terça-feira, 4 de outubro de 2016

NUZMANN MANTÉM-SE NO PODER DO COB

Chapa Nuzman / Paulo Wanderley é eleita para o quadriênio 2017-2020

Novo mandato começa em primeiro de janeiro do próximo ano

Heitor Vilela/COB
04/10/2016 15:41
A chapa formada por Carlos Arthur Nuzman e Paulo Wanderley Teixeira foi eleita  nesta terça-feira, dia 4, para presidente e vice-presidente, respectivamente, do Comitê Olímpico do Brasil (COB) para o quadriênio 2017-2020. O mandato passa a valer em 1º. de janeiro próximo. A chapa Nuzman / Paulo Wanderley foi a única a apresentar registro para o processo eleitoral. Dos 34 votos possíveis, 29 compareceram à votação. A chapa foi eleita por 24 votos a favor, um contrário, três abstenções e um voto em branco. A eleição definiu também a composição dos Membros Eleitos e do Conselho Fiscal. Para o ciclo olímpico até Tóquio 2020 o COB pretende consolidar o legado esportivo dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a fim de garantir o crescimento sustentado do esporte de alto rendimento no Brasil. Após a eleição, Nuzman anunciou que o novo Diretor Executivo de Esportes do COB será o atleta olímpico de atletismo e campeão pan-americano dos 800m Agberto Guimarães. 
“Sinto-me muito honrado pela confiança que recebi da Assembleia do COB para este novo mandato. Queremos transferir para as Confederações o conhecimento acumulado na organização dos Jogos Rio 2016, em benefício dos atletas, e também desenvolver todas as potencialidades criadas para o Rio 2016: profissionais do esporte mais qualificados, novas instalações esportivas e maior aproximação com as Federações Internacionais e Comitê Olímpicos Nacionais. Vamos prosseguir no trabalho contínuo com as Confederações para elevar o nível técnico dos atletas brasileiros de alto rendimento e inspirar a juventude brasileira para os valores do esporte olímpico”, explicou Nuzman.
O vice-presidente eleito, Paulo Wanderley Teixeira, que também é presidente da Confederação Brasileira de Judô, manifestou sua expectativa para o novo cargo. “Fiquei muito feliz com o convite para ser vice-presidente do COB, e colocarei toda a experiência que adquiri, como presidente da Confederação Brasileira de Judô, a serviço de todas as Confederações e do desenvolvimento dos esportes olímpicos no Brasil”, afirmou o Paulo Wanderley.
Em cumprimento ao que determina o artigo 11 do Regimento Interno da Assembleia do Comitê Olímpico Brasileiro, o prazo para o registro de chapas para o pleito foi encerrado no dia 30 de abril de 2016. Naquela data, apenas a chapa Carlos Arthur Nuzman / Paulo Wanderley Teixeira apresentou candidatura para a eleição, cumprindo todos os requisitos do processo eleitoral do COB.
Na eleição desta terça-feira tiveram direito a voto os presidentes das 30 Confederações Brasileiras Dirigentes de Esportes Olímpicos, os três membros natos permanentes do COB – André Gustavo Richer, Bernard Rajzman e Carlos Arthur Nuzman, e o presidente da Comissão de Atletas do COB, Emanuel Rego.  Devido a uma viagem internacional, Emanuel não pôde comparecer à Assembleia, mas enviou uma carta de apoio à chapa Nuzman / Paulo Wanderley. Por atraso no voo que o trouxe ao Rio de Janeiro, o presidente da Confederação Brasileira de Tiro com Arco, Vicente Blumenschein, não pôde votar. As Confederações de Desportos no Gelo, Desportos na Neve e Taekwondo também estiveram ausentes, pois indicaram pessoas que não tinham representatividade legal para votar pelo presidente da entidade. A eleição foi realizada através de voto secreto, em cédula única.
Atleta olímpico do voleibol nos Jogos Olímpicos Tóquio 1964, Carlos Arthur Nuzman assumiu o COB em 1º. de julho de 1995, após uma era de conquistas e glórias do voleibol brasileiro em que presidiu a Confederação Brasileira de Voleibol. No COB, imprimiu um modelo de gestão profissional à entidade, atraiu patrocinadores para os esportes olímpicos, participou diretamente da criação de leis que hoje são fundamentais para o esporte brasileiro, tais como a Lei Agnelo/Piva e a Lei de Incentivos ao Esporte, e conquistou para o Brasil a sede dos maiores eventos multiesportivos do mundo, como os Jogos Pan-americanos (Rio 2007) e os Jogos Olímpicos (Rio 2016). Também presidiu a organização de sucesso dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.
Em termos de conquistas de medalhas olímpicas do esporte brasileiro, desde Atlanta 1996, o Brasil obteve média de 14,6 medalhas conquistadas em seis edições dos Jogos Olímpicos, contra a média de 2,4 medalhas nas 16 edições anteriores que o Brasil disputou.
"O legado dos Jogos Rio 2016 nos deixa uma certeza: as lições aprendidas nos estimulam a construir uma nova etapa no esporte olímpico brasileiro. Há uma enorme confiança no trabalho feito pelas Confederações nos últimos anos e o nosso foco será a integração. Vamos nos reunir com as Confederações, definir os projetos para o próximo ciclo olímpico e trabalhar conjuntamente para a contínua evolução do esporte brasileiro", afirmou Nuzman.
Chapa vencedora para o quadriênio 2017/2020
Presidente: CARLOS ARTHUR NUZMAN
Vice-Presidente: PAULO WANDERLEY TEIXEIRA
Membros da Assembleia
Alexandre Abeid
Bernard Rajzman
Edson Figueiredo Menezes
Eduardo Henrique De Rose
Janeth Arcain
João Granjeiro Neto
José Antonio do Nascimento Brito
José Gustavo de Souza Costa
Julio Sérgio de Souza Cardoso
Manoel Felix Cintra Neto
Membros do Conselho Fiscal
Efetivos:
Ângelo Moniz Freire Vivacqua              
Guilherme de Oliveira Campos            
Marcus de Carvalho Mussa Gaze
Suplentes:
José Carlos Audiface de Brito
Maristela Nassar Meirelles
      

NOVO DIRETOR EXECUTIVO DE ESPORTES DO COB

Agberto Guimarães é o novo diretor executivo de esportes do Comitê Olímpico do Brasil

Ex-atleta olímpico volta à entidade após trabalhar na organização dos Jogos Rio 2016

Heitor Vilela/COB
04/10/2016 17:06
Ex-atleta olímpico de atletismo e campeão pan-americano nos 800m e 1500m em Caracas 1983, Agberto Guimarães foi anunciado nesta terça-feira, dia 4, como o novo diretor executivo de Esportes do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Aos 59 anos, Agberto volta ao COB após ter exercido a função de diretor executivo de Esportes e Integração Paralímpica do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Como atleta, disputou três Jogos Olímpicos no atletismo (Moscou 1980, Los Angeles 1984 e Seul 1988) e alcançou a quarta colocação nos 800m rasos em Moscou 1980. 
“Poucos atletas no Brasil têm uma história tão rica e tão forte igual ao Agberto. Ele foi o diretor de esportes dos Jogos Pan-americanos, do projeto da candidatura aos Jogos Olímpicos e o diretor de Esportes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, além de ter sido um brilhante atleta do atletismo. Seu currículo é exemplar e eu me sinto extremamente envaidecido dele ter aceito o convite para assumir este cargo no COB. Agberto foi fundamental para o êxito dos Jogos Rio 2016 e agora vai contribuir para o desenvolvimento do esporte brasileiro em uma nova função. Temos a missão de seguir com o trabalho de evolução das diversas modalidades, em conjunto com as Confederações”, disse o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.
Natural de Tucuruí (PA), Agberto ingressou no COB em 1999. Na entidade, ajudou a montar o departamento de Ciências do Esporte e gerenciou os projetos da Solidariedade Olímpica no Brasil. Depois, atuou no Comitê Organizador dos Jogos Pan-americanos Rio 2007, como Diretor de Esportes. Após o Pan, foi chamado a contribuir no Comitê de Candidatura e depois no Comitê Organizador Rio 2016. No Rio 2016, também como Diretor de Esportes, Agberto teve a tarefa de planejar e organizar todas as competições esportivas dos Jogos Olímpicos Rio 2016, incluindo a logística da competição e treinamento e as cerimônias de premiação.
“Estou chegando com calma, saindo do Comitê Rio 2016 para voltar para casa. Eu conheço o COB, mas preciso de dois ou três meses para tomar pé da situação, entender o trabalho que foi feito de fato. Mas, de qualquer forma, acredito que o foco é sempre na qualidade técnica, ou seja, no resultado e na melhor performance dos atletas. O trabalho que faremos será em parceria com as Confederações para que possamos oferecer o melhor ambiente possível aos nossos atletas. Esse é o nosso foco”, explicou Agberto Guimarães, que como atleta possui cinco medalhas em Jogos Pan-americanos.
Agberto Guimarães iniciou sua carreira de gestor esportivo como administrador das instalações esportivas do Ibirapuera, em São Paulo, na década de 90. É formado em Educação Física pelas Universidades de Bringham Young (EUA) e de São Caetano do Sul (SP), e passou pela Federação Paulista e pela Confederação Brasileira de Atletismo. “O desafio agora é olhar para frente no ciclo até 2020. Assumo uma função que já vinha fazendo no COB, antes de ir para o Comitê Organizador, e dar continuidade ao bom trabalho que o Marcus Vinicius fez no ciclo passado”, destacou o novo diretor executivo de Esportes do COB.

NOTA DO EDITOR -  Estranho. Tentamos o fone do MARCUS VINICIUS para sabermos dessas mudanças e se ele saiu do COB ou assumiu outra função e não tivemos contato. Deixamos um what zap para saber.