quinta-feira, 3 de setembro de 2015

COBERTURA DO BRASILEIRO SENIOR DE TENIS DIRETO DE PORTO SEGURO

DESTAQUES DO BRASILEIRO DE TENIS:


 Nosso blog entendo a importância da Competição em termos de participação, integração e conhecimento, aproveitou para  ouvir algumas pessoas que estão participando do Evento.


LUIZ HENRIQUE LABREA: “ Tenis por lazer e compromisso” – gaúcho de São Luiz Gonzaga, engenheiro, 60 anos, residente e atuando profissionalmente em Porto Seguro, considera super abençoado por Deus, pois após um acidente(junho 2010), 6 cirurgias, estado de coma, 1 ano e meio de cadeira de rodas, voltou em 2014 novamente a jogar tênis e hoje pode se dizer que está em plena  atividade tenística e é um dos participantes da Etapa do Brasileiro SENIOR de Porto Seguro, aqui no CAPITANIA HOTEL. Ele pede de que se registre que a prática do tênis é muito bom para que a pessoa se descontraia e faça amizade.

WALBER GRASSI GOMIDE:”Tênis, uma profissão e uma prática saudável.” Paulista de Bauru, 50 anos, professor de tênis, hoje mora em Curitiba, vive o tênis como ministrante e também participante de eventos como o Brasileiro Senior, esse já venceu vários e entende que o SENIOR deveria ter mais atenção por parte da CBT, no que tange a informação e organização, pois o participante paga e merece essa atenção. Acredita que o Brasil pode subir ao pódio, na RIO 2016, mas também lembra que os tenistas de ponta do mundo, querem ser campeões olímpicos.

JOÃO CARLOS MORON SAES BRAGA: ”Tênis uma opção certa para a saúde das pessoas.” Médico cardiologista, 35 anos, de Marília –SP, desde o seus 10 anos pratica tênis, até aos 15 teve participação ativa. Com a preparação para Vestibular, ele diminiu a intensidade e durante o Curso de Medicina, continuou disputando, mas com algumas viagens de estudos para o exterior e as residências de Clínica Médica, Cardiologia e Ecografia, o tênis manteve-se com menos frequência e agora Braga quer recuperar e estar presente nos eventos. Como cardiologista diz que uma pessoa sedentária tem 2 vezes a mais a possibilidade de morrer do que uma pessoa que faz com orientação e um de performance sem orientação tem 7 vezes a mais a chance de morrer.
FOTO - REGISTRO____________________________________________________
 Cláudio Sylvestre, proprietário do CAPITANIA HOTEL, também tenista, acompanhando de perto jogos que acontecem nas seis quadras de seu Hotel.




GERALDO STRITHORST: “Antes o tênis era à sério e agora pelo lazer, mas pra vencer.” – 71 anos, administrador de empresas, de Campo Magro, área metropolitana de Curitiba, oriundo do futebol de campo, onde foi jogador e técnico. Joga tênis à 35 anos. Hoje é bi-campeão brasileiro SENIOR. Aqui em PORTO SEGURO foi campeão na dupla com José Silvestre e foi campeão simples vencendo o seu próprio companheiro de duplas. Sobre o BRASILEIRO SENIOR, Geraldo diz que é uma competição muito boa para fazer relacionamentos, conhecer novos lugares e também para se ganhar pontuação e ser campeão.




Nenhum comentário: