domingo, 20 de novembro de 2016

NOSSA COBERTURA DA ETAPA ESTADUAL DA BOCHA ADAPTADA DA FGB SEDIADA EM SANTA MARIA

SANTA MARIA SEDIOU EXITOSAMENTE O EVENTO DA BOCHA ADAPTADA
(Santa Maria ganha espaço no cenário gaúcho, em termos técnico e organização)
Santa Maria, dentro de sua vocação esportiva, lança-se no cenário gaúcho na BOCHA ADAPTADA. Criou recentemente a ASSOCIAÇÃO SANTA-MARIENSE PARADESPORTIVA - ASSAMPAR e nesse final de semana sediou a SEXTA ETAPA DO ESTADUAL GAÚCHO, que teve 28 participantes de vários municípios gaúchos e pela primeira vez a disputa do FEMININO.
INTER E CRUZEIRINHO foram parceiros da ASSAMPAR na realização do Evento, com a coordenação maior da FEDERAÇÃO GAÚCHA DE BOCHAS - FGB, pelo sua Diretoria de BOCHA ADAPTADA, com JOEL STOCK.

MATÉRIA NA COLUNA DO CRUZEIRINHO NO JORNAL SAUDE PELA PRÁTICA, EDIÇÃO DO MÊS DE DEZEMBRO.
(Estamos adiantando a matéria)

CRUZEIRINHO PARTICIPOU DA ETAPA ESTADUAL DA BOCHA ADAPTADA
Com solenidade de abertura no Internacional, na manhã de 19 de novembro e o encerramento no dia 20, no Cruzeirinho, Santa Maria sediou a VI Etapa Estadual de BOCHA ADAPTADA em Cadeiras de Rodas pela Federação Gaúcha de Bochas. Com a presença de autoridades, convidados, dirigentes e atletas de várias cidades gaúchas. Teve a participação de 28 bochófilos cadeirantes, sendo que deste pela primeira  vez teve a participação de 4 mulheres ( 3 foram de Santa Maria).
A Coordenação geral foi da FGB com o Diretor Joel Stock e a Associação Santa-mariense Paradesportiva – ASSAMPAR.
No masculino foi campeão AMADOR MELLO, Passo Fundo e vice, VANDERSON SATHERS e no feminino venceu ADRIANA DIAS – ASSAMPAR –S.Maria e vice TANIA NANSCH – S. Cruz do Sul.

Os jogos foram realizados no Inter e no Cruzeirinho. O feminino encerrou no sábado. Campeã – Adriana – ASSAMPAR; vice – Tania – S.Cruz; 3º lugar – Claudia – ASSAMPAR e 4º lugar – Vera – ASSAMPAR e o masculino ao meio-dia de domingo. CLASSIFICAÇÃO – Campeão – MELLO, 3º lugar – ANDERSON; 4º lugar; 5º lugar- EVERALDO ( todos de Passo Fundo) e o vice e 6º lugar, respectivamente da ASSAMPAR –SM, VANDERSON e lugar – JARI – ASSAMPAR.

Bocha Adaptada em fotos___________________
Mulheres na competição com dirigentes

 Adriana (ASSAMPAR) campeã


Amador (P.Fundo) campeão


Participantes com dirigentes


DIA 4 DE DEZEMBRO TEM TORNEIO DA ESCOLINHA DE INICIAÇÃO PIÁ BOM DE BOCHAS DO CRUZEIRINHO.

NOTA DO EDITOR_____________________________

Na qualidade de um colaborador da difusão do esporte em nossa cidade, há mais de 43 anos, participamos da fundação da ASSOCIAÇÃO SANTA-MARIENSE PARADESPORTIVA - ASSAMPAR e fizemos parte da sua diretoria. E, como havia nesse  final de semana , uma ETAPA ESTADUAL de BOCHA ADAPTADA aqui. Dias antes, participamos da divulgação do evento e fomos o apresentador do cerimonial de instalação do Evento, lá no INTER (elaboração da Claudia Ravazi). E ficamos na INTERNET, no face e no nosso site SAUDE PELA PRÁTICA contando lance por lance do Evento.

Com todo esse tempo de COMUNICAÇÃO ESPORTIVA, foi a primeira vez que me envolvi diretamente num Evento do Paradesporto.

Confesso que conhecendo a amplitude do esporte, a sua extensão desde a sua concepção até a gestão, fiquei impressionado com os seus participantes, que tem as dificuldades inerentes do ESPORTE, imagine eles que tem deficiência.
A Bocha já acampanhei muitos eventos, mas ADAPTADA nunca tinha esse contato e vi um diferença enorme, porque normalmente com a bocha e o bolão rola a CERVEJA solta e agora aqui não se viu isso, a não ser alguns escondidinhos puxando um pito (cigarro, bem entendido).
O que fica? - Muito, porque pelo que tive falando com o JOEL, homem forte da FGB, do presidente JAIRO, que se sensibilizou e está dando todo o apoio, inclusive criando a DIRETORIA de BOCHA ADAPTADA, nesse ano. Vimos um lance espetacular para avanços futuros e não temos dúvidas de que breve o RS comandará a BOCHA ADAPTADA no Brasil e por consequinte no Continente Sulamericano. Aliás o que já acontece com a BOCHA NORMAL, nosso grande BATISTA.

A largada foi dada. Santa Maria está bem com a ASSAMPAR, pelo que estamos acompanhando. Precisa manter essa coesão e a FGB trabalhando assim séria, ampliando suas ações teremos uma soma fantástica nesse esporte, que hoje está com pouco mais de 40 inscritos, mas que vai crescer, assim é expectativa. Avançou com O FEMININO, foi realizada pela vez primeira o naipe, em Santa Maria e teve 4 mulheres, sendo dessas 3 daqui.

Amigos, a priori, dentro de nossas limitações e capacidade, podem contar com esse PROFISSIONAL que tem a COMUNICAÇÃO ESPORTIVA como missão, na qualidade de Profissional de Educação Fisica e Jornalista.
SAUDE PELA PRÁTICA  a todos.
(CLERY QUINHONES DE LIMA -EDITOR)

SITE NA COBEERTURA DO ESTADUAL DE BOCHA ADAPTADA EM SANTA MARIA

Agora a final no CRUZEIRINHO
Estão jogando Amador (P. Fundo) x Vanderson (S.Maria, da ASSAMPAR) na final. Agora placar de 3x3 Amador e vai até 10 pontos.
Amador x Vanderson

COBERTURA DO SITE DA ETAPA ESTADUAL DE BOCHA ADAPTADA EM SANTA MARIA

RETOMA A COMPETIÇÃO NO CRUZEIRINHO
A competição abriu na manhã de ontem, no INTER e prossegue hoje, no CRUZEIRINHO. Ontem mesmo encerrou o feminino, que teve a vitória de ADRIANA DIAS, da Assoc. Santa-mariense Paradesportiva.
Hoje, pela manhã, deve ter o encerramento, estão sendo realizadas as semi-finais. Agora jogam VANDERSON, de SMaria x ANDERSON, de Passo Fundo.
Depois terá CARLOS x AMADOR, todos de Passo Fundo.
 Joel, da FGB, Denilson, ASSAMPAR e o dirigente de P.FUNDO
 Os disputantes da SEMI-FINAL, Vanderson x Anderson
 Iniciando a semi-final

JOGOS ESCOLARES DA JUVENTUDE -JEJ NACIONAL

AGBERTO GUIMARÃES ENALTECE A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS ESCOLARES NA DETECÇÃO DE NOVOS TALENTOS

Diretor do COB acompanha a competição em João Pessoa. Edição nacional é reconhecida internacionalmente como um dos maiores eventos escolares do mundo

Saulo Cruz/Exemplus/COB

O novo diretor executivo de Esportes do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Agberto Guimarães, esteve em João Pessoa (PB) para acompanhar os Jogos Escolares da Juventude e pôde conferir de perto a atuação dos promissores atletas das nove modalidades individuais dos Jogos. Em sua primeira viagem para os Jogos Escolares como novo diretor executivo do COB, Agberto ressaltou a importância da competição na detecção de talentos para o esporte olímpico nacional. Os Jogos Escolares da Juventude reúniu na capital paraibana quase quatro mil atletas de 15 a 17 anos. A partir desta terça-feira, dia 15, começam a ser disputadas as quatro modalidades coletivas (basquete, futsal, handebol e vôlei) da maior competição estudantil do país.
 
"Os Jogos Escolares da Juventude são uma marca definitiva do COB em relação à detecção de talentos. É, sem dúvida nenhuma, um dos maiores, se não o maior evento escolar do mundo, onde temos a oportunidade de avaliar verdadeiramente os talentos que surgem nas escolas pelo Brasil afora", declarou Agberto, quarto colocado nos 800m dos Jogos Olímpicos Moscou 1980.
 
Agberto acredita que o modelo atual dos Jogos Escolares privilegia a maior participação de alunos-atletas. "Sou de uma época de Jogos Estudantis em um modelo bem diferente do que temos agora. O formato atual é muito mais bacana. O atleta representa a própria escola, não mais uma seleção do estado. Isso possibilita uma maior abrangência e aumenta as chances de surgirem novos  talentos", analisou o novo executivo do COB. "O fato dos Jogos serem organizados em duas faixas diferentes permite também uma maior quantidade de atletas e nos possibilita olhar para um número muito maior de jovens. A partir daí, podemos desenhar um modelo de muito mais sucesso na detecção de talentos do que tínhamos antigamente", complementou o paraense de 59 anos, com três participações em Jogos Olímpicos no atletismo (Moscou 1980, Los Angeles 1984 e Seul 1988). 
 
Depois de nove anos envolvido na organização dos Jogos Pan-americanos Rio 2007 e posteriormente do Rio 2016, Agberto voltou ao COB no início de outubro para elaborar e executar o planejamento esportivo da entidade no novo ciclo olímpico. Neste sentido, os Jogos Escolares assumem grande importância na descoberta de novos atletas para o alto rendimento.  "Estou voltando ao COB para começar um trabalho com o objetivo de focar, principalmente, na parte de resultado técnico. Os Jogos Escolares da Juventude são uma peça importante desse processo. A gente não consegue fazer alto rendimento sem ter uma base muito bem consolidada. Os Jogos Escolares nos dão a oportunidade de fazer exatamente isso, de garimpar os novos talentos nas escolas. A gente detecta os talentos aqui nesse evento e temos como aproveitá-los melhor. Ou  seja, temos um produto espetacular nas mãos", destacou o diretor executivo de Esportes do COB.
 
Os Jogos Escolares da Juventude são disputados em duas faixas etárias – 12 a 14 anos e 15 a 17 anos – e cada edição tem 13 modalidades esportivas. Com a entrada de novos esportes nos Jogos Olímpicos, Agberto acredita que o programa dos JEJs possa sofrer algumas adequações para ser mais eficaz. "Vale até a gente pensar num modelo em que façamos um revezamento em algumas modalidades. O basquete, por exemplo, poderia ser feito tranquilamente em um ano o basquete tradicional e no outro o 3x3, que já faz parte dos Jogos Olímpicos da Juventude. Essa mudança é saudável. Você trabalha um pouco mais, dá a oportunidade de injetar um sangue novo", observou Agberto, que é formado em Educação Física pelas Universidades de Brigham Young (EUA) e de São Caetano do Sul (SP).
 
Agberto impressionou-se ainda com a organização dos Jogos Escolares em João Pessoa. "Ver a garotada competindo em um evento com esse nível de organização é muito bacana. O evento não deve nada para nenhum outro dessa natureza no mundo. O Brasil se tornou referência na organização dos Jogos Escolares da Juventude. Tanto é que o COI manda vários observadores todos os anos para que eles possam buscar conhecimento conosco. A organização do evento é muito bacana. Não falta nada", avaliou o campeão pan-americano nos 800m e 1500m em Caracas 1983. 
 
Depois de alguns dias em João Pessoa acompanhando o futuro do esporte nacional, Agberto voltou ao Rio de Janeiro para dar prosseguimento a seu trabalho no planejamento do esporte brasileiro para o novo ciclo olímpico. "Esse tipo de evento renova a energia da gente. Ver jovens tendo esse tipo de tratamento é o que a gente sempre quis, para que eles possam ver no esporte um caminho melhor do que muitas outras coisas ruins que acontecem no meio da rua. Eu sou extremamente grato ao esporte por tudo que fez por mim. O modelo que temos aqui permite que as crianças tenham uma oportunidade de praticar esportes, de conhecer outras crianças do Brasil inteiro e voltar para casa com a sensação de que foram nos Jogos Olímpicos dos seus sonhos, independentemente de ser atleta de alto rendimento ou não. Estamos no caminho certo", projetou o diretor do COB


PIAUÍ CONQUISTA O BICAMPEONATO NO HANDEBOL MASCULINO DOS JOGOS ESCOLARES

Defesa individual foi o ponto forte na vitória sobre o Mato Grosso por 38 a 27. Espírito Santo vence Minas Gerais e fica com o bronze

Washington Alves/Exemplus/COB
19/11/2016 19:38
O CAIC Balduíno Barbosa de Deus, de Teresina (PI), venceu a Escola Estadual Mario Spinelli, de Sorriso (MT) por 38 a 27, na tarde deste sábado, no Centro de Convenções de João Pessoa, e conquistou o bicampeonato da Primeira Divisão do handebol masculino dos Jogos Escolares da Juventude 2016, para atletas de 15 a 17 anos. Na preliminar, o Colégio Castro Alves, de Cariacica (ES), ficou com a medalha de bronze.

Com muita vontade, a equipe piauiense dominou a partida desde o seu início. Muito bem treinada pelo técnico Giuliano Ramos, que usou uma defesa avançada e uma marcação individual, e não deixou o time adversário respirar. Assim, o time abriu cinco gols de vantagem logo no início do jogo. Os mato-grossenses ainda encostaram no placar (10 a 8), mas após duas exclusões de dois minutos em sequência, os piauienses voltaram a dominar o marcador e terminaram o primeiro tempo com 19 a 11 no placar.

"Perdemos o jogo no primeiro tempo", lamentou o técnico Éder Almeida, ainda no intervalo. Ele ainda tentou corrigir o seu time para a etapa final, pediu para seus comandados se movimentarem mais sem a bola e a equipe melhorou no segundo período. Mas o time inteiro do CAIC Balduíno estava inspirado e voltou a sufocar o adversário.

Conhecido pelo seu estilo Bernardinho de ser, Giuliano pedia atenção de todos apesar da grande diferença no placar. "Temos que pressionar do início ao fim. É por causa dessa pressão que nós estamos roubando bolas e marcando nos contra-ataques", esbravejou, após um pedido de tempo do treinador adversário, quando o seu time vencia por 12 gols de vantagem.

Os destaques na vitória do Piauí foram o baiano Jonatas Santos, artilheiro da partida com 11 gols, e o maranhense Kaique Sá, que marcou dez. João Marcelo Carneiro e João Vitor Moura também tiveram grande atuação tanto na defesa quanto no ataque – cada um balançou as redes adversárias seis vezes.

"Até o ano passado eu disputava os Jogos Escolares pela Bahia, mas eu já conhecia o projeto do professor Giuliano e fui fazer um teste lá no início do ano. Sou de Miguel Calmo, interior baiano bem precário mesmo, e há dois anos eu fui morar em Salvador por causa do esporte e dos estudos. Deixei toda a minha família pra realizar esse sonho de jogar handebol e estou muito feliz", disse Jonatas, com aquela alegria estampada no rosto.

"A gente se preparou desde o início do ano para essa competição. Em todas as partidas atuamos com a nossa defesa muito avançada, sem dar tempo para os adversários pensarem. Esse foi o nosso segredo. Vencemos todos os jogos com uma boa margem de gols. Agora é só comemorar", afirmou Kaíque.

Principal atleta do Mato Grosso, o central Matheus Gerhardt sofreu com a forte marcação de Reginaldo Sobrinho. Mesmo assim, ele acabou a partida com sete gols. Outro destaque da equipe foi o armador esquerdo Pedro Mota, também com sete gols.

A equipe do CAIC defendeu o Brasil nos últimos três Mundiais Escolares, o primeiro foi em 2014, na Turquia. Nesse ano, a equipe ficou com vice-campeonato dos Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), realizada em Cabo Verde, na África, outra experiência inesquecível para esses jovens atletas. “Agora só falta o COB me contratar para ser o técnico da seleção brasileira. Não tem problema não, eu aceito esse convite com prazer”, brincou Giuliano.

Bronze – Na disputa pela medalha de bronze, a equipe do Colégio Castro Alves, de Cariacica (ES), venceu a Escola Estadual Prefeito José Franco de Gouveia, de Santa Vitória (MG), por 23 a 17, e ficou com a medalha de bronze na primeira divisão dos Jogos Escolares. O ponta direita Kaleby Silva foi o artilheiro da partida com seis gols. O armador Tarcísio Oliveira e o pivô Guilherme Peixoto marcaram cinco gols cada um e o central Matheus Santos anotou quatro.

"Pecamos em pequenos detalhes na derrota de ontem na semifinal para o time de Sorriso, que tem um time muito forte e jogou muito bem. Hoje, a nossa equipe jogou mais solta, o time estava mais confiante, jogamos com muita união. Fizemos o básico que é jogar o nosso jogo e conquistamos essa importante vitória", disse Kaleby.

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), correalizados pelo Ministério do Esporte e Grupo Globo, com apoio do Governo da Paraíba e patrocínio máster da Coca-Cola.
Confira os resultados da segunda e terceira divisões:
Segunda divisão:
1º - C.E. Antônio da Silva (RJ)
2º - Liceu Maranhense (MA)
3º - Colégio Dom Bosco (PE)
Terceira divisão:
1º - Colégio Sucesso (PA)
2º - C.E. Arabela Ribeiro (SE)
3º - Colégio da Polícia Militar de Goiás (GO)