sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

NOSSO BLOG DIVULGANDO O ESPORTE, SAUDE E LAZER

QUATRO SANTA-MARIENSES RUMAM
PARA ESCALAREM ACONCÁQUA

Quase 7 mil metros de altitude, mais precisamente 6.962 m, devem ser vencidos pelos Profissionais santa-marienses: José e Fernando Schlosser (pai e filho, respectivamente engenheiro e advogado), Arno Blitz ( médico) e Luciano, enfermagem, que partem na manhã deste sábado, dia 3, às 6h. 
Arno, José e Fernando
Luciano
      Técnicamente usamos o face do José Schlosser: "Amanhã de madrugada, sairemos eu, o Fernando Schlosser, o Arno Iajur Britz e o Luciano Sarturi para Mendoza, Argentina, de onde faremos duas expedições. A primeira ao Cordón del Plata, onde tentaremos escalar o Vallecitos (5420 m). No dia 12 nos incorporaremos à outra expedição liderada pelo guia Max Krausch do gentedemontanha para escalar o Aconcágua (6962m). Para os que não conhecem isto é esporte e não aventura. Estamos todos bem preparados, nas suas condições particulares. Particularmente eu e o Fernando participamos de um programa de aclimatação no Laboratório de ambiente simulado, sob coordenação do prof. Luiz Osório que nos tratou com carinho e profissionalismo durante meses. Nos encheu de orgulho ver a competência deste grupo da UFSM.
Enviaremos notícias aos amigos sempre que houver sinal de telefone e internet. Na volta teremos muitas fotos e histórias para contar. Ficaremos sem sinal vários dias.


PREPARAÇÃO DO GRUPO
Como destacou Schlosser, o grupo teve o apoio do CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UFSM, através do Laboratório de Simulação de altitude e temperatura, pois o grupo pode ter essa vivência. Agradece SCHLOSSER, mas por sua gentileza, porque na verdade o Laboratório é do Governo Federal, tem que ser usado.
Luciano teve problemas de trabalho e pouco se valeu do laboratório, mas não deixou de fazer a sua preparação física, na EFICAZ ACADEMIA.
Os Schlosser e Arno estiveram recentemente em uma expedição.

PROGRAMAÇAÕ DO GRUPO 
Recebemos do FERNANDO SCHLOSSER a programação dos nossos feras da escalada, que começa amanhã, às 6h, com saída em frente do Posto do DUTRA

Dia / Jan
Plano/Local
03/Sab
Saída as 5hs da manha. Dormiremos Villa Maria, Argentina
04/Dom
Saída as 7hs de Villa Maria. Chegada em Mendoza 13hs
05/Seg
Ida ao Ref Mausy, 2800m. Internet . Subir Arenales 3500m e dormir no refúgio.
06/Ter
Saída de Mausy para Piedra Grande. 3600m. Sem Sinal Celular.
07/Qua
Saída para EL Salto, 4200m. Talvez sinal celular.
08/Qui
Descanso em El Salto. Trek até Hoyada 4600 e retorno Salto
09/Sex
Tentativa de cume Vallecitos. Dormir Salto.
!0/Sab
Tentativa 2 de cume ou descida para refugio
11/Dom
Descanso em Mausy ou Cume pequeno a partir do refugio
12/Seg
Descida a Mendoza. Aluguel de equipa.  Encontro com expedição do Aconcagua. Janta e dormir no Hotel da trupe.
13/Ter
Permisso para Aconcagua. Subida penitentes. 180km, 2300m
14/Qua
Inicio trek. Ida a confluência. 3300m.
15/Qui
Caminhada a Plaza Francia 4150m. Dormir em Confluencia.
16/Sex
Caminhada a Plaza Mulas – 4300m. Campo Base. Telef e Internet
17/Sab
Descanso e caminhada de aclimatação.
18/Dom
Ida a Canada – Campo 1 – 4900m. Volta a Plaza Mulas.
19/Seg
Descanso em Plaza de Mulas 4300m. Telef e Internet
20/Ter
Subida a Canada – 4900m. Campo 1
21/Qua
Subida a Nido Condores – 5600m. Campo 2
22/Qui
Subida a Cólera – 5950m
23/Sex
Subida Cólera – Cume – 6962m. Após Cume, dormir em Cólera. Tent 1
24/Sab
Subida Cólera – Cume – 6962m. Após Cume, dormir em Cólera. Tent 2
25/Dom
Subida Cólera – Cume – 6962m. Após Cume, dormir em Cólera. Tent 3
26/Seg
Descida Colerá – Plaza de Mulas
27/Ter
Descida a Mendoza
28/Qua
Retorno para casa, saída.
29/Qui
Retorno para casa. Dependendo do dia de cume, pode ser 1 ou 2 dias antes.





COBERTURA DA EXPEDIÇÃO  
Estamos nos colocando a disposição do Grupo para mantermos, na medida do possível, de acordo com as condições para informarmos o andamento da expedição.
Estaremos amanhã, no POSTO DUTRA, na saída do grupo rumo à MENDONZA, Argentina.
(CLERY - EDITOR)
 

NOSSO BLOG EM PARALELO COM O SITE OLIMPICO DO CAEL-SM

Novo ministro do Esporte evita conversar com jornalistas

José Cruz
Também pastor da Igreja Universal, ministro George Hilton confessou: “Não entendo de esporte, mas entendo de gente”, justificando sua disposição para, dialogando, se sair bem na função   
 geeeoorfrr
        Num auditório lotado, mas esvaziado de atletas, com poucos dirigentes e a ausência de representante do COB (Comitê Olímpico do Brasil), o deputado federal George Hilton (PRB-MG) assumiu o Ministério do Esporte com um discurso de otimismo. E, humildemente, o também pastor da Igreja Universal, confessou: “Não entendo de esporte, mas entendo de gente”, justificando sua disposição para, dialogando, se sair bem na função. Até o encerramento deste artigo não se sabia o motivo oficial sobre a ausência do COB. Coaracy Nunes, presidente da CBDA (Confederação de Desporto Aquáticos) e decano dos dirigentes, esteve na cerimônia, assim como os presidentes do Judô, Basquete, Canoagem entre outros. O ex-presidente do Corinthians, Andréz Sanches, agora deputado federal (PT/SP), também compareceu à solenidade. 
         Talvez por ainda conhecer pouco sobre o complexo assunto o ministro tenha desaparecido logo depois de encerrada a cerimônia de transmissão de cargo, promovida pelo ex-ministro Aldo Rebelo. Hilton recebeu meia dúzia de cumprimentos e escapou do assédio dos repórteres.
Antecipadamente, sabia-se que o ministro não daria entrevistas coletiva nem individual. Isso ocorrerá só daqui a uma semana, depois que George Hilton (foto) se reunir com assessores e conhecer melhor os números do setor, segundo a assessoria dele.
Mesmice
      A exemplo de Agnelo Queiroz, em 2003, Orlando Silva, em 2006 e Aldo Rebelo, em 2011, o novo ministro disse que intensificará parceria com o Ministério da Educação. “O esporte escolar é o caminho para o desenvolvimento sustentável do esporte brasileiro”.
      Na prática não há parceria com a Educação, mas iniciativas individuais, porque não temos um programa de governo, cada pasta faz o que acha que é o correto. O novo lema do governo Dilma Rousseff é “Brasil, pátria educadora”, mas também no discurso de posse, na quinta-feira, a presidente não fez referência a projeto integrado de “educação e esporte”.
Sobre os Jogos Olímpicos Rio 2016, George Hilton assumiu compromisso: “Eu me comprometo com o legado dos Jogos e quero que seja amplo, democrático, nacional e duradouro''.
      Na plateia, o general Fernando Azevedo e Silva, presidente da APO (Autoridade Pública Olímpica), que já trabalha nesta questão, por ser competência do órgão que dirige, conforme a legislação.
No mês passado, Azevedo e Silva viajou a Londres para conhecer o projeto de legado dos Jogos de 2012 e melhor encaminhar o assunto no Brasil. O cerimonial do Ministério do Esporte falhou em não chamar o presidente da APO para a mesa, pois ele é a autoridade maior do governo federal para assuntos dos Jogos 2016, o representante do Palácio do Planalto nas relações com os governos municipal e estadual do Rio de Janeiro.
      Dos atletas da ativa, apenas Emanuel, medalha de ouro no vôlei de praia, com Ricardo, nos Jogos de Atenas. Ele é marido da ex-jogadora Leila (PRB/DF), que ontem assumiu a Secretaria de Esportes do Distrito Federal e hoje foi levar o seu apoio ao novo ministro e correligionário