quarta-feira, 16 de abril de 2014

NOSSO BLOG EM PARCERIA COM SITE OLIMPICO

QUARTA-FEIRA, 16 DE ABRIL DE 2014


NOSSO SITE OLIMPICO COM A RIO 2016

A VOLTA DO ÍCONE DA NATAÇÃO MUNDIAL

                                                           Por Scheyla Althoff Decat 
Nossa Editoria, sabendo do conhecimento e a vibração sobre a NATAÇÃO, solicitamos a SCHEYLA, da CEV-LEIS, do Rio de Janeiro, nossa futura colunista na COMUNICAÇÃO OLÍMPICA para que escrevesse algo sobre a volta de PHELPS. Eis:


                           O nadador americano Michael Phelps, o maior campeão olímpico da história esta de volta ao mundo da natação, o que para mim e garanto que também para todos os amantes dos esportes olímpicos, foi uma agradável surpresa. O nadador já vinha amadurecendo esta idéia desde o final de 2013. Agora ele selou a sua decisão de voltar as piscinas, tanto que se inscreveu na competição chamada Arena Grand Prix em Mesa que acontecerá no Arizona neste mês de abril. Até o mês de agosto o atleta também participará das competições que acontecerão em maio em Charlotte e em junho em Santa Clara na California, com o intuito de se reencontrar com o ambiente de competição e até mesmo para se testar, dando preferência as provas curtas como os 100 metros nado livre e os 100 metros nado borboleta.

                        Ao meu ver o nadador Michael Phelps, no auge dos seus 28 anos ainda pode trazer muitas alegrias ao mundo da natação, mas para chegar até os Jogos Olímpicos Rio 2016 ele precisará ser testado na seletiva para o Pan Pacífico no final do ano, além de disputar as seletivas que serão disputadas no mês de agosto, a fim de que obtenha índice nas provas que pretende nadar e sacramentar a sua participação nos Jogos Pan Americano de Toronto como também  no Campeonato Mundial de Kazan que ocorrerão em 2015.

                      Torço para que Phelps consiga alcançar uma boa performace nas competições que irá participar e que venha, com sua experiência e sabedoria, abrilhantar os Jogos Olímpicos Rio 2016, pois ele é um exemplo de atleta a ser seguido. Arrisco a dizer que Michael Phelps pode surpreender.
NOTA DO EDITOR
Essa é a Scheyla, da CEV-LEIS, que será uma das colunistas neste site, na coluna: COMUNICAÇÃO OLÍMPICA. Obrigado pela colaboração e eu ainda acrescento de que um atleta do perfil e nome que tem PHELPS, sabe o compromisso dessa decisão: Dizer que está voltando é porque tem segurança nisso e diria mais, o poder é DEUS e a busca é do HOMEM e temos visto que a capacidade física do homem com a ajuda da tecnologia, hoje,  não tem limite. Scheyla, tambem, torcemos, mas que fique em segundo, atrás do nosso CIELO.
Aguardemos.
(CLERY - EDITOR) 

TERÇA-FEIRA, 15 DE ABRIL DE 2014


NOSSO SITE OLIMPICO COERENTE COM SUAS MATÉRIAS



Coluna COMUNICAÇÃO OLIMPICA (I)
A baia de Guanabara foi tema 
da Coluna da CARLA ARAUJO



Na estréia da Coluna COMUNICAÇÃO OLIMPICA, Carla Araujo falou sobre a Baia de Guanabara, provando a coerência do assunto, o FACE nesta terça-feira traz uma matéria





Olimpíadas sem esgoto! Salve a Baía de Guanabara!

Para atrair as Olimpíadas para o Rio de Janeiro, o Brasil prometeu despoluir 80% da Baía de Guanabara até 2016. No entanto, até agora o acordo não vem sendo cumprido. As competições classificatórias de vela estão ocorrendo, para nossa vergonha, num mar de esgoto, provocando a indignação internacional, especialmente dos atletas.
A Constituição Estadual determina que os lançamentos finais de esgotos sanitários sejam precedidos, no mínimo, de tratamento primário completo. Portanto, é legalmente proibido jogar esgoto in natura no mar, nas lagoas e rios. A Lei Federal dos Crimes Ambientais ( Lei n 9605, art 54) prevê pena de reclusão a quem “causar poluição de qualquer natureza em níveis que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana”.

A Baía de Guanabara é o maior e mais antigo ícone de nosso país e de nossa cidade. Ela pode vir a ser também o maior fator de desenvolvimento sustentável e de integração social dos 17 municípios que a rodeiam, promovendo o turismo e novas áreas de lazer, os esportes náuticos para todos, a navegação, o transporte marítimo de passageiros- e a pesca.

DOMINGO, 13 DE ABRIL DE 2014


NOSSO SITE OLIMPICO ESTREIA COM A COLUNA COMUNICAÇÃO OLIMPICA

COMUNICAÇÃO OLÍMPICA: (I)
  O SITE OLIMPICO estréia hoje o espaço: COMUNICAÇÃO OLÍMPICA, nele teremos  manifestações de Profissionais especialistas na gestão, administração, atividade física, psicologia,  esportes e saúde, que serão nossos colaboradores na cobertura da OLIMPIADA RIO 2016. Vale lembrar que o trabalho iniciou  3 ANOS ANTES da OLIMPIADA, em agosto de 2013, no SITE OLIMPICO exclusivo de SANTA MARIA –RS:www.santamarianaolimpiada2016.com.br e no jornal SAUDE PELA PRÁTICA. A edição e coordenação deste trabalho, que parece ser inédito na COMUNICAÇÃO ESPORTIVA OLÍMPICA, é do  santa-mariense, Profissional de Educação Física,  delegado da FIEP-RS-BRASIL, jornalista,  que realiza a cobertura de JOGOS OLIMPICOS desde Barcelona, em 1992.   A portuguesa,  Carla Isabel Paula da Rocha de Araujo, faz a sua estréia e anuncia um material  inicial para 3 colunas. A editoria do SITE OLÍMPICO agradece as disponibilidades dos colaboradores  e informa que acompanhará todo o material, mas que o seu conteúdo, na forma técnica e conhecimento, é da responsabilidade dos autores.
Aos pés do CRISTO REDENTOR
·        Carla Araujo
Aos pés do Cristo Redentor temos duas das 8 maravilhas do Rio de Janeiro, a Lagoa Rodrigo de Freitas e a Baia de Guanabara.  Ambas serão palco do maior evento esportivo carioca de todos os tempos, os Jogos Olímpicos (JO). A questão que nos consome é saber se as duas beldades estão prontas para acolher os esportistas internacionais e os inúmeros turistas que em 2016 aqui  chegarão.
        

Baia da Guanabara    
O Rio de Janeiro, em  2009 e perante o Comité Olímpico Internacional (IOC) , prometeu entregar a Lagoa e a Baia despoluídas, para tal o empresário do momento, Eike Batista, garantiu investir 15 milhões e fez um desafio: “Daqui a 6 meses eu e você estaremos nadando na Lagoa”. O tempo passou, a Lagoa Rodrigo de Freitas continua poluída e o Eike Batista retirou o apoio que estava dando à  despoluição por contingências financeiras.
             Muitos pensarão ‘Não tem como recuperar a Lagoa e nem a Baia de Guanabara’, pois são anos de poluição, falta de esgoto sanitário, má educação e toneladas de lixo flutuando. Talvez o seja para 2016, e com isso as soluções apresentadas pelo Governo Estadual e RIOCOG (Comissão Organizadora dos Jogos Olímpicos do Rio 2016) sejam as redes coletoras nas saídas dos grandes rios que impedem que a poluição vá para o mar ou as cerca de 18 ecobarreiras (feitas com PET e cabos de aço) para coleta dos detritos.
        Mas o que muitos não sabem é que na década de 60, na Suíça, país sede do IOC, o Lagoa de Genebra era tão ou mais poluído que a baia e a lagoa. Eles tinham uma grande missão, numa época em que não se falava de Sustentabilidade Ambiental nem de um Mundo Melhor, e dois países para lidarem com a situação (França e Suiça) e chegarem a consenso. E fizeram, deixaram de despejar esgoto e dejetos das fábricas e hoje pode-se até nadar, velejar, fazer canoagem, etc..
Lagoa de Genebra
Maison do IOC no entorno da Lagoa
Praticando esporte na Lagoa de Genebra
             Este é um exemplo que o Rio necessita imitar. Atualmente,  temos tecnologia, apetrechos, informações e ferramentas para conseguirmos o feito em tempo ágil, o que falta é colocar como prioridade. Como diz Gabeira: “ Se o Governo demora 6 meses para terminar um simples banco de cimento, imaginem para limpar a Lagoa?”. O grito é de URGÊNCIA e os Cariocas viram nas Olimpíadas uma janela de oportunidade para que o sonho se concretize, a Lagoa Rodrigo de Freitas e Baia de Guanabara prontas para ‘mergulhar’. Os JOGOS OLÍMPICOS se aproximam e com eles tem-se a urgência de ações definitivas e não paliativas.
             O Brasil espera transmitir uma imagem de país organizado, comprometido, pujante e que não se coaduna com descompromissos e atrasos. Os cariocas anseiam por se exporem ao Mundo com a sua‘cidade maravilhosa cheia de encantos mil’, rodeada por verde, água, praias na mixagem com o cimento, mas que não descura o Ambiente.
           A voz dos esportistas urge por SOLUÇÕES, assim como todos que aguardam a vinda do maior evento esportivo pela primeira vez na América do Sul. E na próxima edição iremos escutar a voz de algum desses esportistas cariocas que precisam da Lagoa Rodrigo de Freitas e da Baia de Guanabara para a prática esportiva. ( CARLA volta com o mesmo assunto em COMUNICAÇÃO OLÍMPICA II, neste SITE OLÍMPICO)
   *Aluna no último ano do Programa Doutora emCiências do Desporto da Faculdade de Ciências do Desporto – Universidade do Porto (Portugal); Pesquisadora no Centro de Estudos Olimpicos da Universidade Gama Filho entre 2009 a 2013; Membro Fundadora da ABES (AssociaçãoBrasileira para o EsporteSustentável); Membrodo EASM (European Association for Sport Management); Membro do AISTS (Académie Internationaledes Sciences et Techniquesdu Sport); Membro do Corpo Editorial da RIGD (Revista Intercontinental de Gestão Desportiva); Membro da ABRASGESP (Associação Brasileira de Gestão do Esporte); membro da APOGESD (Associação Portuguesa de Gestão do Desporto); Professora Universitária em Portugal e no Brasil; passado esportivo como atleta e treinadora de ginástica e de voleibol; mãe de três pimpolhos; Portuguesa com direitos iguais no Brasil; apaixonada pela educação e filha de professores.