terça-feira, 3 de dezembro de 2019

NOSSO SITE COM O MUNDIAL FEMININO DE HANDEBOL NO JAPÃO

QUILISPORT NA PR-E-COBERTURA TOKYO 2020:


Brasil perde para a Coreia no Mundial de Handebol

Caixa de entrada
x

Andréa Rodrigues

05:47 (há 2 horas)



No dia do jogo nº 200 de Duda Amorim, Seleção Feminina sofre a segunda derrota em três partidas na competição

A Seleção Brasileira perdeu a Coreia por 33 a 27 na madrugada desta terça-feira (3/dez) no Ginásio Geral da Cidade de Yamaga pelo Campeonato Mundial de Handebol Feminino de Kumamoto, no Japão. Foi a terceira partida do Brasil na competição em que já tinha um empate (França) e uma derrota (Alemanha), e está em quinto lugar no grupo B, com 1 ponto. O torneio vai até o dia 15 de dezembro.

“Nós fizemos um bom jogo, mas para jogar com a Coreia é preciso fazer um jogo completo porque é uma equipe que mantém a intensidade durante os 60 minutos em altíssimo nível. A conclusão tem que ser positiva, porque a Seleção mostrou alto nível, mas precisamos melhorar em alguns detalhes de exclusão por dois minutos e finalização”, avaliou o técnico do Brasil Jorge Dueñas.

O destaque brasileiro foi a homenagem, ao fim do jogo, para a armadora Duda Amorim, que completou 200 jogos com a camisa da Seleção. Ela foi a artilheira do Brasil com 9 gols (9/16). A atleta do Gyori ETO, da Hungria, fez parte da equipe que foi campeã na Sérvia em 2013 e eleita a melhor jogadora do mundo em 2014.

1º tempo
O Brasil começou bem a partida, com boa eficiência no ataque e abriu três bolas (7x3), obrigando o técnico coreano a pedir tempo já aos 7 minutos. Mas a Coreia subiu muito a defesa, marcando da linha de 9 metros, dificultou as ações brasileiras, e chegou ao empate (9x9) aos 15 minutos. A Seleção tomou a virada e foi a hora do técnico Jorge Dueñas pedir tempo. Mesmo assim, o Brasil não conseguiu retomar à frente no placar e acabou por terminar atrás a etapa (14x16).

2º tempo
A Seleção voltou buscando corrigir as falhas do primeiro tempo, mas a Coreia mostrou porque venceu a atual campeã mundial França e empatou com a Dinamarca, duas potências do handebol. Assim, as coreanas se mantiveram à frente no placar, forçando os erros do Brasil. Final de jogo: Brasil 27 x 33 Coreia.

Jorge Dueñas disse que foi um jogo muito difícil contra uma equipe que tem características muito diferentes de outros times. “Começamos com um bom equilíbrio de defesa, ataque e contra-ataque, e isso nos deu uma abertura no placar de quatro gols, mas tivemos uma situação de exclusão por dois minutos e depois a Coreia conseguiu construiu uma vantagem no placar. No final do primeiro tempo tivemos também a oportunidade de igualar, mas cometemos falhas quando estávamos com uma jogadora a mais. No segundo tempo começamos com alguns erros no ataque diante da pressão da defesa da Coreia, mas depois voltamos para o jogo e baixamos para dois gols. Então cometemos falhas em arremessos e contra-ataques diante da Coreia, que jogou em alto nível”, completou.

Marcaram para o Brasil: Duda Amorim (9 gols); Bruna de Paula (4 gols); Alexandra Nascimento e Adriana Castro (3 gols); Isaura Menin e Mariana Costa (2 gols); Tamires Araújo, Ana Paula Rodrigues, Larissa Araujo e Ana Claudia Bolzan (1 gol).

O próximo compromisso do Brasil será contra a Dinamarca. A partida acontece às 8h30 (horário de Brasília) desta quarta-feira (4/dez).

Sistema de disputa
A forma de disputa do Mundial de Kumamoto é o Main Round, adotado em competições como da Liga Europeia de Handebol (EHF). Nesse sistema, as 24 equipes são divididas em quatro grupos com seis equipes cada, na fase classificatória. Os três melhores de cada chave passam para a próxima fase e levam junto os pontos obtidos nas partidas disputadas entre classificados.

Jogos do Brasil (Horário de Brasília)
30/11 – Sábado
Brasil 24x30 Alemanha
01/12 – Domingo
3h – Brasil 19x19 França
03/12 – terça-feira
3h – Brasil 27x33 Coreia
04/12 – quarta-feira
8h30 – Brasil x Dinamarca
06/12 – Sexta-feira
3h – Brasil x Austrália
Conforme informação da Federação Internacional de Handebol (IHF, na sigla em inglês), “a transmissão ao vivo no site ihf.info será bloqueada geograficamente no Brasil (conforme os direitos de transmissão são vendidos), mas, ao mesmo tempo, não há ninguém transmitindo no Brasil”.

Nenhum comentário: