sábado, 30 de dezembro de 2017

NOSSO SITE ESTÁ COM PALAVRA OLIMPICA



Palavra Olímpica:

2017 MARCOU ERA OLÍMPICA
                                   *Clery Quinhones de Lima
Amigos, analisar o ano de 2017, em termos olímpicos e o esporte no Brasil, carece de muitos estudos e passa indiscutivelmente pela detectação da compra de votos na escolha da RIO 2016, lá em 2009, 7 anos antes da realização do Evento e pelo momento crítico, de crise e econômico que passa o país, com descrédito e muito roubo.

                                            Foto Bryan
Preparamos essa crônica, nesse sábado, dia 30, quando estávamos no Clube Professor Gaúcho de Santa Maria
       Pasmou o Brasil e o mundo, quando no primeiro semestre de 2017 houve a denúncia de que houve compra de votos na conquista do RIO DE JANEIRO como sede dos JOGOS OLÍMPICOS DE 2016.  Incidiu diretamente em NUZMANN, presidente do COMITE OLIMPICO DO  BRASIL – COB e presidente da RIO 2016, que tratava de tudo dos Jogos no Rio – a saber que tinha a participação direta do Governo Federal , Estadual e Municipal.
        A denúncia foi feita e Nuzmann foi preso, solto, mas responde processo (houve comprovação de enriquecimento ilícito). Claro que não é só ele, o ganguista ex-governador do Rio, Cabral, dizem ser o cérebro e tem mais gente envolvida, algumas já conhecidas, mas certamente tem mais.
        Aqui no Brasil foi noticiado, mas no Japão, onde sempre há reservas, não se conseguiu com nossos informantes a divulgação, mas no processo está denuncia que a vitória de TOKYO para o 2020 tem também compra de votos.
        ESPORTE OLÍMPICO  BRASILEIRO – Com a saída de Nuzmann do COB e as poucas informações que se tem dessa transição e ações para o futuro do esporte brasileiro, na nossa visão, teremos muitas dificuldades. Primeiro porque NUZMANN e EQUIPE tinham visão – talvez até muito além – e o acontecido deixou manchas negras, quer no âmbito nacional, como internacional, porque se sabe que anualmente o COB , na sua programação, tem eventos no Brasil e no exterior a cumprir, assim como as CONFEDERAÇÕES ESPORTIVAS.
        Falam em punição do Comitê Olímpico Internacional – COI ao COB, mas não acredito, porque ele não tem moral, pois o COI já passou por tantas situações semelhantes a do Brasil.
        Na verdade,  esse gerenciamento nos preocupa, porque envolve  diretamente o CICLO OLÍMPICO para 2020 e em paralelo, não se tem confiança na estrutura hoje do país, em termos econômico e político, vivendo crise de valores, ético e frequentemente se  tem anúncio de escândalos financeiros.
         Se o Governo Federal não tem dinheiro como serão liberadas verbas aos programas e projetos do esporte do COB e CONFEDERAÇÕES – leis existentes de incentivo ao atleta, às Confederações, Federações, Clubes e  projetos de desenvolvimento do esporte no país?
        COBERTURA OLIMPICA DE SANTA MARIA -  Graças ao planejamento feito por QUILISPORT/CAEL-SM, de forma sustentada, mantemo-no.  Já estivemos em agosto do ano passado no Japão – Tokyo, Tsukuba, Oizume e Kioto; para 2018, manteremos os contatos com Entidades e com brasileiros-colaboradores em Tokyo; em meados do ano de 2019, voltaremos à TOKYO e no ano de 2020, estaremos de 20 de julho a 10 de agosto – na OLIMPÍADA. 
( Profissional de Educação Física e Jornalista - Editor do SITE)
       
          

Nenhum comentário: