou a mesa, dando avisos técnicos, principalmente que o CONGRESSO retorna na manhã de sexta-feira, às 8h30min.
Sarmento nas luzes da TV
Depois da palestra, a COORDENAÇÃO ofereceu um farto coquetel
Uma foto de presidente para presidente: Flávia, ex e Vilde, o atual da ABRAGESP
Também a boa música nordestina

NOTA DO EDITOR
Fizemos as fotos no hotel MARANTE e na UFPE do evento, anotamos algumas manifestações e inciamos a elaboração do blog, lá no restaurante onde os palestrantes fizeram o jantar(foto) e fomos acabar o blog, no nosso apartamento no nosso QG DA RESCE, montado no apto 606. Isso já era 1h e 40min.