segunda-feira, 10 de março de 2014

NOSSO BLOG EM PARALELO COM O SITE OLIMPICO NA COBERTURA DO SUL-AMERICANO EM SANTIAGO

Natação brasileira já soma 26 pódios nos Jogos Sul-Americanos

Penúltima etapa do esporte no evento teve sete provas e deu ao País cinco ouros, uma prata e três bronzes
Satiro Sodré/SSPress Thiago Simon e Thiago Pereira: Xarás fizeram a dobradinha brasileira no pódio dos 200m medley. Pereira levou o ouro e Simon, a prata
Thiago Simon e Thiago Pereira: Xarás fizeram a dobradinha brasileira no pódio dos 200m medley. Pereira levou o ouro e Simon, a prata

        A natação brasileira teve a sua noite mais dourada neste domingo (9), no terceiro dia de competições da modalidade nos Jogos Sul-Americanos de Santiago, no Chile. A penúltima etapa do esporte no evento teve sete provas e deu ao País cinco ouros, uma prata e três bronzes. No total, os nadadores brasileiro já somam 26 medalhas (12 de ouro, três de prata e 11 de bronze).
       As mulheres continuam brilhando no Chile. Pamela Alencar saiu da posição de desclassificada nas eliminatórias para o ouro nos 200m peito (2m31s02). Pela manhã, a arbitragem alegou que a brasileira executou um movimento irregular. Porém, pela regra da Federação Internacional o movimento era permitido e o protesto impetrado pelo chefe da delegação brasileira de natação (Ricardo de Moura) saiu vencedor.
"Eu não sabia que tinha sido desclassificada. Toda a equipe ficou em silêncio até saberem o resultado do recurso. Só me disseram quando o caso já estava resolvido. E mesmo sem saber que tinha sido desclassificada chorei muito por estar na final! Mas deu tudo certo e fico feliz porque disputei com a Julia Sebastián, uma atleta que sempre participa dos campeonatos brasileiros e sempre vencendo. Eu a respeito muito, pois é uma atleta que treina e se esforça demais", revelou Pâmela.
        Pamela tem 20 anos e está em seu primeiro Sul-Americano absoluto. Ela travou uma disputa acirrada com a argentina Julia Sebastián (2m31s30) e a medalha de bronze foi para outra brasileira, Juliana Marin (2m36s32).
Bruno Fratus não frustrou as expectativas e venceu os 50m livre (22s40). Segundo ele, o tempo poderia ter sido mais baixo não fosse um problema técnico. "Os blocos de partida estavam frouxos. Tentaram acertar duas vezes e aí achei melhor não segurar a prova e atrapalhar todo mundo porque não estava mal só pra mim. Vi que dava pra bater na frente, mas infelizmente baixar o tempo não deu", explicou Bruno. No pódio, a prata ficou com o argentino Frederico Grabich (22s86) e o bronze com o surinamês Enzo Tjon-A-Joe (22s88). Nicholas Santos terminou em quinto lugar (23s09).
Thiago Pereira e Thiago Simon foram os "xarás" de ouro e prata. Pereira venceu os 200m medley (2m00s09) e Simon ficou com a prata (2m02s80). Esta é a segunda dupla da natação nos degraus mais altos, antes Larissa Oliveira e Graciele Herrmann fizeram os mesmo nos 100m livre. Thiago explicou que já é hora de voltar ao grande número de provas.
         "No ano passado tirei um tempo para descanso bem longo. Foram três meses que eu precisava para descansar. Agora, está na hora de voltar a nadar aquele número grande de provas e acelerar porque 2016 está chegando. Ainda estou sentindo pela falta de ritmo, mas está legal e é assim mesmo", disse o nadador.
Os revezamentos fecharam o dia vitorioso dos nadadores brasileiros em Santiago. O 4 x 100m medley masculino somou 3m37s95, com Fernando Ernesto (55s46), Felipe Lima (1m00s50), Nicholas Santos (52s95) e Matheus Santana (49s04). As meninas venceram o 4 x 100m livre com 3m44s19, feitos por Daynara de Paula (56s15), Larissa Oliveira (55s61), Alessandra Marchioro (56s01) e Graciele Herramann (56s42).
     O País obteve ainda os pódios de bronze com Fernando Silva, nos 100m borboleta (53s88), e Jessica Cavalheiro (2m01s27), nos 200m livre.
Com os resultados deste domingo (9), o Brasil disparou na liderança do quadro de medalhas dos Jogos Sul-Americanos. Ao final das disputas de sábado, o País somava 33 pódios e aparecia na segunda colocação geral. Entretanto, o domingo foi repleto de conquistas em diversas modalidades e o Brasil, agora, lidera a competição com 56 medalhas, das quais 27 são de ouro, 10 de prata e 19 de bronze.
Em segundo lugar vem a Argentina, com 49 medalhas (16 ouros, 17 pratas e 16 bronzes), seguida da Venezuela, com 44 medalhas (16 ouros, 12 pratas e 16 bronzes). Anfitrião, o Chile aparece em quinto, com 45 medalhas, das quais 8 são douradas, 19 prateadas e 18 de bronze.

Nenhum comentário: