sábado, 23 de setembro de 2017

NOSSO SITE APRESENTA UMA CRONICA REAL DO MUNDO E DO ESPORTE BRASILEIRO



NOSSO SITE publica, em primeira mão,  um texto que será publicado no SPP do mês de outubro.Iniciativa do EDITOR , numa manifestação de CIDADÃO, sobre a realidade que se vive, hoje, com um mundo em ebulição, com desacertos de toda ordem, degeneração social, drogatização e o risco permanente que a população está passando. 
Do PÓDIO ao ABISMO

O SPP, apesar de ser um jornal, que,  veicula temas relacionados à atividade física, esporte, lazer e saúde, não pode ficar inerte a tudo que está acontecendo, a cada momento, no mundo.
        O esporte é um fenômeno social, consequentemente ele está inserido nessa globalização. Por toda parte do planeta surgem fatos que desabonam a ética, levam a caminhos tortuosos e abalam com as estruturas sociais, antes dotadas, pelo menos em parte, de interesse  coletivo e hoje voltada praticamente para interesses individuais, senão de grupos mafiosos dominantes.  Vive-se uma ebulição, estamos postos à perigo, drogas para todos os cantos, uma degeneração social, anúncio de guerras, terremotos e a pobreza, cada vez mais acentuada.

        Se olharmos para a realidade do nosso país, estamos numa crise, sem precedente. Não se tem mais o comando, respeito à dignidade humana e o gerenciamento perde a sua essência e a o leva vantagem e roubos descampam na área empresarial e política,

       Esse desacerto agrava todas as áreas da atividade humana  e os recursos financeiros  se esvaziam. O acesso para o roubo fácil – desde o dinheiro nas cuecas, bolsos, malas e sala cheia de malas não servem de prova. Descaradamente os denunciados dizem serem inocentes – a maioria diz que o dinheiro da empresa tal foi doado ao partido, de forma legal. Nas delações o verbo é solto e a confusão entre os Poderes Constituídos se estabelece. As votações no congresso são negociadas a peso de dinheiro.

       Voltando ao esporte: O país não tem uma política esportiva nacional , por isso mendiga e vive de momentos e o atual é desesperador, pois é anunciado um corte profundo nos orçamento para 2018.

        Lembrando que a pouco mais de um ano, a cidade do Rio de Janeiro sediou uma OLIMPIADA que encheu os olhos dos brasileiros e do mundo. Mas cai, em parte por terra,  quando da divulgação – esperada -  de superfaturamento de obras e agora recentemente o anúncio de  compra de votos nessa candidatura - em 2009, quando da vitória do RIO.

        Onde vamos parar? Descemos do pódio e já estamos no abismo. Só muita oração para o esporte, que, tem lugar no pódio, pare de mendigar
( CLERY – EDITOR)

Nenhum comentário: